Abrir menu principal
Francisco I da Lorena
Duque da Lorena e de Bar
Reinado 14 de junho de 154412 de junho de 1545
Antecessor(a) António da Lorena
Sucessor(a) Carlos III da Lorena
 
Cônjuge Cristina da Dinamarca
Descendência Carlos III
Renata de Lorena
Doroteia de Lorena
Casa Lorena
Nascimento 23 de agosto de 1517
  Nancy, Ducado da Lorena
Morte 12 de junho de 1545 (27 anos)
  Remiremont, Ducado da Lorena
Pai António da Lorena
Mãe Renata de Bourbon
Brasão

Francisco I da Lorena (em francês: François Ier. de Lorraine; Nancy, 23 de agosto de 1517 - Remiremont, 12 de junho de 1545), foi um nobre francês da Casa de Lorena que veio a ser duque soberano da Lorena e de Bar.

Era filho de António, duque da Lorena e de Bar, e de Renata de Bourbon, e reinou apenas durante 363 dias, entre 14 de junho de 1544 e 12 de junho de 1545.

BiografiaEditar

Titulado como Marquês de Pont-à-Mousson[1], passa uma parte da sua infância na corte de França (ele era afilhado do rei Francisco I de França em honra de quem foi batizado).

Em 1527 ele fica noivo de Ana de Clèves mas a baixa idade dos noivos e a conversão do Duque de Clèves ao protestantismo provocam a rutura do noivado. Ana viria a casar em 1540 com o rei Henrique VIII de Inglaterra.

Para conservar o equilíbrio entre o Reino de França e o Império, o duque António da Lorena, seu pai, fá-lo casar com uma sobrinha do imperador Carlos V, Cristina da Dinamarca.

A sobrinha do ImperadorEditar

Cristina era filha do rei Cristiano II da Dinamarca e de Isabel de Habsburgo. A sua mãe morre prematuramente em 1525, e a princesa vem a ser educada pela tia materna, a rainha viúva da Hungria Maria de Habsburgo, Governadora dos Países Baixos.

Com apenas 14 anos, o seu tio materno, Carlos V, casa-a com Francisco I Sforza, duque de Milão. Maria de Habsburgo fez tudo para evitar que a sua jovem sobrinha realizasse um casamento que ela considerava contra-natura, mas o imperador, que pretendia consolidar a sua influência na Itália, ficou surdo a todas as suas reservas. O velho duque de Milão estava próximo do fim da vida e o casamento dura apenas alguns meses, não sendo, sequer, consumado. Na sua qualidade de duquesa viúva de Milão, viúva aos 14 anos, Cristina vai viver para Bruxelas.

No dia 10 de julho de 1541, Cristina volta a casar, desta vez com o herdeiro dos ducados Lorenos.

Entre França e o ImpérioEditar

Os anos 1540s marcam uma evolução nos conflitos entre os Valois e os Habsburgo: o rei de França Francisco I renunciou à Itália, mas os campos de batalha entre os dois beligerantes deslocam-se para norte, e o Ducado da Lorena torna-se um potencial campo de batalha o que faz com que os duques procurem uma política de neutralidade pacífica.

Assim, enquanto o duque António negoceia com Carlos V procurando que a Lorena e o Barrois sejam poupados pelos conflitos, o Imperador decreta, em 1542, os ducados "Livres e não incorporáveis" no Império. O príncipe herdeiro da Lorena, Francisco, toma idêntica iniciativa junto do rei de França que é seu padrinho, mas não obtém sucesso, e as tropas imperiais penetram nos ducados na primavera de 1544 para atacar preventivamente a Champagne.

O duque António morre pouco depois, em 14 de junho de 1544, e Francisco sucede-lhe. Ele mantem a política de seu pai de neutralidade entre a França e o Império (a sua irmã casa com Renato, príncipe de Châlon, favorito do Imperador, que vem a morrer no cerco de Saint-Dizier, em 1544.

O Príncipe da pazEditar

O jovem soberano serve de intermediário entre as duas potências vizinhas, jogando um papel importante nas negociações que se iniciam em 18 de setembro de 1544 com a Paz de Crépy-en-Laonnois. Contudo ele vem a morrer nove meses mais tarde com apenas 24 anos tendo reinado menos de um ano e deixando três filhos muito jovens, entre os quais um menino com apenas dois anos para lhe suceder sob a regência conjunta da sua viúva Cristina da Dinamarca e de seu irmão, Nicolau de Lorena, Bispo de Metz.

Casamento e descendênciaEditar

Francisco I casa em Bruxelas em 10 de julho de 1541 Cristina da Dinamarca, fiha do rei Cristiano II da Dinamarca e Isabel de Habsburgo, (irmã de Carlos V). Como referido, a noiva ficara viúva do duque de Milão Francisco II Sforza e, mais tarde, viria a ser co-regente da Lorena de 1545 a 1552, durante a menoridade do filho.

Deste casamento nasceram:

Nome Retrato Vida Notas
Carlos III da Lorena
  15 de fevereiro de 1543
14 de maio de 1608
casou a 19 de janeiro de 1559 com Cláudia de Valois. Com geração.
Renata
  20 de abril de 1544
22 de maio de 1602
casou em 22 de fevereiro de 1568 com Guilherme V, Duque da Baviera. Com geração.
Doroteia
  24 de maio de 1545
2 de junho de 1621
casou primeiro em 26 de novembro de 1575 com Erico II, Duque de Brunswick-Lüneburgo, e em segundas núpcias em 1597 com Marc de Rye, Marquês de Varambon. Sem geração


AscendênciaEditar


Fontes/BibliografiaEditar

ReferênciasEditar

  1. título reservado aos herdeiros dos duques da Lorena


Precedido por
António I
 
Duque da Lorena
Duque de Bar
Marquês de Pont-à-Mousson

1544–1545
Sucedido por
Carlos III