Egídio Michaelsen

político brasileiro
Egídio Michaelsen
Nascimento 27 de fevereiro de 1908
São Sebastião do Caí
Morte 8 de setembro de 1972 (64 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileiro
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Ocupação político

Egídio Michaelsen (São Sebastião do Caí, 27 de fevereiro de 1908Rio de Janeiro, 8 de setembro de 1972) foi um político brasileiro.[1]

Em 1928 forma-se bacharel em ciências jurídicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Em 1935 disputa a prefeitura de São Sebastião do Caí pelo partido de âmbito municipal União dos Filhos do Cahy, o que era permitido pela legislação da época, dissidência do Partido Republicano Liberal (PRL), que apoiou a reeleição de Athos de Moraes Fortes. Vitorioso, permanece à frente do município de 1935 até 1944, mandato este que foi estendido pelo advento do Estado Novo em 1937, quando Getúlio Vargas o confirma como seu homem de confiança em Caí.

Em 1947 elegeu-se deputado à Assembleia Constituinte do Rio Grande do Sul, pelo PTB. Ocupou uma cadeira na Câmara Federal de abril de 1951 a março de 1952, quando foi nomeado secretário do Interior e Justiça do Rio Grande do Sul pelo governador Ernesto Dornelles, em substituição a João Goulart.

Em outubro de 1962 candidatou-se à sucessão do governador Leonel Brizola, mas acabou derrotado por Ildo Meneghetti.

Foi ministro da Indústria e do Comércio do Brasil no governo João Goulart, de 27 de junho de 1963 a 31 de março de 1964.

Referências


Precedido por
Antônio Balbino
Ministro da Indústria e do Comércio do Brasil
1963 — 1964
Sucedido por
Otávio Gouveia de Bulhões


  Este artigo sobre um político é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.