Abrir menu principal

Edson Leal Pujol

general do exército brasileiro, atual comandante do exército do Brasil
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita referências, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2019). Ajude a inserir fontes confiáveis e independentes. Material controverso que esteja sem fontes deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
General do Exército Brasileiro Coat of arms of the Brazilian Army.svg
Edson Leal Pujol
Nome completo Edson Leal Pujol
Dados pessoais
Nascimento 2 de janeiro de 1955 (64 anos) Rio Grande do Sul Dom Pedrito, RS
Vida militar
Força Exército
Anos de serviço Desde 1 de março de 1971 (48 anos)
Hierarquia General do Exército.gif General de exército
Comandos
Honrarias

Edson Leal Pujol (Dom Pedrito, 2 de janeiro de 1955) é um General de exército do Exército Brasileiro, que atualmente exerce o cargo Comandante do Exército Brasileiro.[1][2]

Carreira militarEditar

Filho do Coronel da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, Péricles Corrêa Pujol, e de Maria Lina Leal Pujol, estudou no Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA) de 1967 a 1970. Iniciou sua carreira militar em 1º de março de 1971, ao ingressar na Escola Preparatória de Cadetes do Exército. Em seguida, estudou na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), sendo declarado Aspirante-a-Oficial em 1977, sendo o primeiro colocado de sua turma de cavalaria. Foi também o primeiro colocado de sua turma de cavalaria na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO) e na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME), recebendo por isso a medalha Marechal Hermes de prata dourada com três coroas.

Ao sair da AMAN, foi designado para servir no 12o. Regimento de Cavalaria Mecanizado, em Porto Alegre, no ano de 1978.

Como oficial-general, comandou a 1ª Brigada de Cavalaria Mecanizada[3], localizada em Santiago, no Rio Grande do Sul. Entre 25 de abril de 2009 e 29 de abril de 2011 foi o Comandante da AMAN[4]. Em seguida, chefiou o Centro de Inteligência do Exército, até março de 2013. No dia 27 de março de 2013, foi nomeado Comandante da Força de Paz na Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (MINUSTAH).[5][6]

Passou o Comando da MINUSTAH em 15 de março de 2014. Na ocasião, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que sua dedicação, seu profissionalismo e sua liderança contribuíram de grande forma para os esforços de estabilização das Nações Unidas no Haiti.[7]

Em seguida, foi nomeado para o cargo de Secretário-Executivo do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República,[8] que exerceu de abril de 2014 a abril de 2015.

Promovido a General de Exército em 31 de março de 2015, foi designado Secretário de Economia e Finanças.[9] Alguns meses depois, assumiu o Comando Militar do Sul, em Porto Alegre-RS, em substituição ao General Antonio Hamilton Martins Mourão.[10]

Exerceu esse cargo de 26 de janeiro de 2016 a 26 de abril de 2018, quando o transmitiu ao General de Exército Geraldo Antonio Miotto.[11]

Assumiu a chefia do Departamento de Ciência e Tecnologia em 4 de abril de 2018, em Brasília-DF.[12]

Em 21 de novembro de 2018, foi anunciado que assumiria o posto de Comandante do Exército Brasileiro, seguindo a tradição de assumir aquele oficial mais antigo da ativa.[13][14]

Em entrevista concedida à Folha de S.Paulo, no dia 24 de novembro de 2018, afirmou que há preconceito na análise do período militar no Brasil.[15]

Assumiu o cargo atual em 11 de janeiro de 2019[1], sucedendo o General Eduardo Villas Bôas.

Referências