Abrir menu principal

Eglantyne Jebb

ativista britânica
Eglantyne Jebb
Nascimento 25 de agosto de 1876
Ellesmere
Morte 17 de dezembro de 1928 (52 anos)
Genebra
Cidadania Reino Unido, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda
Ocupação ativista

Eglantyne Jebb (25 de Agosto de 1876, Ellesmere, Reino Unido - 17 de Dezembro de 1928, Genebra, Suíça) foi uma ativista reformista e fundadora da Save the Children. Ela escreveu o primeiro rascunho da Declaração Universal dos Direitos da Criança, que eventualmente seria adotado pela Liga das Nações em 1924.

BiografiaEditar

Tendo estudado História na Universidade de Oxford, Eglantyne foi treinada para ser uma professora, mas após um ano ensinando crianças, ela percebeu que essa não era sua vocação. Entretanto, ela notou os efeitos da pobreza na vida das crianças.[1]

Quando ela voltou para Cambridge para cuidar de sua mãe, Eglantyne acabou trabalhando para organização de caridade da região, a Charity Organisation Society (COS), tendo inclusive realizado uma pesquisa em Cambridge.[2] Nesta organização, conheceu Florence Ada Keynes, secretária da unidade COS local, e também conheceu Margaret Keynes, sua filha, com quem manteria uma relação amorosa por muitos anos, até o casamento de Margaret com um homem. A existência ou não dessa relação homoafetiva é o ponto mais controverso da biografia de Eglantyne.[1]

Em 1913, Eglantyne ajudou uma caridade fundada por seu cunhado Charlie Buxton e seu irmão Noel Buxton para a organização Macedonian Relief Fund, uma caridade criada para ajudar refugiados da Segunda Guerra Balcânica. Ela voltou para a Inglaterra poucos meses antes da Primeira Guerra Mundial, onde ela trabalhou em um projeto de sua irmã, onde importavam e traduziam jornais estrangeiros, afim de demonstrar os verdadeiros efeitos da guerra aos civis dos países inimigos.[1]

Save the ChildrenEditar

Com o Império Áustro-Hungaro e o Império Alemão entrando em colapso, ficou claro que as crianças nesses países estavam sofrendo cada vez mais por alimentos. As irmãs fundaram o Fight the Famine Council, um grupo para pressionar a Inglaterra a encerrar o bloqueio naval contra os países e garantir o tráfego de navios para esses países.[1] Entretanto, o foco mudou rapidamente com o fim da guerra. O grupo agora se chamava Save the Children Fund, e agora arrecadam doações para prover serviços assistenciais para as vítimas da guerra. Com o sucesso da organização, um capítulo internacional foi lançado por Eglantyne e Dorothy em Genebra, com ajuda do capítulo britânico e o capítulo sueco.

Declaração Universal dos Direitos da CriançaEditar

Com a queda nas doações ao fundo no começo da década de 20, Eglantyne planejou e realizou pesquisas científicas, além de encontros com outras organizações de bem estar para crianças. A declaração também servia para promover o capítulo internacional da Save the Children, que não tinha tantos membros quanto o capítulo britânico. A declaração foi adotada pela Liga das Nações em 1924.[1][3][4]

Morte e legadoEditar

Após anos com um problema de tiroide, Eglantyne Jebb morreu em uma casa de repouso em Genebra em 1928.[1]

Referências

  1. a b c d e f Mulley, Clare. (2009). The woman who saved the children : a biography of Eglantyne Jebb founder of Save the Children (em inglês). Oxford: Oneworld. ISBN 9781851686575. OCLC 271080917 
  2. Matthew, H. C. G.; Harrison, B., eds. (23 de setembro de 2004). «The Oxford Dictionary of National Biography». Oxford: Oxford University Press (em inglês). doi:10.1093/ref:odnb/34165. Consultado em 5 de junho de 2019. (pede subscrição (ajuda)) 
  3. Zeldin, Wendy (2012). «Children's Rights: International Laws | Law Library of Congress». www.loc.gov (em inglês). Library of Congress. Consultado em 5 de junho de 2019 
  4. «Convenção sobre os Direitos da Criança». www.unicef.org. Consultado em 5 de junho de 2019 

Ligações externasEditar