Estação Jasmin

Jasmin
Plataforma e mezanino da estação.
Uso atual Estação de metropolitano
Administração RATP Metrô de Paris
Linhas Linha 9
Código 0715
Tipo de estação Subterrânea
Plataforma 2
Informações históricas
Inauguração 08 de novembro de 1922
Próxima estação
Sentido Pont de Saint-Cloud Paris Metro 9.svg Sentido Mairie de Montreuil
Michel-Ange - Auteuil Ranelagh
Jasmin

Jasmin é uma estação do linha 9 do Metrô de Paris, localizada no 16.º arrondissement de Paris.

LocalizaçãoEditar

A estação está situada na avenue Mozart, no cruzamento com a rue Jasmin, rue de l'Yvette e a rue Ribera. Aproximadamente orientada ao longo de um eixo norte-sul, é inserida entre as estações Michel-Ange - Auteuil e Ranelagh[1].

HistóriaEditar

A estação foi aberta em 8 de novembro de 1922 com o lançamento da primeira seção da linha 9 entre Exelmans e Trocadéro.

Deve seu nome à sua proximidade com a rue Jasmin, nomeada em homenagem ao agenais Jasmin, um dos principais autores occitanos do início do século XIX cuja obra em langue d'oc recebeu um eco literário internacional, através de Charles Nodier, Sainte Beuve, George Sand, Franz Liszt e Henry Longfellow.

Como parte do programa “Renovação do Metrô” da RATP, os corredores da estação e a iluminação da plataforma foram renovados em 28 de junho de 2002[2]

Em 2011, 2 065 058 passageiros entraram nesta estação[3]. Em 2012, foram 2 108 222 passageiros[4], e depois 2 115 456 em 2013, o que a coloca na 242ª posição das estações de metrô por sua frequência em 302[5][6].

Em 20 de março de 2018, metade das placas de identificação nas plataformas da estação foram substituídas temporariamente pela RATP para celebrar a chegada da primavera, paralelamente à distribuição de flores aos usuários, como em outras cinco estações[7][8]. Usando o sobrenome Jasmin em letras maiúsculas, as novas placas são decoradas com motivos que representam o jasmim branco[9].

Serviços aos passageirosEditar

AcessoEditar

A estação possui dois acessos, cada um composto por uma escada fixa decorada com uma balaustrada de tipo Dervaux:

  • porta 1 "Rue Jasmin", constituída de uma escada fixa ornada com um candelabro Val d'Osne[10], abrindo à direita do nº 78 da avenue Mozart, na esquina com a rua de l'Yvette, voltada para o nº 2 desta última;
  • porta 2 "Rue Ribera", constituída de uma escada rolante a montante permitindo apenas a saída, situada no lado direito do nº 85 da avenue Mozart, na esquina da Rue Ribera, em frente ao nº 47 da mesma.

A sala de distribuição é montada sob a forma de um mezanino com vista para os trilhos, na estação, uma situação rara que só compartilha com as duas estações seguintes, na direção de Mairie de Montreuil: Ranelagh e La Muette. Assim, as plataformas são visíveis na sala e no balcão de informações que substituiu o balcão. Este último foi um dos poucos estilos da década de 1970 a sobreviver até a década de 2010[2].

PlataformasEditar

 
Placa apresentando a história do nome da estação.

Jasmin é uma estação de configuração padrão: ela possui duas plataformas separadas pelas vias do metrô e a abóbada é elíptica. A decoração é do estilo utilizado pela maioria das estações de metrô: as faixas de iluminação são brancas e arredondadas no estilo "Gaudin" da renovação do metrô na década de 2000, e as telhas em cerâmica brancas biseladas recobrem os pés-direitos, a abóbada, os tímpanos e as saídas dos corredores. Os quadros publicitários são em faiança de cor de mel e o nome da estação também é em faiança no estilo da CMP original. Os assentos de estilo "Motte" são vermelhos. A decoração das plataformas é completamente idêntica à da estação vizinha Ranelagh.

Um pôster cultural sobre o poeta Jasmin é afixado na plataforma em direção a Mairie de Montreuil.

IntermodalidadeEditar

A estação possui apenas uma conexão com a linha 22 da rede de ônibus RATP, somente em direção de Opéra.

Pontos turísticosEditar

A estação fica perto do Instituto médico Jasmin, criado em setembro de 2011, situada nos números 7-11 da rue de l'Yvette[11] e um centro médico-psico-pedagógico localizado no nº 50 da rue Ribera. A Fundação Le Corbusier e a Maison La Roche também são acessíveis a partir desta estação[12].

Referências

  1. « Station Jasmin », cartometro.com.
  2. a b Le Renouveau du métro, tabela de resumo de todas as estações, em www.symbioz.net (consultado em 5 de maio de 2017).
  3. Entrants annuels provenant de l'extérieur de la station (voie publique, correspondances bus, réseau SNCF, etc.), sur le site data.ratp.fr (consulté le 5 novembre 2012).
  4. sur les entrants annuels provenant de l'extérieur de la station (fichier Excel) (voie publique, correspondances bus, réseau SNCF, etc.) sur le site data.ratp.fr (consulté le 5 janvier 2014).
  5. Trafic annuel entrant par station (2013), sur le site data.ratp.fr (consulté le 31 août 2014).
  6. Le nombre de 302 stations n'inclut pas la station fictive Funiculaire de Montmartre. Cette dernière est en effet considérée comme une station de métro (et deux points d'arrêts) par la RATP et rattachée statistiquement à la ligne 2, ce qui explique pourquoi la RATP annonce 303 stations et non 302 en 2013.
  7. «Des fleurs gratuites distribuées dans le métro pour fêter le printemps». Le Bonbon (em francês). 20 de março de 2018 
  8. Este número não inclui a estação Palais-Royal - Musée du Louvre, cujas placas de identificação não foram substituídas mas vegetalizadas.
  9. «[#RATPrintemps] Aujourd'hui c'est le 1er jour du #printemps. Pour l'occasion la #RATP offre des fleurs à ses clients station Jasmin, et se pare d'un nouveau décor...pic.twitter.com/KmTw9RR9hm». @Ligne9_RATP (em francês). 20 de março de 2018 
  10. Antoine Dupin, Métro, RER. Une histoire d'avenir, p. 93.
  11. Site de l'Institut médical Jasmin Cópia arquivada no Wayback Machine (consultado em 14 de janeiro de 2014).
  12. « Fondation Le Corbusier. Maison La Roche », www.parisinfo.com (consultado em 4 de janeiro de 2014).

BibliografiaEditar

Ver tambémEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Estação Jasmin