Creusa (filha de Erecteu)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Creusa, veja Creusa (desambiguação).

Creusa (em grego antigo, Κρέουσα, transl. Kréousa) era filha de Erecteu, rei de Atenas,[1][2] e de Prasiteia (ou Pasiteia). Tinha como irmãs Orítia, Ctonia e Procris. Casou-se com Xuto (Xuthus em latim), rei de Iolco, na Tessália. É protagonista da tragédia Íon, de Eurípides. Porque ainda era criança, escapou da sorte de suas irmãs, que se ofereceram como vítimas expiatórias na guerra contra Eumolpo.

FamíliaEditar

Erecteu, filho de Pandião I e Zeuxippe,[3] se casou com Praxiteia, filha de Phrasimus e Diogenia, filha do deus-rio Cefiso.[4] Eles tiveram três filhos, Cécrope II, Pandorus e Metion e quatro filhas, Prócris, Creusa, Ctonia e Orítia.[4]

Xuto, filho de Heleno, foi expulso da Tessália pelos outros filhos de Heleno.[1]

FilhosEditar

Ion e Aqueu, filhos de Xuto, nasceram em Atenas.[1] Com a morte de Erecteu, Xuto foi apontado para escolher o próximo rei, e escolheu Cécrope II, sendo banido pelos demais pretendentes.[1] Xuto e sua família foram viver na Egialeia, onde Xuto morreu.[5]

A lenda conta que foi violada por Apolo em sua juventude, numa gruta da Acrópole de Atenas, e dessa união com o deus nasceu um filho, Íon. Creusa abandonou o recém-nascido, que foi recolhido por Hermes e levado ao templo de Apolo, em Delfos.

Na obra de Eurípides, desesperado por não poder conceber um filho com Creusa, Xuto foi com ela a Delfos para saber o motivo.[2] O oráculo lhe sugeriu a adoção da primeira pessoa que encontrasse ao sair do templo. Era o jovem Íon, filho de Creusa e Apolo, que ela não reconheceu num primeiro momento. Só no final da história Atena lhe apareceu e contou que Íon era realmente seu filho.[2]

Segundo Pseudo-Apolodoro, depois do período de infertilidade, ela deu à luz Aqueu, patriarca da estirpe dos aqueus e fundador da Civilização Micênica. Já Eurípides, na tragédia Íon, na qual Creusa é personagem importante, menciona que, além de Íon, ela teve com seu marido Xuto os filhos Aqueu e Doro.[2]

Os filhos de Xuto e Creusa, Ion e Aqueu são, respectivamente, os ancestrais epônimos dos jônios e dos aqueus, assim como Doro e Éolo, filhos de Heleno, são dos dórios e eólios.[6]

Árvore genealógica (incompleta) baseada no Pseudo-ApolodoroEditar

Heleno
Orseis
Doro
Xuto
Éolo
Creúsa
Aqueu
Ion

Referências