Abrir menu principal

Panthera leo fossilis

táxon extinto do gênero Panthera
(Redirecionado de Felis leo fossilis)


Como ler uma infocaixa de taxonomiaPanthera fossilis ou Panthera leo fossilis ou Panthera spelaea fossilis
Ocorrência: Pleistoceno Médio 0.7 Ma
Réplica do esqueleto de um Panthera fossilis
Réplica do esqueleto de um Panthera fossilis
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Felidae
Género: Panthera
Espécie: P. leo ou P. spelaea ou P. fossilis
Subespécie: P. l. fossilis ou P. s. fossilis
Nome trinomial
Panthera leo fossilis ou Panthera spelaea fossilis
(Reichenau, 1906)
Sinónimos
  • Panthera leo wurmi Freudenberg, 1914

Panthera leo fossilis, Panthera spelaea fossilis ou Panthera fossilis é um táxon extinto do gênero Panthera, do Pleistoceno Médio da Europa, considerado por alguns pesquisadores como uma subespécie e por outros como uma espécie distinta.

Índice

Nomenclatura e taxonomiaEditar

O táxon foi descrito por Wilhelm von Reichenau em 1906 como Felis leo fossilis, a partir de restos fósseis do Pleistoceno Médio encontrados em Mauer, na Alemanha.[1] Em 1969, Schutt recombinou a subespécie para Panthera leo fossilis. [2] Em 1974, Hemmer em sua revisão sobre o leão com base em características dentárias e da mandíbula, manteve-o como uma subespécie do leão moderno.[3] Este arranjo taxonômico proposto por Hemmer foi seguido por vários autores desde então.[4] Entretanto, alguns pesquisadores, através de análises morfológicas, o consideram como uma espécie distinta.[5], enquanto outros o consideram como uma subespécie do Panthera spelaea.[6][7][8]

O táxon fossilis é considerado o ancestral do Panthera spelaea que o substitui durante o Pleistoceno Superior (a cerca de 300 000 anos atrás), sendo então considerado como uma cronoespécie ou paleoespécie.

Registro fóssilEditar

O registro mais antigo do táxon está datado em 700 000 anos e provém da localidade de Isérnia La Pineta no sul da Itália, um sítio paleontológico do Pleistoceno Médio.[9]

Muitos fragmentos ósseos são conhecidos de Mosbach na Alemanha, uma pequena vila pertencente a cidade de Wiesbaden. Um crânio quase completo foi encontrado em Mauer, perto de Heidelberg, Alemanha. Os sedimentos indicam que estes leões eram 550 000 anos mais antigos que o hominídeo primitivo Homo heidelbergensis.

Distribuição geográficaEditar

O táxon é restrito a Europa, sendo registrado em diversos sítios paleontológicos na Polônia, Alemanha, República Tcheca, Áustria, Hungria, Moldova, Grécia, Itália, Bélgica, Espanha, França e Inglaterra.

CaracterísticasEditar

 
Rádio atribuído como Panthera leo cf. fossilis do sítio paleontológico de Ambrona (Soria, Espanha).

Com um comprimento máximo de cabeça e corpo de 2,40 metros, o que é de cerca de meio metro a mais do que os leões africanos de hoje, Panthera leo fossilis foi quase tão grande como o leão-americano a partir do Pleistoceno Superior.

Referências

  1. REICHENAU, W. (1906): Beitrage zur näheren Kenntniss der Carnivoren aus den Sanden von Mauer und Mosbach. — Abhandlungen Grossheryoglichen Hessischen Geologischen ÍMndesanstalt, 4: 189.
  2. SCHUTT, G. (1969). «Untersuchungen am Gebiss von Panthera leo fossilis (REICHENAU, 1906) und Panthera leo spelaea (GOLDFUSS, 1810)». Neues Jahrbuch für Geologie und Paläontologie Abhandlungen. 134 (2): 192-220 
  3. HEMMER, H. (1974). «Untersuchungen zur stammesgeschichte der Pantherkatzen (Pantherinae) III. Zur artgeschichte des Lowen Panthera leo (Linnaeus 1758)». Veroff. Zool. Staatssamml. Munchen. 17: 167–280 
  4. BURGER, J.; ROSENDAHL, W.; LOREILLE, O.; HEMMER, H.; ERIKSSON, T.; GÖTHERSTRÖM, A.; HILLER, J.; COLLINS, M.J.; WESS, T.; ALT, K.W. (2004). «Molecular phylogeny of the extinct cave lion Panthera leo spelaea». Molecular Phylogenetics and Evolution. 30 (3): 841–49. doi:10.1016/j.ympev.2003.07.020 
  5. SOTNIKOVA, M.; NIKOLSKIY, P. (2006). «Systematic position of the cave lion Panthera spelaea (Goldfuss) based on cranial and dental characters». Quaternary International. 142–143: 218–228. doi:10.1016/j.quaint.2005.03.019 
  6. BARYSHNIKOV, G.; BOESKOROV, G. (2001). «The Pleistocene cave lion Panthera spelaea (Carnivora, Felidae) from Yakutia, Russia». Cranium. 18: 7–24 
  7. BARYCKA, E. (2008). «Middle and Late Pleistoicene Felidae and Hyaenidae of Poland». Fauna Poloniae: 1-228 
  8. MARCISZAK, A.; STEFANIAK, K. (2010). «Two forms of cave lion: Middle Pleistocene Panthera spelaea fossilis REICHENAU, 1906 and Upper Pleistocene Panthera spelaea spelaea GOLDFUSS, 1810 from the Bi´snik Cave, Poland». Neues Jahrbuch für Geologie und Paläontologie Abhandlungen. 258: 339–351 
  9. SALA, B. (1990). «Panthera leo fossilis (v. Reich., 1906) (Felidae) de Isernia la Pineta (Pléistocène moyen inférieur d'Italie)». Geobios. 23 (2): 189–194. doi:10.1016/S0016-6995(06)80051-3 

LiteraturaEditar

  • Ernst Probst:Deutschland in der Urzeit. Orbis Verlag, 1999. ISBN 3-572-01057-8
  • J. Burger:filogenia molecular do extinto caverna leão Panthera leo spelea, de 2003. pdf.

Ligações externasEditar