Abrir menu principal
Expedição 56
Insígnia da missão
Informações da missão
Espaçonave Soyuz MS-08
Soyuz MS-09
Número de tripulantes 6
Início 3 de junho de 2018 (UTC)
Término 4 de outubro de 2018 (UTC)
Duração 122d 13h 30m
Imagem da tripulação
Da esquerda para a direita: Artemyev, Feustel, Arnold, Prokopyev, Gerst e Auñón-Chancellor
Da esquerda para a direita:
Artemyev, Feustel, Arnold, Prokopyev, Gerst e Auñón-Chancellor
Navegação
ISS Expedition 55 Patch.svg Expedição 55
Expedição 57 ISS Expedition 57 Patch.svg

Expedição 56 foi a 56ª expedição à Estação Espacial Internacional, realizada entre 3 de junho e 4 de outubro de 2018. Ela teve participação de seis astronautas, três norte-americanos, dois russos e um alemão. Teve início com a desacoplagem da nave Soyuz MS-07 levando de volta três integrantes da expedição anterior. Em 8 de junho, com a chegada da Soyuz MS-09, a tripulação total foi completada. Foi encerrada 122 dias depois de iniciada, com a desacoplagem da Soyuz MS-08.

TripulaçãoEditar


Nota: Originalmente, a astronauta Jeanette Epps foi anunciada como engenheira de voo para as Expedições 56 e 57, o que a tornaria a primeira afro-americana parte da tripulação da estação espacial numa missão de longa duração.[1] Posteriormente, porém, a NASA, sem dar explicação pública para a razão da troca, anunciou que Epps seria substituída por sua reserva, Serena Auñón-Chancellor, enquanto ela seria designada para outras funções no Centro Espacial Johnson, disponível para uma futura missão.[2] Alguns dias depois, o irmão da astronauta, Henry Epps, publicou no Twitter uma mensagem, depois deletada, afirmando: "Minha irmã, Dra. Jeanette Epps, tem lutado contra o racismo opressivo e contra a misoginia dentro da NASA e agora eles a estão retirando e colocando uma astronauta caucasiana em seu lugar!"[3][4] A NASA e a astronauta não fizeram comentários sobre a postagem.

InsígniaEditar

A insígnia, desenhada pelo filho do astronauta Drew Feustel, o comandante da missão, traz em destaque uma pomba carregando no bico um ramo de oliveira. Do lado esquerdo, aparece um foguete Soyuz-FG, que transporta as naves Soyuz e os astronautas para a estação espacial, à direita. Os nomes dos tripulantes estão dispostos nas asas da pomba e na base do emblema sobre o globo terrestre. A cauda da pomba está firmemente plantada na Terra para representar a forte ligação entre o planeta-casa e os humanos que são enviados ao cosmos. Seis estrelas e objetos celestes reetratam os seis integrantes. A insígnia ilustra a esperança de paz e amor no mundo e o desejo humano inato de abrir nossas asas e explorar o futuro construindo sobre a sabedoria do passado, para o aperfeiçoamento da Humanidade.[5]

MissãoEditar

Durante a missão e entre outras dezenas de experiências científicas, a tripulação estudou o comportamento dos átomos em condições extremas, investigaram o crescimento microbiano a bordo da estação espacial, realizaram testes para expandir as capacidades de navegação e preparar-se para futuras expedições longe da Terra e realizaram experiências e estudos em outras ciências que foram da física à biologia.[6] Duas caminhadas espaciais foram realizadas, uma em junho pelos americanos e outra em agosto pelos russos. Durante a primeira delas, que focou na instalações de novas câmeras de alta definição na parte traseira do módulo Harmony, para proporcionar uma melhor visão da aproximação das futuras naves comerciais tripuladas Dragon V2 e CST-100 Starliner, o comandante Feustel tornou-se o terceiro astronauta na lista dos maiores caminhantes espaciais.[7] Na segunda caminhada os cosmonautas russos lançaram em órbita quatro cubesats e instalaram o experimento Icarus. A atividade acabou atrasando-se quando o Icarus não pode ser encaixado, deixando a atividade atrasada na programação e acabaram por pedir uma extensão de uma hora. Os russos terminaram a atividade espacial ao remover os experimentos dos módulos de acoplagem Pirs e do Poisk.[8] Em junho, julho e setembro a expedição recebeu a visita de três naves não-tripuladas, respectivamente SpaceX Dragon CRS-15, Progress MS-09 e a japonesa Kounotori 7, todas trazendo mantimentos, eletrônicos, hardware e equipamentos de logística para a estação.[9]

Em 28 de agosto de 2018, um pequeno vazamento foi detectado, devido a queda da pressão do ar, pelos controladores de voo em terra. Depois de ficarem sabendo sobre o vazamento ao acordarem, os astronautas descobriram um buraco de 2 mm no módulo orbital da nave Soyuz MS-09, acoplada à estação. O furo foi inicialmente reparado com fita, seguido por um reparo permanente com gaze e epóxi.[10][11] Como ele era no módulo a ser descartado na reentrada da atmosfera e não no módulo de comando onde os tripulantes viajam, não representava perigo para a tripulação.[12] Uma inspeção externa da nave seria feita na expedição seguinte.

Garatéa-ISSEditar

Como parte do projeto Garatéa-ISS feito ao lado da Student Spaceflight Experiments Program, foi enviado um experimento de Cimento Espacial, uma mistura de cimento com plástico reciclável para torná-lo mais habilitado para aplicação espacial, feito pelas escolas Dante Alighieri, EMEF Perimetral, Projeto Âncora, (São Paulo. Cotia).[13] Foi a primeira vez que experimentos Brasileiros foram realizados na estação desde a Missão Centenário.[14]

GaleriaEditar

Referências

  1. Karen Northon (4 de Janeiro de 2017). «NASA Assigns Upcoming Space Station Crew Members». NASA press release 17-001. Consultado em 21 de Janeiro de 2017 
  2. Karen Northon (18 de Janeiro de 2018). «NASA Announces Updated Crew Assignments for Space Station Missions». NASA press release 18-004. Consultado em 21 de Janeiro de 2017 
  3. Kaplan, Sarah. «NASA pulled this astronaut from a space station crew. Her brother blames racism.». Washington Post. Consultado em 23 de janeiro de 2018 
  4. «NASA's Jeanette Epps' brother blames racism for why she got removed from her upcoming mission». Newsweek (em inglês). Consultado em 21 de janeiro de 2018 
  5. A.J. (Drew) Feustel. «Our Expedition 56 patch and description». Twitter. Consultado em 17 de abril de 2019 
  6. «Mission Summary» (PDF). NASA. Consultado em 17 de abril de 2019 
  7. Garcia, Mark (14 de Junho de 2018). «Spacewalkers Complete HD Camera Installation Work». NASA 
  8. Richardson, Derek (16 de agosto de 2018). «Russian spacewalk runs into overtime during 'Icarus' experiment installation». Orbital Velocity 
  9. «ISS: Expedition 56». Spacefacts. Consultado em 17 de abril de 2019 
  10. Garcia, Mark (30 de agosto de 2018). «International Space Station Status». Blogs. NASA. Consultado em 24 de outubro de 2018 
  11. Foust, Jeff (30 de agosto de 2018). «ISS leak highlights concerns about orbital debris and station operations». SpaceNews. Consultado em 24 de outubro de 2018 
  12. Bergin, Chris. «Russian EVA examines hole repair area on Soyuz MS-09 – NASASpaceFlight.com». NASASpaceflight.com. Consultado em 17 de dezembro de 2018 
  13. Selected Experiments on SSEP Mission 12 to ISS
  14. Brasil estará de volta à Estação Espacial Internacional
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Expedição 56