Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a empresa sucroalcooleira. Para a escuderia, veja Escuderia Fittipaldi.
Copersucar
Razão social Copersucar S/A
Empresa privada
Atividade Etanol
Fundação 1959 (60 anos)
Sede São Paulo, São Paulo
Pessoas-chave Luís Roberto Pogetti (CEO)
Empregados 11.300
Produtos Álcool, Etanol, Açucar
Lucro Aumento US$ 793,5 Million (2010)
Renda líquida Lucro US$ 7,1 Billion (2010)
Website oficial Página oficial

Copersucar S/A é a maior cooperativa brasileira de açúcar e álcool e um dos maiores exportadores do mundo. Nos seus 50 anos de atividade, a companhia atingiu o número de 34 usinas operando nos estados de São Paulo, Paraná e Minas Gerais. Na safra de 2009/2010, a Copersucar foi responsável por 17% do mercado interno de açúcar e 15% do mercado de etanol da região centro-sul. A empresa também foi responsável por 15% do açúcar exportado pelo Brasil, equivalente a 7% do comércio mundial.

Índice

HistóriaEditar

A cooperativa foi criada em 1959 por produtores de cana-de-açúcar, dando origem à Cooperativa de Produtores de Cana-de-Açúcar, Açúcar e Álcool do Estado de São Paulo. Mais tarde, em 2008[1], todos os membros da cooperativa se tornaram acionistas da Produpar, a holding que controla a Copersucar S.A. (sociedade anônima de capital fechado).

Em 1973, a empresa adquiriu a Companhia União dos Refinadores - Açúcar e Café, donos da marca Açúcar União, então líder no mercado brasileiro. Um ano depois, a companhia inicia a parceria com a Escuderia Fittipaldi para o desenvolvimento do primeiro carro de Fórmula 1 brasileiro. O patrocínio durou até 1979.

Durante os anos 90, com a abertura do mercado, a empresa intensificou o processo de internacionalização. Com este objetivo, inaugurou em 1998 o Terminal Açúcareiro Copersucar no Porto de Santos, um dos mais modernos do mundo na época.

Em 2005, a Copersucar vendeu a todas as suas marcas de varejo, inclusive a Açúcar União, para o Grupo NovAmérica.[2]

Incêndio no TACEditar

Na manhã do dia 18 de outubro de 2013, um incêndio atingiu os seis armazéns arrendados pela empresa no Porto de Santos, litoral de São Paulo. Apesar de os galpões não estarem completamente cheios de acordo com a empresa, especialistas estimam que o prejuízo tenha chegado à casa dos R$ 130 milhões.[3]

Referências

  1. [1]
  2. Sérigo Ripardo (2 de março de 2005). «Açúcar União é vendida e cria nova gigante no setor». Folha.com. Consultado em junho de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. Tássia Kastner e Zuleide de Barros (18 de outubro de 2013). «Incêndio atinge armazéns de açúcar da Copersucar no Porto de Santos». Estadão. Consultado em 19 de outubro de 2013 

Ligações externasEditar