Abrir menu principal

Estação Bibliothèque François-Mitterrand

Bibliothèque François-Mitterrand
A estação vista do mezanino.
Uso atual Estação de metropolitano
Administração RATP Metrô de Paris
Linhas Linha 14
Código 15-03 e BIB
Tipo de estação Subterrânea
Plataforma 2
Informações históricas
Inauguração 15 de outubro de 1998
Próxima estação
Sentido Saint-Lazare Paris m 14 jms.svg Sentido Olympiades
Cour Saint-Émilion Olympiades
Bibliothèque François-Mitterrand

Bibliothèque François-Mitterrand é uma estação da linha 14 do Metrô de Paris, localizada no 13.º arrondissement de Paris.

Índice

SituaçãoEditar

A estação de metrô está situada paralela à rue de Tolbiac, sob as vias férreas vindas da Gare de Paris-Austerlitz, na proximidade do sítio François-Mitterrand, da Biblioteca Nacional da França.

HistóriaEditar

A estação foi até 25 de junho de 2007 o terminal da linha, antes da inauguração da extensão para Olympiades. Os últimos acessos (n° 3 - rue René-Goscinny - e o elevador levando à rue Primo-Levi) foram abertos depois de 28 de fevereiro de 2008.

Inicialmente, a estação era para se chamar "Tolbiac – Masséna"[1], em referência à rue de Tolbiac e ao boulevard Masséna nas proximidades.

Esta estação da linha 14 está em correspondência com a estação do RER C. Com 15,83 milhões de entradas diretas em 2011[2], em comparação com 13,35 milhões em 2004[3], é a sétima estação mais movimentada da rede. Ela viu entrar 15 472 531 passageiros em 2013 o que a coloca na sétima posição das estações de metrô por sua frequência[4].

Serviços aos PassageirosEditar

AcessosEditar

 
Escada rolante da estação.

A estação tem quatro entradas principais (n° 1 a 4, acesso à sala de transferência RER C + linha 14), dando acesso para um elevador e para escadas rolantes na rue du Chevaleret, avenue de France, rue Goscinny e rue Neuve-Tolbiac.

Um acesso secundário está situado no final da avenue de France no cruzamento da rue des Grands-Moulins (n° 5).

  • Acesso 1 - Rue du Chevaleret
  • Acesso 2 - Avenue de France (servido por elevador em conjunto com saída 3)
  • Acesso 3 - Rue René-Goscinny (servido por elevador em conjunto com saída de 2)
  • Acesso 4 - Pont de Tolbiac
  • Acesso 5 - Rue des Grands-Moulins (acesso pela estação RER)

ArquiteturaEditar

 
Um dos medalhões de citações literárias que enfeitam a estação. Aqui uma citação de Julio Cortázar.

Inaugurada em 1998 ao mesmo tempo que a linha, a arquitetura da estação é a obra de Antoine Grumbach, arquiteto diferente de outros designers das estações da linha 14.

Na sala de transferências metrô-RER, os degraus de uma escada em arco de círculo estão gravados pelas letras das diversas escritas usadas pela humanidade. O volume excepcional desta sala de transferência se tornou possível porque a estação foi construída e não escavada.

Disseminados um pouco por toda a estação, 180 medalhões são gravados com frases que refletem a universalidade das culturas.

IntermodalidadeEditar

Desde 3 de dezembro de 2000, a estação está em correspondência com a estação da Bibliothèque François-Mitterrand situada na linha C do RER.

A estação é servida pelas linhas 62, 64, 89, 132 e 325 da rede de ônibus RATP e, à noite, pelas linhas N131 e N133 da rede de ônibus Noctilien.

Nos planos da linha 14, a RATP indica a correspondência com a estação Avenue de France da linha T3a do tramway, situada a mais de 550 metros do acesso menos longe.

Pontos turísticosEditar

Esta estação permite a ligação do bairro entre o Sena e as vias da Gare d'Austerlitz, Paris Rive Gauche: entre outros a Biblioteca Nacional da França, a sede do Réseau Ferré de France e o cinema MK2 Bibliothèque.

A partir desta estação, é possível chegar a pé, através da rue de Domrémy, à igreja de Notre-Dame-de-la-Gare na place Jeanne-d'Arc.

Esta estação de metrô também dá acesso aos Frigos de Paris, à Universidade Paris VII-Denis Diderot e à École Nationale Supérieure d'Architecture de Paris-Val de Seine.

ProjetosEditar

Em 2020, o terminal norte da linha 5 do T Zen deverá se situar perto.

Uma extensão da linha 10 do Metrô, via esta estação, está em estudo depois de Gare d'Austerlitz até Ivry-sur-Seine, Place Gambetta[5] onde poderia ser então criada uma correspondência com a futura linha 5 do T Zen.

Referências

  1. Bernard Sirand-Pugnet, « De la Grand-mère à Météor » (ID Éditions), página 269
  2. Régie Autonome des Transports Parisiens (RATP) (31 de agosto de 2012). «Tráfego anual de entradas por estação». data.gouv.fr. Consultado em 4 de setembro de 2012. Arquivado do original em 18 de novembro de 2012 .
  3. PDF Sindicato dos transportes da Île-de-France (STIF). «Les transports en commun en chiffres en Île-de-France» (PDF). STIF. p. 16 .
  4. Tráfego anual de entradas por estação (2013) Arquivado em 8 de março de 2013, no Wayback Machine., no site data.ratp.fr, consultado em 31 de agosto de 2014.
  5. Le métro francilien voit plus loin avec les prolongements des lignes 1, 4, 10 et 14 - Comunicado de imprensa - Conselho do STIF de 11 de dezembro de 2013.

Ver tambémEditar