Frederic de Hoffmann

Frederic de Hoffmann (Viena, 8 de julho de 1924La Jolla, 4 de outubro de 1989) foi um físico nuclear austro-estadunidense que trabalhou no Projeto Manhattan.[1] Chegou nos Estados Unidos em 1941 e graduou-se na Universidade Harvard em 1945 (obteve também um mestrado em 1947 e um doutorado em 1948).[1] Antes da graduação foi enviado para o Laboratório Nacional de Los Alamos em 1944, onde assistiu Edward Teller no desenvolvimento da bomba de hidrogênio.[1]

Frederic de Hoffmann
Nascimento 18 de julho de 1924
Viena
Morte 4 de outubro de 1989 (65 anos)
La Jolla
Cidadania Estados Unidos
Alma mater
Ocupação físico, físico nuclear
Prêmios
  • Medalha de Ouro de Honra por Serviços para a República da Áustria

Após sair de Los Alamos colaborou com Hans Bethe e Silvan Samuel Schweber no livro-texto Mesons and Fields e foi chairman do Committee of Senior Reviewers da Comissão de Energia Atômica dos Estados Unidos.[2] Seu orientador de Ph.D em 1948 foi Julian Schwinger.[3]

Frederic de Hoffmann foi para a General Dynamics em 1955.[1] Neste mesmo ano foi recrutado por John Jay Hopkins para fundar a General Atomics e ser seu primeiro presidente.[1][4] O propósito desta organização foi fabricar reatores nucleares para a produção de energia, e vendê-los no mercado aberto.[5] No final da década de 1950 organizou o Projeto Orion, um plano para uma espaçonave impulsionada pela explosão de bombas atômicas.[6]

Ajudou fundar o campus da Universidade da Califórnia em San Diego.[4]

De Hoffmann juntou-se ao Instituto Salk em 1970, sendo seu presidente por 18 anos.[1] Foi também chairman and chief executive officer do Salk Institute Biotechnology-Industry Associates Inc.[5] Quando de Hoffmann aposentou-se em 1988 foi nomeado presidente emérito de instituto.[5] Morreu em 1989 de síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS),[1] que contraiu em 1984 de transfusão de sangue infectado durante uma cirurgia.[7]

Referências

  1. a b c d e f g Stevens, William K. (7 de outubro de 1989). «Frederic de Hoffmann, 65, Dies; Physicist and Salk Institute Chief». New York Times. Consultado em 7 de março de 2019 
  2. Dyson, George (2002). Project Orion. Great Britain: Penguin Books. 31 páginas 
  3. Mehra, Jagdish; Milton, Kimball A. (2000). Climbing the Mountain: The Scientific Biography of Julian Schwinger. [S.l.]: Oxford University Press. 153 páginas. ISBN 0-19-850658-9 
  4. a b Seidel, Robert W. (maio de 1995). «Technology transfer: Half-way houses». Department of Energy (17). Consultado em 12 de março de 2010 
  5. a b c «Frederic de Hoffmann». Sarasota herald-Tribune. 7 de outubro de 1989. pp. 7B. Consultado em 7 de março de 2019 
  6. Dyson, Freeman J. (1996). Selected papers of Freeman Dyson with commentary. United States: American Mathematical Society. 26 páginas 
  7. «Many fall victim to AIDS». Gadsden Times. 31 de dezembro de 1989. pp. A18. Consultado em 7 de março de 2019