Discussão:Transcomunicação instrumental

Discussões ativas

A remoção dos efeitos adversos da Transcomunicação não fará com que os efeitos desapareçamEditar

Essa página está tendenciosa no sentido de que não apresenta nenhuma opinião sobre os efeitos adversos dessa prática sobre as pessoas que a praticam. Além disso inclui a transcomunicação no rol das práticas espiritualistas, coisas que não é, mas está no rol das práticas técnicas e associadas ao fenômeno das voes eletrônicas. Encontra também indicação de pessoas que participaram de fóruns, duas apenas, quando no Brasil houveram centenas de participantes e dezenas de palestrantes não citados, essas serão removidas até que se tenha as referencia e se mostre que não se trata de auto-promoção de pessoas vivas. Quanto as referencias, exceto pela referencia as teses de Dra. Diana Deustch, o editor tem razão em eliminar o restante do arquivo por excesso de referencias a wikipedia, essas serão removidas e indicadas páginas e trabalhos academicos através do google-books e google-academics. Uma vez acertadas essas referencias o restante será republicado. o comentário precedente deveria ter sido assinado por 186.204.0.79 (discussão • contrib)

Contribuição de alteração no primeiro paragrafo sobre Thomas Edson e sobre Telegrafo Vocativo CambraiaEditar

de

A possibilidade de comunicações com o mundo espiritual sem a interferência direta de um médium, foi considerada por diversos cientistas. Como exemplo, Thomas Alva Edison, nos Estados Unidos da América, patenteou uma máquina para esse fim[carece de fontes]. No Brasil, o português naturalizado Augusto de Oliveira Cambraia, inventor da cambraia, patenteou, em 1909, o "Telégrafo Vocativo Cambraia" e um aparelho destinado a possibilitar o intercâmbio entre os chamados "planos da vida".

Discussão

Augusto de Oliveira Cambraia não é o inventor do tecido cambraia, mas o tecido Cambraia é oriundo da cidade de Cambray na França, vide verbete: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cambraia. O tecido Cambraia não foi inventado por nenhum português com esse nome, mas é um tecido oriundo da cidade de Cambrai na França, vide verbete da Enciclopédia Britannica sobre esse fato: http://www.britannica.com/EBchecked/topic/90591/Cambrai/90591rellinks/Related-Links Paladino.Alvino (discussão) 16h53min de 29 de julho de 2011 (UTC)[]

para

A possibilidade de comunicações com o mundo espiritual sem a interferência direta de um médium, foi considerada por diversos inventores no começo do século XX.

  • Nos Estados Unidos da América: Em 1920 Thomas Edison disse ao repórter B.F. Forbes que ele estava trabalhando em uma máquina que poderia fazer contato com espíritos de mortos. Jornais do mundo todo noticiaram a história. Depois de alguns anos Edison admitiu que ele inventou a história toda. (Thomas Edison National Historical Park)[1][2][3]

Paladino.Alvino (discussão) 10h56min de 31 de julho de 2011 (UTC)[]

  • No Brasil: o português naturalizado Augusto de Oliveira Cambraia, patenteou, em 1909, o "Telégrafo Vocativo Cambraia" de 1909, que propunha um sistema de comunicação a distância, utilizando-se 'das almas e espíritos que vagam pela estratosfera', este último referindo-se talvez aos atuais satélites de comunicação (RAINHO)[4][5]

Paladino.Alvino (discussão) 10h56min de 31 de julho de 2011 (UTC)[]

NotasEditar

  1. http://www.nps.gov/search/index.htm?page=1&query=dead&sitelimit=nps.gov/edis que vai encontrar não uma referencia, mas duas páginas cheias delas na Thomas Edison National Historical Park repetindo a mesma história acima indicada.
  2. Afirmação no documento da AAEVP página 1 e 2, seção History, -Instrumental TransCommunication (ITC) and the Subset of ITC Electronic Voice Phenomena (EVP) http://www.visionaryliving.com/articles/AA-EVP_White_Paper_about_EVP.PDF
  3. White Paper on Electronic Voice Phenomena http://www.prgisrael.narod.ru/articl/aaevp.pdf
  4. RAINHO,Maria do Carmo Teixeira. A INVENTIVA BRASILEIRA NA VIRADA DO SÉCULO XIX PARA O XX da COLEÇÃO PRIVILÉGIOS INDUSTRIAIS DO ARQUIVO NACIONAL, JUL-OUT 1996, p. 320. http://www.scielo.br/pdf/hcsm/v3n2/v3n2a07.pdf - Maria do Carmo Teixeira RAINHO - Coordenadora de Pesquisa do Arquivo Nacional - Mestre em História da Cultura (PUC/RJ)
  5. VIEIRA,Michele Cruz. Rádio e imaginário técnico: Novos horizontes da modernidade e do progresso, anais do XIV Encontro da Associação Nacional de História, 19-23 Junho de 2010. p. 2. ISBN 978-85-60979-08-0 http://www.encontro2010.rj.anpuh.org/resources/anais/8/1276636804_ARQUIVO_ArtigoMicheleCruzVieiraANPUH2010.pdf - ∗ Michele Cruz VIEIRA, Mestre em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e professora do Departamento de Comunicação Social da Universidade Gama Filho (UGF)

Paladino.Alvino (discussão) 18h57min de 21 de julho de 2011 (UTC)[]

Proposta de alteração da descriçãoEditar

A Transcomunicação como Arte (do latim ars, significando técnica e/ou habilidade) geralmente é entendida como a atividade mista humana e transcendental ligada a manifestações de ordem estética ou comunicativa, realizada a partir da percepção, das emoções e das idéias transmitidas por um ou vários agentes transcendentais a um ou vários agentes humanos, com o objetivo de estimular essas instâncias da consciência e dando um significado único e diferente para cada obra recebida.

A Transcomunicação é Instrumental quando se vale de agentes humanos operando com técnica uma grande variedade de meios e materiais, que quando baseados em aparelhos eletrônicos são denominados de instrumentos receptores, tais como fotografia digital, música eletrônica (fala sintetizada, sons em geral com ou sem ritmo), textos (em frases faladas gravadas eletronicamente), cinema digital (vídeos em geral), rádio, entre outros. comentário não assinado de 187.121.13.206 (discussão • contrib) 16h38min de 20 de novembro de 2013‎ (UTC)[]

Se você puder providenciar algumas referências que deem suporte a este texto? Só então poderemos trabalhar as propostas. -- • Diogo P. Duarte • (discussão) 15h49min de 20 de novembro de 2013 (UTC)[]

Oi Diogo vou preparar com calma e expor, acho que podemos chegar a um bom termo com esse verbete, uma vez que tem consistência e expressa muito do que ocorre nesse campo. Gratissimo! Abraço Forte comentário não assinado de 187.121.13.206 (discussão • contrib) 16h59min de 20 de novembro de 2013‎ (UTC)[]

Ok. Vamos melhorar o artigo! P.S.: Por favor assine seus comentários usando ~~~~. • Diogo P. Duarte • (discussão) 16h14min de 20 de novembro de 2013 (UTC)[]
Regressar à página "Transcomunicação instrumental".