Conde de Almada

Conde de Almada é um título nobiliárquico criado por D. João, Príncipe Regente de D. Maria I de Portugal, por Decreto de 4 e Carta de 13 de Maio de 1793, em favor de D. Lourenço José Boaventura de Almada, Senhor dos Lagares de El-Rei, Conde de Abranches em França.[1][2]

Coronet of Count - Portugal.svg
Conde de Almada
Pariato Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves
Criação D. Maria I
4 de Maio de 1793
Ordem Grande do Reino
Tipo de sucessão
Relação Almada
1.º Titular D. Lourenço José Boaventura de Almada
Linhagem Almada
Actual Titular D. Lourenço José de Almada

Condes de Almada (1793)Editar

TitularesEditar

  1. D. Lourenço José Boaventura de Almada (1758–1814), 1.º Conde de Almada, Senhor dos Lagares de El-Rei, Conde de Abranches
  2. D. Antão José Maria de Almada (1801-1834), 2.º Conde de Almada, Senhor dos Lagares de El-Rei, Conde de Abranches
  3. D. Lourenço José Maria de Almada de Abreu Pereira Cirne Peixoto (1818–1874), 3.º Conde de Almada, Conde de Abranches
  4. D. Miguel Vaz de Almada (1859-1916), 4.º Conde de Almada, Conde de Abranches
  5. D. Luís Vaz de Almada (1863-1919), 5.º Conde de Almada, Conde de Abranches
  6. D. Lourenço de Jesus Maria José Vaz de Almada (1897-1978), 6.º Conde de Almada, Conde de Abranches
  7. D. Luís Francisco de Almada (1927-1998), 7.º Conde de Almada, Conde de Abranches
  8. D. Lourenço José de Almada (n. 1961), 8.º Conde de Almada, Conde de Abranches

ArmasEditar

 
Armas de Almada chefe, Livro do Armeiro-Mor (fl 60)

Almadas (pleno): de ouro, com uma banda de azul, carregada de duas cruzes florenciadas de ouro e vazia da banda, acompanhada de duas águias estendidas de vermelho, sancadas (membradas) e armadas de negro; Elmo de prata tauxeado de ouro, forrado de vermelho; virol e paquifes de ouro e azul; Timbre: coroa de Conde; correias de azul perfiladas de ouro, tachões de ouro.

Referências

  1. "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zúquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Segundo, pp. 229-30
  2. Albano Anthero da Silveira Pinto e Visconde de Sanches de Baena (1883). «Resenha das Famílias Titulares e Grandes de Portugal, Tomo I, páginas 34-37»