Convento bracarense

O conventus bracarensis ou convento bracarense, foi uma entidade administrativa romana situada no Noroeste da Península Ibérica. O seu nome deriva da sua capital, Bracara Augusta agora denominada, Braga. Cidade mais importante do convento e que regia económica e administrativamente todo o território. Sabemos pela obra de Plínio, o Velho que o convento bracarense era dividido em 24 civitates[nota 1] ocupados, entre outros, pelos Brácaros, os Bíbalos, os Celernos, os Galaicos, os Equesos, os Límicos, e os Quaquernos, num total de 285 000 pessoas livres, sendo o mais povoado do Noroeste peninsular. [nota 2][1] Tinha como fronteira o curso do rio Douro ao sul, ao norte o rio Verdugo na parte meridional da actual província de Pontevedra, e o rio Sil, ambos marcavam a fronteira norte com o conventus lucensis.[2]

Convento bracarense

Ver tambémEditar

NotasEditar

  1. Civitate: A civitate era uma subdivisão territorial dum conventus tendo em consideração seus componentes étnicos, seus povos.
  2. O convento de Lugo tinha 166 000 pessoas livres e Astorga 240 000

Referências

  1. História Natural de Plínio, o Velho, livro III, IV, 28. "Simili modo Bracarum XXIIII civitates CCLXXXV capitum, ex quibus praeter ipsos Bracaros Bibali, Coelerni, Callaeci, Equasei, Limici, Querquerni citra fastidium nominentur. "
  2. O povoamento romano na fachada ocidental do Conventus Bracarensis (PDF). [S.l.: s.n.]