Empresas Públicas de Medellín

Empresas Públicas de Medellín, também conhecida pela sigla EPM, é um grupo empresarial controlado pela prefeitura de Medellín, capital do departamento de Antioquia, na Colômbia. O grupo atua nas área de geração e distribuição de energia elétrica, tratamento e distribuição de água, coleta e tratamento de esgoto, distribuição de gás encanado, coleta e destinação de resíduos sólidos, serviços de telecomunicação, entre outros, e presta serviços não apenas para a prefeitura de Medellín, como também para outras cidades da Colômbia e da América Latina.[1]

EPM
Slogan Estamos ahí (Estamos aí)
Atividade Saneamento Básico, Telecomunicações, Energia Elétrica
Fundação 06 de agosto de 1955
Sede Medellín
Área(s) servida(s)  Colômbia
 Panamá
 Guatemala
 Chile
El Salvador
 México
 Estados Unidos
Flag of Spain.svg Espanha
Proprietário(s) Prefeitura Municipal de Medellín
Produtos Serviços de Água
Serviços de Saneamento Básico
Gestão de Resíduo sólido
Website oficial www.epm.com.co

A empresa é considerada referência internacional em matéria de governança corporativa de empresas públicas [2] [3]. Em 2018, 25% do orçamento da prefeitura de Medellín teve origem nas transferências lucro da empresa para os cofres municipais (o equivalente a 300 milhões de dólares por ano) [4].

HistóriaEditar

A EPM foi criada em 1920,[5] com a função de gerir o sistema de bondes elétricos de Medellín. Na década de 50 tornou-se responsável pela geração e distribuição de energia elétrica do município [6].

A atuação do Banco Mundial foi determinante para o desenvolvimento da empresa. Durante o período de desenvolvimento da empresa, órgão estabelecia como condições para a concessão de crédito a adoção de uma série de normas contábeis e administrativas, aumentando os níveis de transparência e de qualidade de gestão da EPM - contribuindo para a melhoria dos indicadores de desempenho da empresa e a expansão dos serviços públicos. Tal influência teve efeitos importantes para que fossem aprovados regras de governabilidade capazes de estabelecer critérios claros de autonomia administrativa com relação aos políticos eleitos [7], acelerando a capacidade da empresa em integrar e modernizar a gestão de três serviços públicos básicos até então operados: energia, água e telefonia.

A EPM inaugurou sua primeira sede em 1957, no centro de Medellín. Neste período a cidade chegava aos 500 mil habitantes, com um crescimento anual de 30 mil habitantes. Desde então a empresa tem executado projetos de grande porte e complexidade dentro e fora de Medellín, com o apoio e financiamento de entes como o Banco Mundial, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Banco de Desenvolvimento da América Latina - Corporação Andina de Fomento (CAF), o Governo Nacional Colombiano e também através do financiamento direto da população, via pagamento de taxas ou impostos.

Entre os principais projetos executados pela EPM constam a construção de usinas hidrelétricas e a construção de redes de transmissão de energia, contribuindo para a criação do sistema interconectado nacional colombiano e para a venda da energia gerada em Antioquia para o restante da Colômbia.

Nos últimos anos a empresa tem se expandido para outros mercados regionais fora de Antioquia graças a aquisição de ações de outras empresas via o Grupo Empresarial EPM (holding). Entre as empresas sob controle do Grupo hoje em dia constam EDATEL, EMTELSA, EMTELCO, ETP, EPM Bogotá e Colombia Móvil.

A EPM inaugurou em 1997 sua nova sede,[8] um edifício totalmente informatizado e conhecido popularmente como "Edifício Inteligente", onde se administra o que hoje é o maior grupo empresarial de serviços públicos da Colômbia.

Em agosto de 2000 foi criada a Fundação Empresas de Públicas de Medellín[9]. A fundação desenvolve programas e projetos sociais em comunidades onde as atividades da EPM possuem maior impacto - potencializando a atuação do governo municipal no enfrentamento de questões estruturais como a pobreza e a segregação urbana [10].

Referências

  1. Portal EPM, Site oficial Empresas Públicas de Medellín. Acesso em 06 de julho de 2019
  2. Jorge Luis Rodríguez "Fortalecimento Institucional y de Gestión de Empresas Públicas de Medellín (EPM) Basado En La Implementación de Prácticas de Gobierno Corporativo" Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Nota técnica #IDB-TN-391, Página 6. Acesso em 06 de julho de 2019
  3. Andrés Bernal, Andrés Oneto, Michael Penfold, Lisa Schneider e John Wilcox "Gobierno Corporativo en América Latina. Importancia para las Empresas de Propiedad Estatal" Corporação Andina de Fomento - Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), Serie Políticas Públicas y Transformación Productiva N° 6 / 2012, Página 55. Acesso em 06 de julho de 2019
  4. Leo Branco "Avanço na segurança foi conjunto, diz prefeito de Medellín" Revista Exame Online. Acesso em 06 de julho de 2019
  5. http://www.epm.com.co/site/Home/Institucional/Historia.aspx
  6. Villegas Botero, Luis Javier (1 de janeiro de 2009). «Los servicios públicos en Medellín: Las empresas públicas, un modelo de calidad para las ciudades colombianas». Banco de la Republica de Colombia. Consultado em 28 de maio de 2015 
  7. Ashoka (27 de janeiro de 2015). «The Transformation Of Medellín, And The Surprising Company Behind It». Forbes Magazine. Consultado em 28 de maio de 2015 
  8. http://www.epm.com.co/site/Home/Institucional/EdificioEPM.aspx
  9. Site oficial da Fundação Empresas Públicas de Medellín (28 de maio de 2015). «Site da Fundação EPM». Site oficial da Fundação Empresas Públicas de Medellín. Consultado em 28 de maio de 2015 
  10. EPM, Unidades de Vida Articulada (UVA). Empresas Públicas de Medellín. Acesso em 06 de julho de 2019

Veja tambémEditar