Erich Mielke

Erich Mielke
Nascimento 28 de dezembro de 1907
Berlim
Morte 21 de maio de 2000 (92 anos)
Berlim
Sepultamento Cemitério Central Friedrichsfelde
Cidadania Império Alemão, República de Weimar, União Soviética, Alemanha Oriental, Alemanha
Ocupação oficial, político
Prêmios Herói da União Soviética, Ordem de Lenin, Ordem da Revolução de Outubro, Ordem do Estandarte Vermelho, Ordem da Guerra Patriótica 1ª classe, Medalha ao Serviço Distinto na Vigilância das Fronteiras do Estado, Ordem de Karl Marx, Ordem de Scharnhorst, Insígnia do Trabalho, Ordem da Amizade, Medalha Comemorativa do 40.º Aniversário da Vitória na Grande Guerra Patriótica de 1941-1945

Erich Fritz Emil Mielke (alemão: [ˈeːʁɪç ˈmiːlkə]; 28 de dezembro de 1907 - 21 de maio de 2000) foi um oficial comunista alemão que serviu como chefe do Ministério da Segurança do Estado da Alemanha Oriental (Ministerium für Staatsicherheit - MfS), mais conhecido como Stasi, de 1957 até pouco depois da queda do Muro de Berlim em 1989.

Nascido em Berlim e membro da segunda geração do Partido Comunista da Alemanha, Mielke foi um dos dois pistoleiros nos assassinatos de 1931 dos capitães da polícia de Berlim, Paul Anlauf e Franz Lenck. Depois de saber que uma testemunha havia sobrevivido, Mielke escapou da prisão fugindo para a União Soviética, onde o NKVD o recrutou. Ele foi uma das figuras-chave na dizimação dos comunistas alemães de Moscou durante o Grande Expurgo,[1] bem como na perseguição selvagem de suspeitos de antiestalinistas na Brigada Internacional durante a Guerra Civil Espanhola.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial em 1945, Mielke retornou à Zona Soviética da Alemanha Ocupada, que ajudou a organizar em um estado satélite marxista-leninista sob o Partido da Unidade Socialista (SED), mais tarde se tornando chefe da Stasi; de acordo com John Koehler, ele foi "o chefe da polícia secreta mais antigo no Bloco Soviético".[2]

A Stasi sob Mielke foi chamada pelo historiador Edward N. Peterson, o " aparato policial de estado mais difundido que já existiu em solo alemão".[3] Em uma entrevista de 1993, o sobrevivente do Holocausto e caçador de nazistas Simon Wiesenthal disse que, se considerarmos apenas a opressão de seu próprio povo, a Stasi sob Mielke "era muito, muito pior do que a Gestapo".[4]

Durante as décadas de 1950 e 1960, Mielke liderou o processo de formação forçada de fazendas coletivizadas a partir de fazendas familiares da Alemanha Oriental, o que enviou uma enxurrada de refugiados para a Alemanha Ocidental. Em resposta, Mielke supervisionou a construção (1961) do Muro de Berlim e co-assinou ordens para atirar fatalmente em todos os alemães orientais que tentassem deixar o país. Ele também supervisionou o estabelecimento de estados policiais pró-soviéticos e insurgências paramilitares na Europa Ocidental, América Latina, África e Oriente Médio.

Além de seu papel como chefe da Stasi, Mielke também era general do Exército Nacional do Povo (Nationale Volksarmee) e membro do Politburo governante do SED.[5] Apelidado de "The Master of Fear"  (alemão: der Meister der Angst) pela imprensa da Alemanha Ocidental, Mielke era um dos homens mais poderosos e odiados da Alemanha Oriental.[6]

Após a reunificação alemã em 1990, Mielke foi processado (1992), condenado e encarcerado (1993) pelos assassinatos de Paul Anlauf e Franz Lenck em 1931. Libertado da prisão devido a problemas de saúde em 1995, ele morreu em uma casa de repouso em Berlim em 2000.

BibliográfiaEditar

  • Buckley, Jr., William F. (2004), The Fall of the Berlin Wall, John Wiley & Sons, Inc.
  • Funder, Anna (2003), Stasiland: True Stories from Behind the Berlin Wall, Granta Books, London.
  • Koehler, John O. (1999). Stasi: The Inside Story of the East German Secret Police. [S.l.]: West View Press. ISBN 0-8133-3409-8 
  • Kerr, Philip (2011). Field Grey. [S.l.]: Quercus. ISBN 978-1-84916-414-6 
  • Kießling, Wolfgang (1998). Leistner ist Mielke. Schatten einer gefälschten Biographie (em alemão). Berlin: Aufbau Taschenbuch Verlag. ISBN 3-7466-8036-0 
  • Kuchel, Dany (2011) "Le Glaive et le Bouclier", une histoire de la Stasi en France.
  • Otto, Wilfriede, Erich Mielke, Biographie: Aufstieg und Fall eines Tschekisten. Dietz-Verlag, Berlin 2000, ISBN 978-3-320-01976-1.
  • Peterson, Edward N. (2002). The Secret Police and the Revolution: The Fall of the German Democratic Republic, Praeger Publications, Westport, Connecticut. London. ISBN 0-275-97328-X
  • Pickard, Ralph (2007). STASI Decorations and Memorabilia, A Collector's Guide. Frontline Historical Publishing. ISBN 978-0-9797199-0-5
  • Pickard, Ralph (2012). STASI Decorations and Memorabilia Volume II. Frontline Historical Publication. ISBN 978-0-9797199-2-9

Referências

  1. John O. Koehler, The Stasi; The Untold Story of the East German Secret Police, page 51.
  2. Koehler (1999), page 72.
  3. Peterson (2002), page 24.
  4. Koehler (1999), page 8.
  5. «Erich Mielke» – via The Economist 
  6. Fitzmaurice, James. «Obituaries: Erich Mielke». The Guardian