Abrir menu principal

Fundação Liberato Salzano Vieira da Cunha

Fundação Liberato
Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha
Logo da Fundação Liberato.png
Lema Uma escolha, um caminho, um futuro.
Fundação 12 de abril de 1967 (52 anos)[1]
Tipo de instituição
Brasão do Rio Grande do Sul.svg
Fundação Pública de Direito Privado[2]
Orçamento anual R$ 60 438 322,19 (2018)[3]
Docentes 158[4]
Funcionários 119
Total de estudantes 3 504[1]
Diretor(a) Ramon Fernando Hans [5]
Cidade
Brasão de Novo Hamburgo.svg
Novo Hamburgo
Estado
Brasão do Rio Grande do Sul.svg
Rio Grande do Sul
Cursos técnicos Química; Eletrotécnica; Eletrônica; Mecânica; Segurança do Trabalho; Manutenção Automotiva; Informática para Internet e Design de Interiores. [1]
Cores      Verde

     Vermelho

     Preto
Site www.liberato.com.br

A Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha é uma tradicional escola técnica gaúcha, situada na cidade de Novo Hamburgo, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Seu nome é uma homenagem ao ex-deputado e Secretário da Educação do Estado do Rio Grande do Sul, Liberato Salzano Vieira da Cunha[6].

A Fundação Liberato possui uma estrutura voltada à educação profissional de nível técnico com cerca de três mil alunos matriculados, provenientes de mais de 50 municípios do Rio Grande do Sul, entre eles Novo Hamburgo, Porto Alegre, São Leopoldo, Esteio, Sapucaia do Sul, Canoas, Estância Velha, Campo Bom, Portão, Sapiranga, Dois Irmãos, São Sebastião do Caí, Bom Princípio, Feliz, Montenegro, Ivoti, Capela de Santana, Pareci Novo, entre outros.

CursosEditar

A Fundação Liberato oferece cursos técnicos de nível médio na forma integrada e subsequente, nos termos do Art. 4° do Decreto N° 5154 de de 23 de julho de 2004[7]. Além disso, desde 2014 a Liberato oferece também o curso de Especialização Técnica em Automação e Controle[8].

Cursos integrados ao ensino médioEditar

São os cursos diurnos, com seriação anual, articulados junto ao ensino médio, dirigidos aos alunos provenientes do ensino fundamental. Têm duração de quatro anos – com carga horária média de 1000 horas cada ano, totalizando 4000 horas, em média, nesta etapa – mais o estágio supervisionada na empresa – com duração mínima de 720 horas[9]. Seguindo o Parecer N° 39 do Conselho Nacional de Educação, a Fundação Liberato não oferece o diploma separado de ensino médio aos alunos que optarem por realizar o curso integrado, mesmo que o estudante tenha concluído o quarto ano de formação e reste apenas a etapa do estágio obrigatório. Isso se dá pelo entendimento, por parte do CNE, no referido parecer, de que o curso integrado tem, na concepção do seu currículo, a integração dos dois cursos (médio e técnico), sendo eles indissociáveis, inclusive na conferência do diploma. [10]

Ao todo, são oferecidos 4 cursos técnicos nessa modalidade.

Curso Técnico em QuímicaEditar

Foi o primeiro curso oferecido pela Fundação Liberato, ainda como curso de Química Industrial, na data de fundação da escola, em 1967.[11]. Seu currículo visa desenvolver nos alunos competências profissionais e pessoais necessárias à operação, monitoramento e controle analítico de processos industriais, à prestação de serviços de assistência técnica nas áreas industrial e comercial, ao controle de qualidade de insumos e produtos e ao desenvolvimento de projetos de pesquisa em diferentes tecnologias de produção, fundamentados nos princípios de gestão e preservação ambiental[12].

Curso Técnico em EletrotécnicaEditar

Segundo curso mais antigo da Fundação, em operação desde 1970, tem como objetivo capacitar o aluno a realizar instalações elétricas residenciais, comerciais e industriais, projetos de baixa e alta tensão, luminotécnica, automação e seus processos, pneumática, controladores lógicos programáveis, sensores, atuadores, geradores, transformadores, motores, eletrônica industrial, informática, painéis de comando, bobinagem, instrumentos de medidas elétricas, softwares de representação gráfica, simuladores e eficiência energética.

Curso Técnico em MecânicaEditar

Curso que tem como objetivo objetivo capacitar o aluno a coordenar grupos de trabalho, efetuar planejamento e controle de produção, elaborar projetos mecânicos, realizar o controle de qualidade, coordenar e atuar na área de manutenção preventiva, preditiva e corretiva de sistemas mecânicos[13]. Uma curiosidade do Curso Técnico em Mecânica é que suas primeiras máquinas (algumas ainda em operação), são oriundos de países do leste europeu, como a Tchecoslováquia. Isso ocorreu devido ao superávit comercial que o país possuía à época com esses países, convertido em maquinário para a escola recém fundada[11].

Curso Técnico em EletrônicaEditar

Dentre os cursos diurnos da Liberato, é o mais novo. Seu currículo visa à fundamentação necessária para a compreensão dos sistemas eletroeletrônicos e de controle no todo e em partes funcionais, permitindo a utilização plena dos instrumentos de observação e medição característicos, a elaboração de programas aplicativos em computadores, microprocessadores e microcontroladores, usando as linguagens compatíveis, assim como o desenvolvimento teórico, montagem e teste de protótipos, segundo critérios de projetos previamente definidos[14].

Cursos subsequentesEditar

São cursos de educação profissional noturnos, de seriação semestral, dirigidos a alunos que já possuem o ensino médio e que desejam obter formação técnica. Têm duração de cinco semestres, mais 720 horas de estágio[6]. Ao todo, são oferecidos oito cursos noturnos: os quatro já oferecidos na modalidade integrada mais quatro cursos oferecidos exclusivamente na modalidade subsequente. São eles:

Curso de Especialização TécnicaEditar

A partir de março de 2014, a Liberato passou a oferecer o Curso de Especialização Técnica em Automação e Controle, destinado a estudantes que já tenham concluído formação técnica no eixo tecnológico Controle de Processos, conforme catálogo nacional do Ministério da Educação, como, por exemplo, nas áreas de Química, Eletrotécnica, Mecânica e Eletrônica. O principal objetivo do curso é tornar profissionais técnicos já formados em outras áreas específicas, também especialistas em Automação e Controle[15].

O curso tem duração total de 360 horas, dividas em dois semestres[16].

InfraestruturaEditar

Além das salas de aula convencionais, a Fundação Liberato conta ainda com salas de apoio pedagógico (salas de desenho, sala de vídeo, salas de estudo), serviço de recursos tecnológicos de educação (reprografia e audiovisual), biblioteca, laboratórios e oficinas próprios para cada curso, além de um módulo desportivo-cultural e um ginásio. Os alunos da instituição que desejam executar um projeto de pesquisa, podem utilizar seus laboratórios que, em certos horários, estão livres para uso.

PesquisaEditar

A Fundação Liberato é reconhecida pelo uso do método científico como ferramenta de ensino, estimulando os estudantes a elaborarem um projeto de pesquisa durante cada um dos quatro anos que compreendem a formação nos cursos técnicos diurnos integrados. Dessa forma, a escola entende o aluno como um "aluno pesquisador", objetivando desenvolver, através da formação, a capacidade de utilizar dos princípios científicos cotidianamente[17]. Ao longo dos anos, os resultados da adoção de tal prática fizeram com que a Fundação passasse a ser reconhecida como instituição de pesquisa, e não somente de ensino profissional, conforme fora concebida em sua criação.

A formalização desse reconhecimento e consolidação do uso método científico no ensino se deu através da alteração do estatuto da instituição, em 2014. A alteração modificou o texto original, de 1971, que estabelecia, entre os objetivos da Fundação, que a formação visava "o preparo do indivíduo para o domínio dos recursos científicos e tecnológicos que lhe permitam vencer as dificuldades do meio, mercê de um trabalho especializado e produtivo"[18]. O novo texto enfatiza o caráter científico, tecnológico e de inovação da instituição. As principais alterações nesse sentido aconteceram nas alíneas a) e g) do artigo 3°, que trata dos objetivos da Fundação.

Artigo 3º - Inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana, a Fundação tem por objetivo:

a) ofertar educação profissional e tecnológica, nos níveis básico, médio, técnico e superior, em todas as suas modalidades, com vista ao preparo do indivíduo para que possa interagir, criar e executar atividades ligadas à inovação, à pesquisa, ao desenvolvimento e à expansão científicas e tecnológicas, que venham beneficiar a sociedade;

..........

g) realizar atividades de pesquisa básica ou aplicada, de caráter científico ou tecnológico, especialmente por meio da experimentação com materiais, com máquinas e com processos de fabricação, buscando fomentar o conhecimento técnico e tecnológico que viabilizem a geração,o aprimoramento, o desenvolvimento e a fabricação de produtos, sistemas, serviços e processos inovadores[19];

Essa alteração fez com que a Fundação Liberato passasse a se enquadrar na definição de Instituição Científica e Tecnológica do Estado do Rio Grande do Sul – ICT/RS, mais uma vez consolidando-a como referência em pesquisa no Estado do Rio Grande do Sul[20].

Em 2015, o Ministério da Educação elaborou o Mapa da Inovação e Criatividade na Educação Básica, que teve como finalidade identificar e conhecer iniciativas inovadoras e criativas na educação básica, analisando como essas elas podem contribuir para a melhora da educação básica no país[21]. A Fundação Liberato foi uma das instituições incluídas no mapa[22].

Feiras de CiênciaEditar

Diante da pujante produção científica dos alunos da escola, em 1977, o professor Alberto Dal Molin Filho propôs a criação de uma feira de ciências organizada pela Fundação, com a finalidade de expor à comunidade os projetos desenvolvidos em sala de aula. No ano seguinte, em 1978, foi então realizada a 1ª FEICIT – Feira de Ciência e Tecnologia, que deu início à tradição da escola na organização de feiras de ciências[23].

FEICIT - Feira Interna de Ciência e TecnologiaEditar

Tendo sido a primeira feira de ciências organizada pela Liberato, a FEICIT é realizada anualmente e dela participam exclusivamente alunos regularmente matriculados na Fundação Liberato. A feira tem como objetivo apresentar à comunidade a produção de trabalhos científicos e/ou de investigação dos alunos da Instituição[24]. Em 2018, a FECIT apresentou um total de 120 projetos[25].

A FEICIT é filiada a MOSTRATEC, isso significa que os projetos premiados na feira são credenciados para a MOSTRATEC e representam a Fundação Liberato na feira internacional[26].

MOSTRATEC - Mostra Internacional de Ciência e TecnologiaEditar

 Ver artigo principal: Mostratec

Em 1985 a FEICIT passou a aceitar projetos de todo o estado, alterando seu nome para MOSTRATEC. Sob o novo nome, a feira expandiu-se cada vez mais:

  • Em 1993 a MOSTRATEC assumiu caráter nacional, passando a aceitar projetos de escola técnicas de todo o país;
  • Em 1994 a feira assumiu caráter internacional, projetando-se como um dos principais eventos educacionais do país. O nome da feira foi alterado para Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia, mantendo-se, entretanto, o acrônimo já consagrado;
  • Em 2009 a feira deixou as dependências da Fundação Liberato e passou a ser realizada no Centro de Eventos e Negócios FENAC, ainda dentro dos limites territoriais de Novo Hamburgo, cidade em que a Fundação Liberato está situada[27]. A feira, entretanto, nunca deixou se ser organizada pela Fundação Liberato.

Atualmente, a MOSTRATEC conta com a participação de 640 projetos de pesquisa, do Brasil e de vários países, além de eventos paralelos como: SIET- Seminário Internacional de Educação tecnológica, Festival Maker de Robótica e atividades esportivas e culturais[28]. As premiações da MOSTRATEC são dividias, essencialmente, em 3 categorias[29]:

  • Credenciamento a feiras científicas e tecnológicas nacionais e internacionais.
  • Prêmios de Tecnologia, em que instituições públicas e privadas oferecem prêmios em diferentes áreas, conforme critério de cada instituição, o que promove integração entre as instituições de pesquisa e o meio empresarial.
  • Bolsas de estudo em tradicionais instituições de ensino da região, como Unisinos, Feevale e UniRitter.


Enquadramento jurídicoEditar

A Lei que autoriza o estabelecimento da Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha como Fundação, estabelece, em seu segundo artigo, a natureza jurídica da Fundação.

"Art. 2º - A Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha é uma entidade de direito privado, dotada de autonomia administrativa, didática, econômica e financeira, regendo-se por Estatuto aprovado pelo Governo do Estado e adquirirá personalidade jurídica a partir da inscrição, no Registro Civil das Pessoas Jurídicas, do seu ato constitutivo, com o qual serão apresentados o estatuto e o decreto que o aprovar."[30]

Por isso, a Fundação Liberato enquadra-se na categoria das Fundações Públicas de Direito Privado. Pública porque foi estabelecida via Lei e com patrimônio do Estado; privada pelo caráter que a própria Lei 5.444/67 confere-lhe[31]. Na prática, esse enquadramento possibilita que a Liberato firme convênios com empresas privadas[32], receba doações de terceiros e cobre mensalidades, ainda que os vencimentos de todos os funcionários sejam pagos pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, que também indica membro para o Conselho Técnico Deliberativo – órgão máximo de deliberação na instituição –, e faz investimentos na infraestrutura da escola[33].

Ainda sobre a cobrança de mensalidades, cabe ressaltar que são oferecidas bolsas educacionais aos estudantes, que podem receber isenção total do pagamento de mensalidades, ou então bolsas parciais, concedidas em diferentes faixas de contribuição, conforme condição socieconômica do estudante[34].

Ligações externas

  Este artigo sobre escolas ou colégios é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. a b c «Sobre a Liberato». Consultado em 4 de janeiro de 2015 
  2. «Lei n° 5.444, de 23 de janeiro de 1967» (PDF). Consultado em 4 de janeiro de 2015 
  3. «Portal da Transparência RS». Consultado em 3 de janeiro de 2019 
  4. «Portal da Transparência RS». Consultado em 4 de janeiro de 2019 
  5. de Fevereiro de 2018 «Diretorias da Liberato» Verifique valor |url= (ajuda) 
  6. a b «Sobre a Liberato | Liberato». www.liberato.com.br. Consultado em 26 de novembro de 2017 
  7. «D5154». www.planalto.gov.br. Consultado em 26 de novembro de 2017 
  8. PROCERGS. «Liberato tem aula inaugural do curso de Especialização Técnica em Automação e Controle». Governo do Estado do Rio Grande do Sul 
  9. «Grade do Curso Técnico em Eletrotécnica» (PDF). 2013. Consultado em 26 de novembro de 2017 
  10. «Par.39/04-CNE/CEB» (PDF). 8 de dezembro de 2004. Consultado em 26 de novembro de 2017 
  11. a b «CURSO DE QUÍMICA: AULAS INICIAM QUARTA-FEIRA NA ESCOLA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA». Jornal NH 
  12. «Química | Liberato». www.liberato.com.br. Consultado em 26 de novembro de 2017 
  13. «Mecânica | Liberato». www.liberato.com.br. Consultado em 26 de novembro de 2017 
  14. «Eletrônica | Liberato». www.liberato.com.br. Consultado em 26 de novembro de 2017 
  15. PROCERGS. «Liberato tem aula inaugural do curso de Especialização Técnica em Automação e Controle». Governo do Estado do Rio Grande do Sul 
  16. «Especialização Técnica | Liberato». www.liberato.com.br. Consultado em 26 de novembro de 2017 
  17. «PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO - FUNDAÇÃO LIBERATO» (PDF). Consultado em 2 de janeiro de 2019 
  18. «DECRETO Nº 21.363, DE 13 DE OUTUBRO DE 1971.» 
  19. «DECRETO Nº 52.101, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014.» (PDF)  line feed character character in |titulo= at position 20 (ajuda)
  20. «LEI Nº 13.196, DE 13 DE JULHO DE 2009.» (PDF) 
  21. «Saiba como foi feito o Mapa da Inovação e Criatividade na Educação Básica» 
  22. «Mapa da Inovação e Criatividade na educação brasileira.» 
  23. «MOSTRATEC - História.» 
  24. «EDITAL FEICIT 2018» (PDF) 
  25. «CLASSIFICADOS FEICIT 2018» (PDF) 
  26. «FUNDAÇÃO LIBERATO - FEICIT» 
  27. «MOSTRATEC - HISTÓRIA» 
  28. «FUNDAÇÃO LIBERATO - MOSTRATEC» 
  29. «MOSTRATEC - PREMIAÇÃO DOS PROJETOS» 
  30. «LEI Nº 5.444, DE 23 DE JANEIRO DE 1967» (PDF). 23 de janeiro de 1967 
  31. «Fundação Pública X Fundação Privada - Colunas | Carta Forense». www.cartaforense.com.br. Consultado em 26 de novembro de 2017 
  32. PROCERGS. «Fundação Liberato e ThyssenKrupp Elevadores inauguram Centro de Treinamento». Governo do Estado do Rio Grande do Sul 
  33. PROCERGS. «Obras na Fundação Liberato Salzano vão garantir mais segurança e acessibilidade». Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Consultado em 26 de novembro de 2017 
  34. «RESOLUÇÃO Nº 1829/2010» (PDF). 16 de novembro de 2010