Abrir menu principal

Wikipédia β

Declaração de Verdades Fundamentais das Assembleias de Deus

(Redirecionado de Declaração de Verdades Fundamentais das Assembléias de Deus)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde outubro de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde outubro de 2015).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Declaração de Verdades Fundamentais das Assembleias de Deus consiste num documento de seis páginas produzidos pelo Conselho Geral das Assembleias de Deus, onde estabelece dezesseis doutrinas, inegociáveis para quem quiser aderir à Assembléia de Deus.[1] [2] Quatro dos dezesseis fundamentos são considerados norteadores, a saber: Salvação, o Batismo no Espírito Santo, Cura Divina e a Segunda Vinda de Cristo [3]

Índice

Resumo das 16 Verdades Fundamentais da Assembléia de DeusEditar

  1. A inspiração das Sagradas Escrituras;
  2. O único Deus verdadeiro;
  3. A deidade do Senhor Jesus Cristo;
  4. A queda do homem;
  5. A salvação do homem;
  6. As ordenanças da igreja;
  7. O batismo no Espírito Santo;
  8. A evidência física inicial do batismo no Espírito Santo;
  9. A santificação;
  10. A igreja e sua missão;
  11. O ministério;
  12. Cura divina;
  13. A esperança bem-aventurada;
  14. O reino milenar de Cristo;
  15. O Juízo final;
  16. Novos céus e nova terra [4] [5] [6]

Descrição das Declarações Fundamentais e InegociáveisEditar

A Inspiração das EscriturasEditar

O documento declara que as escrituras além de inspiradas, tem autoridade infalível de e conduta.

O Único Deus VerdadeiroEditar

  1. Nesse documento de Verdades Fundamentais Inegociáveis, declara Deus ter se revelado como eterno e existente em si próprio.
  2. Declara relação e associação entre o Deus, o Pai, Deus Filho e Espírito Santo; criador do céu e da terra e o redentor da humanidade.
  3. Declara Deus revelado como Tri-Uno, com distinção no tangente à pessoa, entretanto não divisíveis em relação à divindade.

A Deidade de Nosso Senhor Jesus CristoEditar

Na Declaração de Verdades produzido pelo Conselho Geral das Assembleias de Deus, Jesus Cristo é o Filho eterno de Deus, sem pecado, que operou milagres, sofreu o sacrifício vicário na cruz, ressuscitou corporalmente dentre os mortos, é exaltado à direita de Deus-Pai.

A Queda do HomemEditar

O homem foi criado bom e justo, conforme semelhança de Deus, contudo caiu por transgressão voluntária, recebendo sobre si a morte espiritual, que é a separação de Deus, e recebendo também a morte física como conseqüência da sua queda.

A Salvação do HomemEditar

A única maneira do homem alcançar a salvação é observada pelas seguintes condições, com privilégios e evidências, nas seguintes declarações no documento:

  1. Através do sangue de Jesus Cristo, o Filho de Deus,
  2. Através do arrependimento para com Deus,
  3. Pela fé em Nosso Senhor Jesus Cristo,
  4. Pela renovação do Espírito Santo.
  5. O homem é justificados pela graça, através da fé, e se torna co-herdeiro com Cristo Jesus, o Filho de Deus.
  6. A evidência interior da salvação é o testemunho direto do Espírito Santo, e as provas exteriores, para os olhos de todos os homens, é uma vida de verdadeira justiça e santidade.

As Ordenanças da IgrejaEditar

  1. Aos que se arrependerem e crerem em Jesus Cristo, a ordenança do batismo por imersão, declarando ao mundo que morreram com Cristo, e devendo andar em nova vida.
  2. A Ceia do Senhor, composto pelos elementos - pão e do fruto da videira, por memória do sofrimento e morte de Jesus por crucificação, e proclamação de sua segunda vinda.

O Batismo no Espírito SantoEditar

  1. Foi uma experiência normal na igreja cristã primitiva.
  2. Os crentes de hoje, devem ardentemente buscar o batismo no Espírito Santo e com fogo, conforme mandamento do Senhor Jesus Cristo, vindo sobre o membro o revestimento de poder no serviço e trabalho do ministério.
  3. O batismo no Espírito Santo é posterior à experiência do novo nascimento, e é uma experiência distinta.
  4. As experiências que acompanharão o batismo no Espírito Santo são:
  • Transbordante plenitude do Espírito,
  • Profunda reverência a Deus,
  • Uma intensa consagração a Deus,
  • Amor mais ativo por Cristo, pela Sua Palavra, e dedicação ao seu trabalho pelos perdidos.

A Evidência Física Inicial do Batismo no Espírito SantoEditar

  1. O falar em outras línguas como ao Espírito de Deus aprouver.
  2. O falar em línguas tem a mesma essência do dom das línguas, mas é diferente em propósito e uso.

SantificaçãoEditar

  1. Consiste no ato de separação.
  2. Quem procura santificação deve se apartar do que é mau, e se dedicar a Deus.
  3. Sem santidade, ninguém verá o Senhor.
  4. Pelo poder do Espírito Santo, somos capazes de obedecer a ordem: "Sede santos, porque eu sou santo".
  5. A santificação é realizada através da identificação com Cristo na sua paixão, pela fé diária na unidade, e oferecimento diário ao domínio do Espírito Santo sobre si.

A Igreja e Sua MissãoEditar

  1. A Igreja é o Corpo de Cristo,
  2. A Igreja é a habitação de Deus através do Espírito.
  3. Cada crente, nascido do Espírito é uma parte integrante da Assembléia Geral e da Igreja do Primogênito, que estão escritos nos céus.
  4. Propósito da Igreja é salvar o perdido.
  5. Construir um corpo de crentes à imagem de Seu Filho.
  6. Evangelizar o mundo.
  7. Adorar a Deus em congregação.
  8. Ser um canal dos propósitos de Deus.
  9. Demonstrar amor e compaixão de Deus para todo o mundo.
  10. Dar prioridade permanente a evangelização com acompanhamento de sinais sobrenaturais.
  11. Cuidar dos pobres e necessitados do mundo.

O MinistérioEditar

Com o propósito quádruplo de liderar a Igreja em:

  1. Evangelização do mundo.
  2. Adoração a Deus.
  3. Construção de um corpo de santos sendo aperfeiçoados à imagem de Seu Filho.
  4. Reunião com os ministérios necessidade humana de amor e compaixão.

Cura DivinaEditar

As Verdade Fundamentais declaram a cura divina como parte integrante do evangelho, e declara como a libertação da doença estando prevista na expiação por Cristo na cruz, e declara como sendo privilégio de todos os crentes.

A Esperança Bem-AventuradaEditar

Consiste na declaração da esperança de que aqueles que dormiram em Cristo, ressuscitarão e trasladarão aos céus, juntamente com aqueles que estiverem vivos, na vinda do Senhor. Essa declaração é a iminente e bendita esperança da igreja, a vinda de Jesus Cristo.

O Reino Milenar de CristoEditar

A segunda vinda de Cristo inclui o arrebatamento dos santos, que é a bendita esperança. Será seguida pelo retorno visível de Cristo com seus santos para reinar na terra por mil anos. Este reino milenar trará a salvação de Israel nacional, e o estabelecimento da paz universal.

O Juízo FinalEditar

Haverá um julgamento dos ímpios mortos que serão ressuscitados. Aquele que não for achado inscrito no Livro da Vida, juntamente com o diabo e seus anjos, a besta e o falso profeta, serão lançado no castigo eterno, no lago que arde com fogo e enxofre, que é a segunda morte.

Os Novos Céus e a Nova TerraEditar

"Nós, de acordo com Sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra onde habita a justiça".

ReferênciasEditar

Ligações internasEditar

Ligações externasEditar