Electrick Children

filme de 2012 dirigido por Rebecca Thomas
Electrick Children
A Fita Azul (BRA)
 Estados Unidos
2012 •  cor •  96 min 
Direção Rebecca Thomas
Produção Jessica Caldwell
Richard Neustadter
Roteiro Rebecca Thomas
Gênero drama
Música Eric Colvin
Cinematografia Mattias Troelstrup
Edição Jennifer Lilly
Companhia(s) produtora(s) Live Wire Films
Distribuição Phase 4 Films
Lançamento Estados Unidos 15 de março de 2012 (South by Southwest Film Festival)
 Brasil 24 de janeiro de 2014
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Electrick Children (Brasil: A Fita Azul é um filme independente do gênero drama lançado em 2012.

EnredoEditar

Uma garota de 15 anos, Rachel McKnight, membro de uma comunidade fundamentalista mórmon em Utah, que, ouvindo um gravador de cassetes, pela primeira vez, ouve uma música de uma banda de rock obscura em uma fita azul. Seu irmão, o Sr. Will, toma-a dela, afirmando que é para ser usado apenas para os propósitos de Deus. Quando ela encontra-se grávida, ela está convencida de que ela concebeu milagrosamente, como a Virgem Maria, por meio da cassete. Depois de ser questionada por seus pais, seu irmão é acusado de impregnar-la, e é convidado a deixar a comunidade, enquanto Rachel é dito que ela vai se casar no dia seguinte.

Ao invés de passar por um casamento forçado arranjado por seu pai Paul, ela foge para Las Vegas, juntamente com o Sr. Will, que está dormindo na cama da camionete da família. Em Las Vegas, ela cai nas mãos de um grupo de skatistas que vivem juntos e são de uma banda, depois de ser atraída para um dos meninos que veste uma camisa com uma cassete nele. Ela se envolve romanticamente com Clyde, um dos skatistas. Uma noite, ele se oferece para casar com ela, e diz que juntos eles podem olhar para o homem na fita, e que ela pode deixá-lo quando encontrá-lo. Quando uma viagem para casa dos pais de Clyde vai mal, o Sr. Will é preso e Rachel foge.

Lembrando uma das histórias de ninar de sua mãe, ela impulsivamente segue um Ford Mustang vermelho e descobre o homem que gravou a fita é de fato seu pai biológico. Finalmente, ela decide voltar para sua comunidade. Sr. Will é socorrido da prisão pelo pai de Rachel, que está olhando por ela. Juntos, ele e Sr. Will dirigem para a comunidade, apesar de admitir que eles não formaram um plano sobre o que fazer quando chegarem. Eles descobrem que Clyde teve a van quebrada na estrada e avançam para a comunidade. Como ela está prestes a se casar, seu pai biológico, o Sr. Will e Clyde vão para frente da igreja no Mustang vermelho e resgatam-a.

Sr. Will retorna para a comunidade com uma gravação que Rachel fez na cassete azul. Depois de ouvir a gravação de sua mãe, ela o abraça e sai da sala. Agora, Rachel acredita firmemente que Deus é pai de seu filho. Clyde e Rachel estão vivendo em uma barraca na praia e com as mãos dadas enquanto andam através das ondas ao som da música na cassete azul.

ElencoEditar

ProduçãoEditar

A diretora Rebecca Thomas foi criada como um Mórmon. Ela primeiro pesquisou o fundamentalisto mórmon para um documentário, e mais tarde foi inspirado por Pier Paolo Pasolini em O Evangelho Segundo São Mateus.[1]

LançamentoEditar

O filme foi exibido pela primeira vez na Europa, no Film Festivalon International em Berlin em 10 de fevereiro de 2012, nos Estados Unidos no South by Southwest Film Festival em 15 de Março de 2012,[2] e na América do Sul no Festival Internacional de Independent Cinema em Buenos Aires em abril de 2012.[3] O lançamento geral foi no dia 8 de março de 2013.[4]

RecepçãoEditar

Electrick Children teve recepção mista por parte da crítica especializada. Com base de 9 avaliações profissionais, alcançou uma pontuação de 60 em 100 no Metacritic.[5]

Stephen Holden, do New York Times disse que o filme era "nem comédia, nem drama, nem sátira, mas uma mistura surreal infundido com realismo mágico." Ele criticou a falta de continuidade narrativa, mas disse que "doçura subjacente do filme deixa um brilho residual."[6]

Catherine Shoard do The Guardian disse que o filme foi "tão habilmente feito é que de três partes de encantamento tem uma parte para irritação." Ela chamou o desempenho do Garner "magnético", e disse que a comunidade de McKnight foi retratada de forma convincente.[7] Lelie Felperin do Variety chamou-lhe de "uma doce fatia de capricho indie."[1]

Referências

  1. a b «Thomas: Mormon upbringing fuels unique coming-of-ager» (em inglês). Variety. Consultado em 15 de abril de 2015 
  2. «SXSW: 'Electrick Children' offers a charge that's more promising than profound» (em inglês). Hitflix. Consultado em 15 de abril de 2015. Arquivado do original em 14 de abril de 2014 
  3. «BAFICI 2012» (em inglês). Mubi. Consultado em 15 de abril de 2015 
  4. «Electrick Children — A Hammer To Nail Review» (em inglês). Filmmakermagazine. Consultado em 15 de abril de 2015 
  5. «Electrick Children» (em inglês). Metacritic. Consultado em 12 de abril de 2015 
  6. «Young, Pregnant, Gone to Vegas: 'Electrick Children,' Directed by Rebecca Thomas» (em inglês). NyTimes. Consultado em 15 de abril de 2015 
  7. «Young, Pregnant, Gone to Vegas: 'Electrick Children,' Directed by Rebecca Thomas» (em inglês). NyTimes. Consultado em 15 de abril de 2015 

Ligações externasEditar