Diferenças entre edições de "Estado do Brasil"

760 bytes adicionados ,  22h28min de 5 de maio de 2020
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 2804:7f5:f480:e690:3cd0:563e:6c0a:8d55, com Reversão e avisos)
Com a falência do sistema de [[capitanias hereditárias]] — uma vez que somente as capitanias de [[Capitania de Pernambuco|Pernambuco]] e [[Capitania de São Vicente|São Vicente]] prosperaram —, [[João III de Portugal|Dom João III]] cria o cargo de [[governador-geral do Brasil]], através do [[Regimento do Governador-Geral|Regimento de 17 de dezembro de 1548]].<ref>Arquivo Nacional. Memória da Administração Pública Brasileira. Governador-geral do Estado do Brasil. [http://www.an.gov.br/sian/inicial.asp] e [http://www.an.gov.br/sian/Mapa/Exibe_Pesquisa.asp?v_tela=ver_consulta_orgao_consulta.asp&v_Orgao_ID=8757]</ref>
 
Apesar de, no regimento de 1548, o cargo ser referido como "governador ''[das]'' terras do Brasil", em documentos posteriores, ele seria referido como "governador-geral do Estado do Brasil".
 
O primeiro governador-geral vindo para o Brasil, em 1549, foi [[Tomé de Souza]], o qual possuía os seguintes auxiliares:<ref>Varnhagen, F. A. (1854-1857). ''Historia geral do Brazil''. Rio de Janeiro: Laemmert, 1898. [https://books.google.com.br/books?id=MWoCAAAAYAAJ Tomo I (1854)], [https://books.google.com.br/books?id=pEZbAAAAcAAJ Tomo II (1857)].</ref>
* [[provedor-mor]] (fazenda): [[António Cardoso de Barros]];
* [[ouvidor-mor]] (justiça): Pero Borges;<ref>Schwartz, S. B. (1973). ''Sovereignty and Society in Colonial Brazil: The High Court of Bahia and Its Judges, 1609–1751''. Berkeley: University of California Press. [https://books.google.com.br/books?id=t7jADwAAQBAJ link].</ref>
* [[capitão-mor]] da costa (defesa): [[Pero de Góis]].
 
Com capital em [[Salvador (Bahia)|Salvador]], na [[capitania da Baía de Todos os Santos]], o território do Estado do Brasil estendia-se da altura do atual [[Rio Grande do Norte]] até à do atual [[Rio Grande do Sul]].
4 542

edições