Festival RTP da Canção 1999

O XXXV Festival RTP da Canção 1999 foi o trigésimo quinto Festival RTP da Canção e teve lugar no dia 8 de março de 1999 na Sala Tejo do Pavilhão Atlântico (atual Altice Arena), em Lisboa.

Festival RTP da Canção 1999
XXXV° edição
Datas
Final 8 de março de 1999
Produção
Local Sala Tejo do Pavilhão Atlântico (atual Altice Arena), Lisboa, Portugal
Apresentador(es) Alexandra Lencastre e Manuel Luís Goucha
Maestro José Marinho
Estação Portugal Televisão: RTP1
Participantes
Número de entradas 8 intérpretes e 8 canções
Actuações
Actuações nos intervalos Homenagem a Zeca Afonso
Votação
Sistema de
voto
A votação baseou-se nos 11 júris distritais que atribuíram 1 a 10 pontos às suas canções favoritas, por ordem de preferência.
Vencedor(a)
1998Festival RTP da Canção2000

Os apresentadores foram Alexandra Lencastre e Manuel Luís Goucha.

Festival editar

O Festival RTP da Canção de 1999 realizou-se no dia 8 de março, na Sala Tejo do Pavilhão Atlântico. Foi uma edição marcada pela maior dimensão da sala. Assim foi maior o número de convidados tendo muitas figuras públicas e comunicação social. Mas o desinteresse do público pelo Festival já se fazia sentir.

A apresentação foi assegurada por Alexandra Lencastre e por Manuel Luís Goucha e o maestro José Marinho foi o Diretor Musical deste festival.

A RTP tinha aberto concurso para a aceitação de originais que foram analisados pelo júri de seleção, composto por Nuno Figueira e Paula Velez, ambos da RTP, pela cantora Anabela, pelo maestro José Marinho e pelo radialista Armando Carvalheda.

O Festival da Canção foi dividido em três partes. Na primeira parte assistiu-se ao desfile das 8 canções apuradas. Na segunda parte foi feita uma homenagem ao cantor, autor e compositor Zeca Afonso em que intervieram Irene Cruz, Vitorino, Janita Salomé, Filipa Pais, Ana Sofia Varela, Grupo Coral dos Camponeses de Pias e o Grupo Coral da Casa do Povo de Serpa. Na terceira parte e última do evento procedeu-se ao apuramento da canção vencedora e também à atribuição do prémio referente à melhor interpretação. Estas decisões couberam ao júri distrital que esteve reunido nos centros de produção da RTP.

Maria Manuela Furtado foi a presidente do júri mas sem direito a voto. O Troféu Melo Pereira, referente à melhor interpretação foi entregue a Célia Oliveira pela defesa do tema "Ser o que sou".

Rui Bandeira foi o grande vencedor da noite com a canção "Como tudo começou", uma composição de Jorge do Carmo (música) e Tó Andrade (letra). A canção vencedora deste festival teve como prémio 5 milhões de escudos equivalente a cerca de 24940 €. Os segundos e os terceiros classificados receberam também recompensas monetárias.

Final - 8 de março de 1999
# Artista Canção Música (m) / Letra (l) Pontuação Classificação
Tempo "Uma parte de mim" Samuel Lopes (m & l) 51
Liliana Pinheiro "Eu, tu e nós" Tó Sanches (m & l), Rui Bagulho (m), Liliana Pinheiro (l) 32
Francisco Ceia "Romanzeira" Francisco Ceia (m & l) 21
Rui Bandeira "Como tudo começou" Jorge do Carmo (m), Tó Andrade (l) 90
Sofia Frões "Menina alegria" José Sarmento (m), Firmino Mendes (l) 72
Célia Oliveira "Ser o que sou" Célia Oliveira (m & l), António José Guerra (m) 64
Tó Leal "Sete anos, sete dias" Eduardo Paes Mamede (m), José Fanha (l) 44
Filipa Lourenço "No cais da solidão" Simon Wadsworth (m), Carlos Soares (l) 55

Ligações externas editar

Referências