Efeito Lilliput

O efeito Lilliput é uma diminuição no tamanho do corpo em espécies animais que sobreviveram a uma grande extinção.[1] O termo foi cunhado em 1993 por Adam Urbanek em seu artigo sobre a extinção de graptolóides.[2]

Gráfico demonstrando uma diminuição no tamanho do corpo após o evento de extinção.

Existem várias hipóteses sobre por que esses padrões aparecem no registro fóssil, alguns dos quais são: a sobrevivência de pequenos táxons, o nanismo de linhagens maiores e a miniaturização evolutiva de estoques ancestrais maiores.[3] Os cientistas acreditam que esse efeito Lilliput foi um precursor da extinção posterior dos animais cerca de 183 milhões de anos atrás, durante o período conhecido como Toarciano.[4][5]

Referências

  1. Twitchett, R.J. (2007). «The Lilliput effect in the aftermath of the end-Permian extinction event». Palaeogeography, Palaeoclimatology, Palaeoecology. 252 (1–2): 132–144. Bibcode:2007PPP...252..132T. doi:10.1016/j.palaeo.2006.11.038 
  2. Urbanek, Adam (1993). «Biotic Crises in the History of Upper Silurian Graptoloids: A Palaeobiological Model». Historical Biology. 7: 29–50. doi:10.1080/10292389309380442 
  3. Harries, P.J.; Knorr, P.O. (2009). «What does the 'Lilliput Effect' mean?». Palaeogeography, Palaeoclimatology, Palaeoecology. 284 (1–2): 4–10. Bibcode:2009PPP...284....4H. doi:10.1016/j.palaeo.2009.08.021 
  4. «Why do organisms shrink?». Tech Explorist (em inglês). 9 de março de 2020. Consultado em 9 de março de 2020 
  5. Rita, Patrícia; Nätscher, Paulina; Duarte, Luís V.; Weis, Robert; De Baets, Kenneth. «Mechanisms and drivers of belemnite body-size dynamics across the Pliensbachian–Toarcian crisis». Royal Society Open Science. 6 (12). 190494 páginas. PMC PMC6936285  Verifique |pmc= (ajuda). PMID 31903197. doi:10.1098/rsos.190494 
  Este artigo sobre evolução é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.