Colônia do Piauí

município brasileiro do estado do Piauí

Colônia do Piauí é um município brasileiro do estado do Piauí, emancipado no dia 29 de Abril de 1992. Localiza-se a uma latitude 07º13'52" sul e a uma longitude 42º10'41" oeste, estando a uma altitude de 0 metros. Sua população estimada em 2018 foi de 7.651 habitantes. Possui uma área de 947,879 km².

Colônia do Piauí
  Município do Brasil  
Hino
Gentílico coloniense
Localização
Localização de Colônia do Piauí no Piauí
Localização de Colônia do Piauí no Piauí
Mapa de Colônia do Piauí
Coordenadas 7° 13' 51" S 42° 10' 40" O
País Brasil
Unidade federativa Piauí
Municípios limítrofes Oeiras, Wall Ferraz, São Francisco do Piauí, Santo Inácio do Piauí, São José do Peixe e São Miguel do Fidalgo
Distância até a capital Não disponível
História
Fundação 29 de abril de 1992 (28 anos)
Aniversário 29 de abril
Administração
Prefeito(a) Selindo Mauro Carneiro Tapety Segundo (PL, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 947,879 km²
População total (est. IBGE/2018[2]) 7 651 hab.
Densidade 8,1 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000 [3]) 0,571 baixo
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 22 727,639 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 2 883,49

Conhecida como "A terra da vaquejada", pois tem a vaquejada mais antiga do estado, fundada em 1976, e é sempre comemorada no mês de Julho, assim como a tradicional festa de vaqueiros iniciada em 1971.

HistóriaEditar

O povoamento iniciou pelo Saco do Rei primeiro nome da Colônia – ainda de maneira tímida. Aos poucos foram chegando moradores. Na época residiam no `` Saco`` algumas famílias: de João Criolo, Raimundo Doquinha, Antônio Neném, Eliseu, Sinhá, Águida, Antônio Lagoa, Maciniana, Elpídio, Barbina, Naboa.

A população foi se expandindo para o `` Alto”, lá residiam Benedita Dário, Raimundo Grande, Chico Preto, Joaquim Marrecas, Quelé, Manoel Antônio, Antônio Geraldo, Guardiana; no Tabuleiro – onde hoje é o centro da cidade – Eustáquio, Adelaide, Os Catulinos, Vitalina, e os Camilos; No Baixão: a família de Tonheiro e Joaquim Marrecas e no Mandacaru a família de Seu Zuca.

Todas as localidades do município, existentes hoje, já existiam.

A criação da Colônia Agrícola Nacional Saco do Rei data da década de 1940, no contexto internacional o mundo assistia o desenrolar da Segunda Guerra Mundial, conflito militar entre as grandes potências mundiais – países do eixo (Alemanha, Itália e Japão) x países aliados (Inglaterra, Estados Unidos e União Soviética). O conflito teve fim somente em 1945, com a explosão de bombas atômicas sobre as cidades japonesas Hiroshima e Nagasáqui. Depois da Segunda Guerra, o mundo teria um novo ordenamento geopolítico: capitalistas x socialistas.

TopônimoEditar

Em princípio as terras eram nacionais, pois pertenciam ao Rio de Janeiro – daí o nome Colônia Agrícola Nacional – depois passaram a pertencer ao Estado do Piauí.

Por sugestões de Dr. José Gusmão o nome deveria ser “Colônia Estrela do Norte” – devido à planta do lugar ter o formato de uma estrela. Mas permaneceu a primeira sugestão – Colônia Agrícola Nacional do Piauí. Recebeu este nome por ser uma fazenda nacional voltada para a agricultura. Mesmo com a denominação CANPi ainda se usou por bastante tempo a terminação Saco do Rei – intitulada antes da chegada de Gusmão.

Referências

  1. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pi/colonia-do-piaui/panorama
  2. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pi/colonia-do-piaui/panorama
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre municípios do estado do Piauí é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.