Abrir menu principal
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde maio de 2012). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.

O Duque de Esparta ( grego : Δοὺξ τῆς Σπάρτης; transl. Doúx tí̱s Spárti̱s ) ( grego moderno : Δούκας της Σπάρτης; transl. Doúkas ti̱s Spárti̱s ) foi um título instituído em 1868 para designar o Príncipe Herdeiro do Reino da Grécia. Seu estatuto jurídico era excepcional, já que a constituição grega proibia a concessão ou a aceitação de títulos de nobreza por parte dos cidadãos gregos. Por isso, foi usado principalmente no exterior, embora também em uso não-oficial na Grécia. Em 1868, quando o Príncipe Constantino (mais tarde Rei como Constantino I) nasceu, o Rei Jorge I baixou um decreto segundo o qual Constantino, bem como qualquer futuro Herdeiro da Coroa Grega, receberia o título de "Duque de Esparta". No entanto, este decreto era contrário à Constituição grega, já que títulos de nobreza nunca existiram na Grécia e a constituição grega expressamente os proibia. Isso levou a um debate tempestuoso no Parlamento, mas o governo do dia apoiou o Rei no argumento de que o dispositivo constitucional não se aplica aos membros da Família Real, mesmo que em seu texto não fizesse nenhuma distinção. O decreto foi finalmente aprovado pelo Parlamento, mas o uso do título de "Duque de Esparta" na Grécia mais tarde caiu em desuso. No entanto, o Príncipe herdeiro Constantino era conhecido como "Sua Alteza Real o Duque de Esparta" na cena internacional desde o seu nascimento até sua ascensão em 1913. Isto novamente levou à incompreensão de diversas publicações respeitáveis ​​de que o título de "Duque de Esparta" era sinônimo de "Príncipe da Grécia", e o título teve, assim, que voltar a tona de vez em quando, mas nenhum dos sucessivos Príncipes herdeiros da Grécia foram, oficialmente, assim denominados no país. O termo Diádoco (literalmente, "herdeiro"), e não tem qualquer conotação de um título de nobreza, tem sido historicamente empregado para designar a posição do Príncipe em seu lugar na Grécia.

Príncipe Herdeiro da Grécia
Arms of the Crown Prince of Greece.svg
Brasão de armas do Duque de Esparta
Criado em 1868
Primeiro titular Constantino I da Grécia
Sucessão Constantino Aleixo
Website http://www.greekroyalfamily.gr/

Os Príncipes gregos que detiveram o título de Duque de Esparta foram:

Brasão e bandeiraEditar

Armas do Príncipe Herdeiro da Grécia
Padrão do Príncipe Herdeiro da Grécia

Ver tambémEditar

Referências

  Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.