Forte do Cais

O Forte do Cais localizava-se no Cais do Pico, na vila e freguesia de São Roque do Pico, no concelho de São Roque do Pico na ilha do Pico, nos Açores.

Cais do Pico, São Roque do Pico.

Em posição dominante sobre este trecho do litoral, constituiu-se em uma fortificação destinada à defesa deste ancoradouro contra os ataques de piratas e corsários, outrora frequentes nesta região do oceano Atlântico.

HistóriaEditar

Pode ser a estrutura que se encontra referida como "Dous Redutos da Madalena, e a arèa larga, e S. Roque." na relação "Fortificações nos Açores existentes em 1710",[1] no contexto da Guerra da Sucessão Espanhola (1702-1714).

A "Relação" do marechal de campo Barão de Bastos em 1862 refere-o e informa que "Tem uma pequena caza arruinada", e que "Apenas existem vestigios de fortificação". A seu respeito observa ainda:

"Pode desde já desprezar-se, entregando-se a caza arruinada á Camara Municipal da Villa como ella reclama, visto ter sido edificado á custa do municipio á 30 annos pouco mais ou menos."[2]

A estrutura não chegou até aos nossos dias.

Referências

  1. «"Fortificações nos Açores existentes em 1710». Arquivo dos Açores, p. 180. Consultado em 8 de dezembro de 2011 
  2. BASTOS, 1997:270.

BibliografiaEditar

  • BASTOS, Barão de. "Relação dos fortes, Castellos e outros pontos fortificados que se achão ao prezente inteiramente abandonados, e que nenhuma utilidade tem para a defeza do Pais, com declaração d'aquelles que se podem desde ja desprezar." in Boletim do Instituto Histórico da Ilha Terceira, vol. LV, 1997. p. 267-271.
  • CASTELO BRANCO, António do Couto de; FERRÃO, António de Novais. "Memorias militares, pertencentes ao serviço da guerra assim terrestre como maritima, em que se contém as obrigações dos officiaes de infantaria, cavallaria, artilharia e engenheiros; insignias que lhe tocam trazer; a fórma de compôr e conservar o campo; o modo de expugnar e defender as praças, etc.". Amesterdão, 1719. 358 p. (tomo I p. 300-306) in Arquivo dos Açores, vol. IV (ed. fac-similada de 1882). Ponta Delgada (Açores): Universidade dos Açores, 1981. p. 178-181.
  • MACHADO, Francisco Xavier. "Revista aos Fortes das Ilhas do Faial e Pico (Arquivo Histórico Ultramarino)". in Boletim do Instituto Histórico da Ilha Terceira, vol. LVI, 1998.
  • NEVES, Carlos; CARVALHO, Filipe; MATOS, Artur Teodoro (coord.). "Documentação sobre as Fortificações dos Açores existentes nos Arquivos de Lisboa – Catálogo". in Boletim do Instituto Histórico da Ilha Terceira, vol. L, 1992.
  • VIEIRA, Alberto. "Da poliorcética à fortificação nos Açores: Introdução ao estudo do sistema defensivo nos Açores nos séculos XVI-XIX". in Boletim do Instituto Histórico da Ilha Terceira, vol. XLV, tomo II, 1987.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar