Abrir menu principal

Di-Glauber

filme de 1977 dirigido por Glauber Rocha
Di-Glauber
 Brasil
1977 •  
Direção Glauber Rocha
Género documentário
Idioma português

Di-Glauber (ou Di Cavalcanti) é um documentário brasileiro de 1977, dirigido por Glauber Rocha homenageando o pintor Di Cavalcanti, falecido em 1976.

O documentário foi filmado durante o velório e enterro do pintor, sendo proibido de ser exibido pela família do artista.[carece de fontes?] Em novembro de 2015 o filme entrou na lista feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos.[1]

ProibiçãoEditar

Em 11 de Março de 1977, na cinemateca do MAM o curta estreou junto do filme Cabeças cortadas, também de Glauber. Logo após a primeira exibição, a filha adotiva do pintor Elizabeth Di Cavalcanti achou a obra desrespeitosa mostrar a morte do pai. Glauber passou a noite de estréia na delegacia tentando resolver o problema. Em 1979 a Vara Cível concedeu liminar a Elizabeth vetando a exibição do filme.[2]

Em 2004, familiares de Glauber disponibilizaram a obra na internet com o sub-título Ninguém assistiu ao formidável enterro de sua quimera, somente a ingratidão essa pantera,foi sua companhia inseparável[3]

PremiaçãoEditar

O filme ganhou no festival de Cannes, o premio especial do Juri em 1977, antes que a justiça proibisse a exibição em território nacional.

Referências

Ligações externasEditar


  Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.