Frank Malina

Frank Joseph Malina (2 de outubro de 1912 – 9 de novembro de 1981), natural de Brenham, foi um engenheiro aeronáutico e pintor norte-americano, conhecido como pioneiro nessas duas áreas.[carece de fontes?]

Frank Malina
Nascimento 2 de outubro de 1912
Brenham
Morte 9 de novembro de 1981 (69 anos)
Boulogne-Billancourt (França)
Cidadania Estados Unidos
Filho(s) Roger Malina
Alma mater
Ocupação pintor, engenheiro aeroespacial, engenheiro, cientista, músico
Prêmios
  • Prix d'Astronautique (1939)
Empregador Instituto de Tecnologia da Califórnia

Histórico profissionalEditar

Em 1934, ele se formou como engenheiro mecânico na Texas A&M University. Em 1935, já como estudante no Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), convenceu seu professor, Theodore von Kármán, a deixar que ele se aprofundasse nos estudos de foguetes e propulsão. Ele e mais 5 colegas (incluindo Jack Parsons), criaram um grupo de pesquisa que acabou conhecido como "Esquadrão Suicida" devido aos seus experimentos (e falhas). Em 1942, von Kármán, Malina e três outros estudantes, formaram a Aerojet.[1]

Ao final de 1945, os foguetes de Malina suplantaram os limites do campo de Arroyo Seco, e seus testes foram transferidos para o White Sands Missile Range no Novo México. Lá o projeto do foguete de sondagem chamado WAC Corporal teve sucesso, sendo o primeiro foguete americano a quebrar a barreira oficial do espaço (100 km de altitude).[1][2]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Fraser MacDonald (14 de outubro de 2015). «Frank Malina and an overlooked Space Age milestone». The Guardian. Consultado em 2 de agosto de 2019 
  2. Naquela época, os Estados Unidos já usavam a definição de que o "espaço" começava a partir dos 100 km de altitude, que acabou se tornando o padrão internacional. Ver Linha de Kármán.

Ligações ExternasEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.