Abrir menu principal

Estado de Sítio é uma coleção publicada pela editora Boitempo e constituída de ensaios sobre temas centrais para a reflexão crítica sobre a sociedade contemporânea: autoritarismo do Estado, violência, terrorismo, fundamentalismo, globalização financeira, poder da mídia, geopolítica e conflitos globais.

A série é coordenada pelo filósofo Paulo Arantes, que também assina duas das obras.[1] Os demais autores dos títulos da coleção são renomados filósofos e cientistas brasileiros e estrangeiros.

TítulosEditar

  • A era da indeterminação, por Francisco de Oliveira e Cibele Saliba Rizek (orgs.) [2]
  • Bem-vindo ao deserto do Real! Cinco ensaios sobre o 11 de Setembro e datas relacionadas, por Slavoj Zizek[3]
  • Brasil Delivery: servidão financeira e estado de emergência econômico, por Leda Paulani
  • Cinismo e falência da crítica, por Vladimir Safatle [4]
  • Estado de exceção [Homo Sacer, II, I], por Giorgio Agamben [5]
  • Evidências do real: os Estados Unidos pós-11 de Setembro, por Susan Willis.[6][7]
  • Extinção, por Paulo Arantes [1]
  • Guerra e cinema - logística da percepção, por Paul Virilio
  • Hegemonia às avessas: economia, política e cultura na era da servidão financeira, por Francisco de Oliveira, Ruy Braga e Cibele Rizek (orgs.)
  • O poder global e a nova geopolítica das nações, por José Luís Fiori [8]
  • O que resta da ditadura: a exceção brasileira, por Edson Teles e Vladimir Safatle (orgs.) [9] [10]
  • O que resta de Auschwitz: o arquivo e a testemunha, por Giorgio Agamben[11]
  • O reino e a glória, por Giorgio Agamben. [12]
  • Saídas de emergência: ganhar/perder a vida na periferia de São Paulo, por Robert Cabanes, Isabel Georges, Cibele S. Rizek e Vera da Silva Telles (orgs.) [13]
  • São Paulo: a fundação do universalismo, por Alain Badiou.
  • Videologias: ensaios sobre televisão, por Eugênio Bucci e Maria Rita Kehl
  • O novo tempo do mundo e outros estudos sobre a era da emergência, por Paulo Arantes
  • Altíssima pobreza - Regras monásticas e forma de vida [Homo Sacer, IV, 1], por Giorgio Agamben
  • Mal estar, sofrimento e sintoma - uma psicopatologia do Brasil entre muros, por Christian Ingo Lenz Dunker
  • A nova razão do mundo - ensaio sobre a sociedade neoliberal, por Christian Laval e Pierre Dardot
  • As contradições do lulismo - A que ponto chegamos?, por André Singer e Isabel Loureiro

Referências

  1. a b "Extinção", de Paulo Arantes, é lançado com debate. Carta Maior, 13 de março de 2007.
  2. Resenha "A era da indeterminação". Unicamp. 2007.
  3. Bem-vindo ao deserto do real (parte 3) A queda das torres gêmeas sob a ótica de Slavoj Žižek. Por Bruno Fischer Dimarch. CMAIS, 13 de setembro de 2012.
  4. Cinismo e Falência da Crítica de Vladimir Safatle. Resenha de Rubens José da Rocha. Filosofia Unisinos. Vol 10, nº 3 (2009).
  5. Estado de exceção em Giorgio Agamben. Por Evandro Pontel. Revista Opinião Filosófica, Porto Alegre, v. 03; nº 2, 2012.
  6. Resenha "Evidências do Real" por Daniel Puglia. Crítica Marxista, nº 28, p.183-185, 2009.
  7. Portents of the Real: A Primer for Post 9/11 America (review). Por Robert P. Marzec. Project MUSE.
  8. Coleção Estado de Sítio. O poder global e a nova geopolítica das nações de José Luís Fiori
  9. Reseña de "O que resta da ditadura: a exceção brasileira" de Edson TELES; Vladimir SAFATLE. Por Thiago Borges. América Latina Hoy, vol. 58, 2011, pp. 146-148. Universidad de Salamanca. Salamanca, España.
  10. Dossiê Mortos e Desaparecidos Políticos no Brasil. O que resta da ditadura: a exceção brasileira, por Edson Teles e Vladimir Safatle
  11. Tese de doutorado de Glauco Barsalini gera livro sobre obra de Giorgio Agamben. 29 de julho de 2013.
  12. O reino e a glória investiga relações de poder da igreja. Folha.com, 9 de maio de 2011
  13. Lançamento e debate do livro “Saídas de emergência: ganhar/perder a vida na periferia de São Paulo”. USP Eventos, 10 de novembro de 2011.

Ligações externasEditar