Diferenças entre edições de "Movimento (música)"

756 bytes removidos ,  20h37min de 22 de março de 2020
Artigo referenciado.
m (Página marcada para candidato a artigo)
(Artigo referenciado.)
{{Sem-Mais fontes|data=abrilmarço de 20102020}}
{{Artigo insuficiente|1=Artigo marcado como "sem fontes" há 10 anos. Foi criado [[Wikipédia:Esplanada/geral/Sem fontes há 10 anos: abril de 2010 (04fev2020)|um tópico na Esplanada]] para apontar este problema e buscar uma solução, mas ninguém demonstrou interesse nesse artigo específico, e o problema persiste. '''Entretanto, ao menos um interwiki permitiria referenciá-lo, se a informação fosse traduzida e transportada para a Wikipédia lusófona''' -- o inglês, e/ou o espanhol, e/ou o do idioma pertinente ao tema tratado. Portanto, presumo possuir potencial e não devo enviar para eliminação. Dando uma última chance ao artigo, trago para quem aqui quiser referenciá-lo.|2=[[Usuário(a):MisterSanderson|Mister Sanderson]] ([[Usuário(a) Discussão:MisterSanderson|discussão]]) 21h09min de 24 de fevereiro de 2020 (UTC)}}
{{Sem-fontes|data=abril de 2010}}
As partes de uma [[composição musical]] podem ser denominadas '''movimentos'''. Normalmente as [[suíte]]s, [[sonata]]s, [[sinfonia]]s, [[concerto]]s e outras do gênero é que possuem suas partes divididas em "movimentos".
 
Um movimento é uma parte independente de uma composição ou forma musical. Enquanto movimentos individuais ou selecionados de uma composição são realizados às vezes separadamente, uma execução do trabalho completo exige que todos os movimentos sejam executados em sucessão. Um movimento é uma seção, "uma grande unidade estrutural percebida como resultado da coincidência de um número relativamente grande de fenômenos estruturais".<ref>{{Citar livro|url=http://archive.org/details/practicalapproac0000spen|título=A practical approach to the study of form in music|ultimo=Spencer|primeiro=Peter|editora=Waveland Press|ano=1994|local=[[Prospect Heights]]|página=31}}</ref>
Obras que contém mais de uma música (ou mais de uma parte musical) geralmente classificam suas partes como movimentos. Este termo vem desde o renascimento (e talvez antes) sendo usado especialmente, nesta época, para as [[suíte]]s que possuem muitas partes onde cada qual era um movimento distinto (com forma de composição diferenciada).
 
{{Citação2|Uma unidade de um trabalho maior que pode permanecer por si só como uma composição completa. Tais divisões são geralmente independentes. Na maioria das vezes, a sequência de movimentos é organizada rápido-lentamente-rapidamente ou em alguma outra ordem que forneça contraste.|Benward & Saker (2009), Music in Theory and Practice: Volume II}}
Dividir as músicas em movimentos ajudou a composição, a dança, a interpretação e a compreensão de peças longas ou peças cujas partes tem contrastes muito grandes. Numa suíte (o [[Quebra Nozes]] de [[Tchaikovsky]], por exemplo) cada cena corresponde a um movimento: uma música especial, uma dança e uma história que será outra coisa (porém com o tema comum) no próximo movimento.
 
==Exemplos==