Abrir menu principal

Estação Ferroviária de Carviçais

estação ferroviária em Portugal
(Redirecionado de Estação de Carviçais)
Carviçais
Vestígios da antiga estação de Carviçais, em 2008.
Inauguração 17 de Agosto de 1917
Encerramento 1988
Linha(s) Linha do Sabor (PK 33,473)
Coordenadas 41° 10′ 58,55″ N, 6° 53′ 07,99″ O
Concelho Torre de Moncorvo
Serviços Ferroviários
Horários em tempo real

A Estação Ferroviária de Carviçais, originalmente denominada de Carviçaes, foi uma estação de caminhos de ferro da Linha do Sabor, que servia a localidade de Carviçais, no concelho de Torre de Moncorvo, em Portugal.

Índice

HistóriaEditar

 
Neste horário de 1916, a estação surgia ainda com o nome de Carviçaes.

InauguraçãoEditar

O troço entre o Pocinho e Carviçais entrou ao serviço em 17 de Setembro de 1911, tendo sido a primeira parte desta linha a ser aberta.[1][2]

Prolongamento até LagoaçaEditar

Em 1926, previa-se para breve a continuação da linha, a partir desta estação.[3] Com efeito, o troço seguinte, até Lagoaça, foi aberto em 6 de Julho de 1927.[2]

Expansão da estaçãoEditar

Em 1933, o Ministro das Obras Públicas e Comunicações aprovou um parecer da Direcção Geral de Caminhos de Ferro, que se referia à escolha de um terreno, junto a esta estação, para a instalação de oficinas de reparação de material circulante.[4] Para este empreendimento, foram destinados, entre 1931 e 1932, 600 mil escudos.[5]

EncerramentoEditar

A linha foi encerrada em 1988.[6]

InfraestruturaEditar

A estação de Carviçais possuía, além do edifício principal para uso dos passageiros, um armazém para mercadorias. Possuía ainda um triângulo ferroviário, destinado às operações de inversão das locomotivas. Vestígios desta instalação são ainda visíveis em fotografia aérea, a norte da via, cerca de 100m a leste do edifício principal. Próximo da estação, à margem da via, situava-se um celeiro da Federação Nacional de Produtores de Trigo (FNPT).

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Troços de linhas férreas portuguesas abertas à exploração desde 1856, e a sua extensão» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 69 (1652). 16 de Outubro de 1956. p. 528-530. Consultado em 8 de Agosto de 2014 
  2. a b TORRES, Carlos Manitto (16 de Fevereiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1684). p. 91-95. Consultado em 8 de Agosto de 2014 
  3. «Linhas Portuguesas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 39 (925). 1 de Julho de 1926. p. 208. Consultado em 8 de Agosto de 2014 
  4. «Direcção Geral de Caminhos de Ferro» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 46 (1087). 1 de Abril de 1933. p. 201. Consultado em 14 de Junho de 2017 
  5. SOUSA, José Fernando de (1 de Março de 1934). «Direcção Geral de Caminhos de Ferro: Relatório de 1931-1932» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1109). p. 127-130. Consultado em 14 de Junho de 2017 
  6. REIS et al, 2006:150

BibliografiaEditar

  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a estação de Carviçais

Ligações externasEditar