Abrir menu principal

Wikipédia β

Eleições gerais no Japão em 2017

A 48ª eleição geral dos membros da Câmara dos Representantes (第48回衆議院議員総選挙, dai-yonjūhachikai Shūgiin giin sōsenkyo?) ocorreu em 22 de outubro de 2017. A votação ocorreu em todos os constituintes dos representantes do Japão - 289 distritos membros e onze blocos proporcionais - para nomear todos os 465 membros (abaixo de 475) da Câmara dos Representantes do Japão, a câmara baixa da bicameral Dieta Nacional do Japão. A coalizão governamental do Partido Liberal Democrata (PLD), do primeiro-ministro Shinzō Abe, e do Komeito obteve uma vitória esmagadora à luz da fraca oposição, conquistando seu quarto mandato e mantendo uma supermaioria de dois terços para rever o artigo 9 da Constituição japonesa, que faz o país renunciar à guerra.[1][2]

‹ 2014 • Flag of Japan.svg • 2021
Eleições gerais no Japão em 2017
465 lugares da Câmara dos Representantes
233 lugares para obter maioria absoluta
22 de outubro de 2017
Shinzō Abe at Hudson Institute (cropped).jpg
Partido Liberal Democrata (PLD)
Votos: 18.555.717  
Lugares obtidos: 284  
  
33.27%
Yukio Edano cropped 2 Yukio Edano 201210.jpg
Partido Democrático Constitucional (PDC)
Votos: 11.084.890  
Lugares obtidos: 55  
  
19.87%
Yuriko Koike cropped.jpg
Partido da Esperança
Votos: 9.677.524  
Lugares obtidos: 50  
  
17.35%
Natsuo Yamaguchi-1.jpg
Novo Komeito (NPK)
Votos: 6.997.712  
Lugares obtidos: 29  
  
12.55%
Kazuo Shii in SL Square in 2017.jpg
Partido Comunista (PCJ)
Votos: 4.404.081  
Lugares obtidos: 12  
  
7.90%
Ichiro Matsui Ishin IMG 5775 20130713 cropped.jpg
Nippon Ishin no Kai
Votos: 3.387.097  
Lugares obtidos: 11  
  
6.07%
Tadatomo Yoshida cropped 2 Masaharu Nakagawa Mizuho Fukushima and Tadatomo Yoshida 201204.jpg
Partido Social Democrata (PSD)
Votos: 0.941.324  
Lugares obtidos: 2  
  
1.69%
Eleições gerais no Japão em 2017
Resultados eleitorais por partido

Emblem of the Prime Minister of Japan.svg
Primeiro-Ministro do Japão

As primeiras eleições foram chamadas no meio da ameaça de mísseis da Coreia do Norte e da desordem do maior partido de oposição, o Partido Democrático. Poucas horas antes do anúncio de Abe sobre as rápidas eleições de 25 de setembro, a governadora de Tóquio, Yuriko Koike, lançou um novo partido reformista conservador, o Kibō no Tō, o Partido da Esperança, que foi visto como uma alternativa viável para a coalizão governante. Isso logo levou à dissolução do Partido Democrático e seus membros foram para o Kibō no Tō. No entanto, a ala liberal do Partido Democrático que Koike se recusou a nomear, formou o Partido Democrático Constitucional do Japão (CDP) liderado por Yukio Edano, o que dividiu a oposição ao meio.[3] A eleição se transformou em um pleito de três vias, quando o CDP se juntou ao Partido Comunista Japonês e ao Partido Social Democrata em uma plataforma comum que se opõe à revisão constitucional. Apesar do Kibō no Tō ter ficado aquém da expectativa, o CDP surgiu nas pesquisas nos últimos dias antes da eleição e bateu Kibō no Tō para emergir como o primeiro partido da oposição.[4]

Apesar de terem sido interrompidas pelo Tufão Lan, as eleições viram um ligeiro aumento na taxa de participação (53,68%), mas ainda foi a segunda mais baixa no Japão pós-guerra.[5] A menor participação foi registrada em 2014.[6] Foi também a primeira eleição depois que a idade de votação foi reduzida de 20 para 18.[7] Abe também se tornou o primeiro primeiro-ministro a conquistar três eleições gerais consecutivas desde 1953 e o primeiro líder do PLD a fazer isso. Ele também deve ser o primeiro ministro a servir por mais tempo no cargo se ele terminar seu mandato completo de quatro anos.[8]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Shinzo Abe volta a vencer as eleições no Japão. Ao que tudo indica, com maioria absoluta». Observador. 22 de outubro de 2017. Consultado em 28 de outubro de 2017 
  2. «Shinzo Abe gains big victory in Japan election». Financial Times. 22 de outubro de 2017 
  3. «How Japanese PM Shinzo Abe won a sweeping electoral triumph». Financial Times. 22 de outubro de 2017 
  4. «立憲民主党、野党第1党が確実(衆院選2017)». Huffington Post. 22 de outubro de 2017 
  5. «Japão: Pesquisas indicam vitória de coalizão de Abe em eleições legislativas». O Globo. Consultado em 28 de outubro de 2017 
  6. «Election turnout likely second-lowest in postwar period, estimate says». The Japan Times. 23 de outubro de 2017 
  7. Umeda, Sayuri. «Japan: Voting Age Lowered from 20 to 18». Library of Congress 
  8. Rich, M. (22 de novembro de 2017). Japan Election Vindicates Shinzo Abe as His Party Wins Big. New York Times. Acessado em 27 de novembro de 2017, from https://www.nytimes.com/2017/10/22/world/asia/japan-election-shinzo-abe.html?_r=0
  Este artigo sobre eleições ou plebiscitos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.