Abrir menu principal

BiografiaEditar

Surgiu em São Paulo, capital, na década de 1940 com o nome de "Grupo do Luar", atualmente, Demônios da Garoa, fundado por Arnaldo Rosa. Em 1943, cantando pela primeira vez no rádio, venceu um concurso de calouros, chamado A Hora da Bomba, da Rádio Bandeirantes. O prêmio principal era um contrato para duas apresentações semanais na rádio.

O grupo mudou de nome por iniciativa do locutor Vicente Leporace, entusiasta do grupo. Este promoveu um concurso entre os ouvintes para que fosse escolhido o nome do grupo. Dentre as sugestões, foi escolhido o nome "Demônios da Garoa" por um ouvinte da radio não identificado até hoje. Vale lembrar que Leporace ao anunciar o conjunto em seu programa costumava chamá-los de "endiabrados" do Grupo do Luar.

Em 1949, durante as gravações do filme O Cangaceiro, conheceram o compositor Adoniran Barbosa. Nasceu a parceria que rendeu os principais sucessos do grupo e seu reconhecimento nacional.

Seu bom humor tornou-se a marca registrada do grupo. Em 1965, com mudanças na formação original, gravou "Trem das Onze", canção emblemática (eleita em 2000, através de votação popular, a música-símbolo da cidade de São Paulo) [carece de fontes?], conjuntamente com "Iracema", "Saudosa Maloca", "O Samba do Arnesto", "As Mariposas", "Tiro ao Álvaro", "Ói Nóis Aqui Trá Veiz", "Vila Esperança" e "Vai no Bexiga pra Ver".

O grupo vendeu mais de dez milhões de cópias distribuídos em 69 compactos simples, 6 compactos duplos, 34 LPs e 13 CDs ao longo de sua carreira. A atual formação compõe-se Sérgio Rosa (Filho de Arnaldo Rosa) Ricardinho (Neto de Arnaldo Rosa) Roberto Barbosa (Canhotinho), Izael e Dedé Paraizo e Noutros tempos, o grupo já contou com a participação de Ventura Ramirez, nome expressivo em São Paulo no estilo violão de 7 cordas [carece de fontes?], com uma técnica peculiar que marcou a história e os arranjos dos Demônios da Garoa por cerca de 30 anos.

Os dois últimos membros originais do conjunto, Arnaldo Rosa e Toninho Gomes, faleceram respectivamente em 2000, vítima de cirrose hepática oriunda de um tratamento na coluna, e em 2005, vítima de complicações do diabetes e do mal de Alzheimer.

Em 1994, os Demônios da Garoa entraram para o Guinness Book - Livro dos Recordes Brasileiro, de onde não mais saíram, como o "Conjunto Vocal Mais Antigo do Brasil em Atividade", além de receberem o disco de ouro pelo álbum 50 Anos.

 
O grupo, em uma de suas primeiras formações, no início dos anos 1940.

A banda, que sempre se apresentou somente com os seus integrantes, a partir da gravação de seu primeiro DVD intitulado Demônios da Garoa ao Vivo, lançado pela BAND Music, agora conta também com uma banda de apoio, formada por bateria, violão de 6 cordas e contrabaixo, percussão, cavaquinho e piano.

DiscografiaEditar

  • Um Samba Diferente (2014)
  • Vem Cantar Comigo (2012)
  • Demônios da Garoa e Amigos (2008)
  • Ao Vivo no Olympia (2006)
  • 60 Anos Ao Vivo (2004)
  • Reviva (2001)
  • 55 Anos de Garoa (1999)
  • Ao Vivo (1997)
  • Demônios da Garoa Hoje (1995)
  • 50 Anos (1994)
  • Esses Divinos Demônios da Garoa (1990)
  • O Samba Continua (1980)
  • 34 Anos de Música Brasileira (1977)
  • Samba do Metrô (1975)
  • Torre de Babel (1974)
  • Abre a Gira (1973)
  • Eu Sou de Lá (1972)
  • Aguenta a Mão, João (1971)
  • Sai de Mim, Saudade (1971)
  • Doido Varrido (1969)
  • Ói Nóis Aqui Tra Veis (1969)
  • É de Samba Vol. 2 (1968)
  • É de Samba (1968)
  • Leva Este (1968)
  • Eu Vou Pro Samba (1965)
  • Trem das 11 (1964)
  • Mas Demônios Que Nunca (1962, Argentina)
  • Demônios em Sambas Infernais (1961)
  • Pafunça (1958)
  • Demônios da Garoa (1957)
  • Saudosa Maloca (1957)

Maiores Sucessos (ordem cronológica)Editar

  • 1951 - Malvina
  • 1955 - O Samba do Arnesto
  • 1955 - Saudosa Maloca
  • 1956 - Iracema
  • 1964 - Iracema (regravação do antigo sucesso de 1956)
  • 1964 - Trem das Onze
  • 1985 - A Vida é Dura (Tema da Novela "Ti Ti Ti").
  • 1994 - Seu Querer

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar