Abrir menu principal
Um capão depenado.
Disambig grey.svg Nota: Se procura por pela ave enquanto animal vivo, veja Gallus gallus domesticus.

No contexto culinário, o frango capão (ou apenas capão) remete aos pratos feitos com galo que, devido ao fato de terem sido castrados, passaram a se alimentar compulsivamente e a engordar bastante, tornando-se assim pratos peculiares em relação àqueles feitos com frangos comuns [1].

Índice

HistóriaEditar

A origem da criação de frangos capão é controversa, uma vez que tais práticas foram identificadas tanto no extremo oriente na China antiga, quanto na Europa durante o Império Romano e Grécia Antiga [2].

Uma das versões remonta à República Romana, como forma de burlar o banimento do cultivo de galos em Roma por um de seus cônsules, o qual supostamente teria se irritado com barulho que faziam durante a madrugada. Contudo, verificou-se que, para consolar a perda da função reprodutora, as aves castradas teriam começado a se alimentar compulsivamente e a engordar bastante, o que teria institucionalizado a prática [1].

Em outra versão, a castração teria sido utilizada para engorda de galos com o surgimento da lei romana Lex Faunia, que passou a restringir o consumo diário de aves [3].

A partir da Era Cristã o capão passou a ser um prato tradicional das festas de Natal pela Europa, apesar de estar caindo no esquecimento [1][4]. No Brasil, o costume subsiste no interior do Nordeste [1] e na culinária caipira [5].

Contudo, em algumas regiões da Europa o prato continua a ser servido mesmo fora do Natal [1].

Em Portugal, na freguesia de Freamunde realiza-se a 13 de dezembro a feira anual do frango capão, desde que Dom João V subiu ao trono em 1706. Na Itália, o evento ocorre na mesma época, nas regiões da Emília-Romanha, Toscana e Vêneto. Na Espanha, acontece a 19 de dezembro, na comarca de Lugo, região da Galiza.

Produção e CastraçãoEditar

Em geral, animais são castrados para evitar a reprodução e/ou para engordá-los rapidamente. No interior do nordeste brasileiro diz-se ainda que a castração teria a utilidade de fazer os frangos passarem a ajudar as galinhas a criar os pintinhos e fazê-las voltar a botar ovos mais rápido [4].

A avulsão é o nome da técnica de castração dos capões, a qual consiste em realizar uma pequena incisão no assoalho pélvico do frango, pouco acima da cloaca, e retiram-se os testículos com o dedo.[6]

O frango é castrado durante o segundo mês de vida (aos 60 ou 70 dias), quando estão com os esporões curtos, sendo então confinado por sete a oito meses. A ave engorda dentro de gaiolas, superalimentada com milho, gemas de ovos, castanhas cozidas [1] e, ocasionalmente, vinho [4], resultando no aumento da gordura, que torna a carne mais macia e saborosa.

CríticaEditar

Existem opiniões de especialistas no sentido de que os resultados obtidos com a castração não diferem daqueles que seriam obtidos com confinamento e alimentação adequada (método que também não sujeitaria o frango ao risco de infecções decorrentes da castração) [4].

Referências

  1. a b c d e f Italia Oggi: O frango capão: a história de uma tradição culinária que se perdeu
  2. [Rob. R. Slocum; United States. Dept. of Agriculture (1911-05-22). "Historical Sketch". Farmers' Bulletin. Capons and Caponizing. 452. Animal Husbandman in Poultry Investigations, Bureau of Animal Industry. University of Minnesota: U.S. Government Printing Office. p. 5.]
  3. «Como o frango chegou ao forno - São Paulo - Estadão». Consultado em 29 de setembro de 2015 
  4. a b c d Globo Rural. «Dúvidas e problemas esclarecidos por especialistas Edição 211 - Mai/03». Globo.com. Consultado em 29 de setembro de 2015  line feed character character in |título= at position 51 (ajuda)
  5. «A ceia de um caipira - Paladar - Estadão». Consultado em 29 de setembro de 2015 
  6. Alarcon, Daniel Figueiredo Machado, Chen Pinghui, Gabrielle. «Se não der para servir frango de calendário, vá de..Peru». Consultado em 29 de setembro de 2015 

Veja tambémEditar

Ligações externasEditar