Abrir menu principal

Ermida da Nossa Senhora de Mércoles

igreja em Castelo Branco, Portugal
Ermida da Nossa Senhora de Mércoles
Ermida de Nossa Senhora de Mécoles.
Nomes alternativos Senhora de Mércoles
Geografia
País Portugal Portugal
Cidade Castelo Branco

A Ermida de Nossa Senhora de Mércoles, ou simplesmente Senhora de Mércoles, é um pequeno santuário situado a cerca de três quilómetros da cidade de Castelo Branco.

HistóriaEditar

António Roxo afirmou não ter conhecimento algum sobre a origem do termo mércoles,[nota 1] mas aceita-se que no local teria havido um templo dedicado ao deus pagão Mercúrio e haveria também, todas as primaveras, um culto a ele dedicado - a Mercurália. Na verdade mércoles significa dia de Mercúrio e num processo de aculturação, o cristianismo teria absorvido e reformulado o culto pagão no culto à Virgem Maria, sob a invocação de Mércoles.

CapelaEditar

Não se sabe desde quando existe no local o culto a Nossa Senhora mas na atualidade existe no santuário uma capela que foi construída, ou reconstruída, pelos Templários.[2] Atualmente realiza-se no santuário numa festividade religiosa, acompanhada por uma feira popular, que tem início no terceiro domingo de Páscoa e dura três dias. Porfírio da Silva referiu na sua monografia que, embora a devoção a Nossa Senhora seja anterior,[nota 2] a festividade tem origem numa romaria que se começou a fazer ao santuário, em 1601, no dia do Bom Pastor, por os albicastrenses atribuírem a Nossa Senhora de Mércoles o facto de os ter livrado de uma epidemia.[nota 3]

Notas e referências

Notas

  1. "Ignora-se quando e quem edificou esta capela e também não se sabe donde lhe provenha a designação de Mércoles".[1]
  2. "Afirma a tradição que a capela foi construída pelos Templários e que a imagem da Santa terá aparecido numa quarta-feira (...) pode supor-se que a devoção o povo para com a santa é anterior a 1601".[1]
  3. "Algum embelezamento se tem feito no exterior da capela por conta da sua mordomia que cuida da sua conservação e do culto da Senhora, o qual é festejado no domingo do Bom Pastor, dia em que a Câmara Municipal tem a obrigação de acompanhara procissão que vai d'esta cidade até àquela ermida em desempenho de um voto que se fez em Câmara aos 2 de julho de 1601, em agradecimento à Senhora de Mércoles por livrar os habitantes da então vila de Castelo Branco da maligna epidémica que aquele ano e alguns precedentes grassara nesta povoação, como consta do livro das vereações, na folha 122"[3]

Referências

  1. a b Roxo, António (1890). Monographia de Castelo Branco. [S.l.: s.n.] 
  2. Nunes, António Lopes Pires (2015). Castelo Branco, das Origens à Actualidade. Castelo Branco: Almondina 
  3. Silva, Porfírio da (1853). Memorial Chronológico e Descriptivo da cidade de Castelo Branco. [S.l.: s.n.]