Estação Ferroviária de Carviçais

estação ferroviária em Portugal

A Estação Ferroviária de Carviçais, originalmente denominada de Carviçaes,[1] foi uma estação da Linha do Sabor, que servia a localidade de Carviçais, no concelho de Torre de Moncorvo, em Portugal.

Carviçais
Linha(s): Linha do Sabor (PK 33,473)
Altitude: 620 m (a.n.m)
Coordenadas: 41°10′58.55″N × 6°53′7.99″W

(≍+41.18293;−6.88555)

(mais mapas: 41° 10′ 58,55″ N, 6° 53′ 07,99″ O)
Concelho: bandeiraTorre de Moncorvo
Inauguração: 17 de agosto de 1917 (há 104 anos)
Encerramento: 1988 (há 33 anos)
Vestígios da antiga estação de Carviçais, em 2008.

InfraestruturaEditar

A estação de Carviçais possuía, além do edifício principal para uso dos passageiros (que se situava do lado sudeste da via)[2], um armazém para mercadorias. Possuía ainda um triângulo ferroviário, destinado às operações de inversão das locomotivas.[3] Vestígios desta instalação são ainda visíveis em fotografia aérea, a norte da via, cerca de 100 m a leste do edifício principal.[carece de fontes?] Próximo da estação, à margem da via, situava-se um celeiro da Federação Nacional de Produtores de Trigo (FNPT).[carece de fontes?]

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: Linha do Sabor § História

InauguraçãoEditar

O lanço entre o Pocinho e Carviçais entrou ao serviço em 17 de Setembro de 1911, tendo sido a primeira parte desta linha a ser aberta.[4][5]

 
Neste horário de 1916, a estação surgia ainda com o nome de Carviçaes.

Prolongamento até LagoaçaEditar

Em 1926, esta prevista para breve a continuação da linha, a partir de Carviçais.[6] Com efeito, o lanço seguinte, até Lagoaça, foi aberto em 6 de Julho de 1927.[5]

Expansão da estaçãoEditar

Em 1933, o Ministro das Obras Públicas e Comunicações aprovou um parecer da Direcção Geral de Caminhos de Ferro, que se referia à escolha de um terreno, junto a esta estação, para a instalação de oficinas de reparação de material circulante.[7] Para este empreendimento, foram destinados, entre 1931 e 1932, 600 mil escudos.[8]

EncerramentoEditar

A linha foi encerrada em 1988.[9]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Horário de 1916
  2. (anónimo): Mapa 20 : Diagrama das Linhas Férreas Portuguesas com as estações (Edição de 1985), CP: Departamento de Transportes: Serviço de Estudos: Sala de Desenho / Fergráfica — Artes Gráficas L.da: Lisboa, 1985
  3. Diagrama da estação
  4. «Troços de linhas férreas portuguesas abertas à exploração desde 1856, e a sua extensão» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 69 (1652). 16 de Outubro de 1956. p. 528-530. Consultado em 8 de Agosto de 2014 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  5. a b TORRES, Carlos Manitto (16 de Fevereiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 70 (1684). p. 91-95. Consultado em 8 de Agosto de 2014 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  6. «Linhas Portuguesas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 39 (925). 1 de Julho de 1926. p. 208. Consultado em 8 de Agosto de 2014 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  7. «Direcção Geral de Caminhos de Ferro» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 46 (1087). 1 de Abril de 1933. p. 201. Consultado em 14 de Junho de 2017 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  8. SOUSA, José Fernando de (1 de Março de 1934). «Direcção Geral de Caminhos de Ferro: Relatório de 1931-1932» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 47 (1109). p. 127-130. Consultado em 14 de Junho de 2017 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  9. REIS et al, 2006:150

BibliografiaEditar

  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre a estação de Carviçais

Ligações externasEditar