O Forte de Almada localiza-se na freguesia e município de Almada, distrito de Setúbal, em Portugal.[1][2]

Forte de Almada
Forte de Almada, Portugal
Construção ()
Estilo
Conservação
Homologação
(IGESPAR)
N/D
Aberto ao público

História

editar

Esta fortificação marítima foi erguida para complemento da defesa da capital, na margem sul da barra do rio Tejo.

No século XIX integrava o sistema defensivo de Lisboa, coordenando as diversas baterias da linha de defesa na margem sul do Tejo.

No contexto da revolta de 26 de agosto de 1931, o aviador revolucionário José Manuel Sarmento de Beires (que com António Jacinto de Silva Brito Paes tinham efetuado o Raid Aéreo Lisboa-Macau em 2 de abril de 1924) descolando da Base Aérea de Alverca, tentou bombardear o forte mas falhou o alvo, tendo a bomba caído num largo da vila (hoje Almada Velha) causando a morte de três pessoas e muitos feridos,[3] entre os quais dezenas de crianças que ali brincavam com papagaios de papel. Atualmente esse logradouro tem a designação de Largo das Vitimas de 26 de Agosto de 1931, e nele se encontra gravado, num muro, o testemunho desse trágico evento, assim como o número de vitimas causadas.

À época da Segunda Guerra Mundial recebeu artilharia.

Nos nossos dias encontra-se ocupada pela Brigada nº 2 - Grupo Territorial de Almada, da Guarda Nacional Republicana

Referências

  1. «Momentos de História - Campo Entrincheirado de Lisboa». momentosdehistoria.com. Consultado em 25 de junho de 2023 
  2. «A GUERRA CIVIL DE ESPANHA PASSOU PELO TEJO? O FORTE DE ALMADA | Operacional». Consultado em 25 de junho de 2023 
  3. Almada Velha, uma visita guiada! p. 6-7. Consultado em 22 jan 2012.

Ver também

editar
  Este artigo sobre uma fortaleza é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.