Abrir menu principal

Fundação Padre Anchieta

Fundação pública de radiodifusão brasileira
Fundação Padre Anchieta
Centro Paulista de Rádio e TV Educativas
Tipo Entidade de direito privado
Fundação 26 de setembro de 1967 (51 anos)
Propósito Radiodifusão educativa e cultural
Sede São Paulo, São Paulo, Brasil
Línguas oficiais Português
Filiação Governo de São Paulo
Presidente José Roberto Maluf
Sítio oficial fpa.com.br
Acervo Telecurso dos anos 80 numa casa de cultura.

A Fundação Padre Anchieta é uma entidade brasileira que desenvolve atividades de rádio e televisão educativos.

Índice

HistóriaEditar

Foi instituída pelo governo do estado de São Paulo no dia 26 de setembro de 1967 e possui uma emissora de televisão, a TV Cultura, e as emissoras de Rádio Cultura de SP AM e FM e outras mídias. A Fundação Padre Anchieta é uma fundação governamental, ou seja, entidade de direito privado que goza de autonomia intelectual, política e administrativa. Suas atividades são mantidas por meio de:

  • repasses orçamentários governamentais, validados pelo Governador e Assembleia Legislativa;
  • recursos financeiros obtidos junto à iniciativa privada através de apoios culturais e veiculação de propagandas;
  • parcerias com outras rádios e televisões;
  • vendas de fitas e vídeos de seus programas aos telespectadores.

As emissoras da Fundação Padre Anchieta têm como meta oferecer programação de interesse público, sem comprometimento com interesses comerciais ou com a administração pública. Os recursos públicos repassados para a TV Cultura (grosso do orçamento da Fundação) foram de R$ 74,7 milhões em 2006, enquanto R$ 36,2 milhões tiveram origem privada (de patrocinadores e parceiros).[1]

MídiasEditar

Conselho CuradorEditar

O Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta é composto por 47 membros, sendo: três vitalícios, vinte natos, vinte e três eletivos, um representante dos empregados da Fundação. São vitalícios os três membros designados conforme o estabelecido na escritura de doação do Solar Fábio Prado à Fundação Padre Anchieta, por Dona Renata Crespi da Silva Prado.

São membros natos:

  • 1. o Presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo;
  • 2. o Presidente da Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo;
  • 3. o Secretário de Estado da Cultura;
  • 4. o Secretário de Estado da Educação;
  • 5. o Secretário de Estado dos Negócios da Fazenda; ABRIL / 2009 4
  • 6. o Secretário da Educação do Município de São Paulo;
  • 7. o Secretário da Cultura do Município de São Paulo;
  • 8. o Reitor da Universidade de São Paulo;
  • 9. o Reitor da Universidade Estadual de Campinas;
  • 10. o Reitor da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho";
  • 11. o Reitor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo;
  • 12. o Reitor da Universidade Mackenzie;
  • 13. o Presidente do Conselho Estadual de Educação;
  • 14. o Presidente do Conselho Estadual de Cultura;
  • 15. o Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo;
  • 16. o Presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência;
  • 17. o Presidente da União Brasileira de Escritores;
  • 18. o Presidente da Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior ou representante especialmente credenciado;
  • 19. o Presidente da União Estadual dos Estudantes;
  • 20. o Coordenador Geral do Pensamento Nacional das Bases Empresariais ou representante especialmente credenciado.

Os 23 membros eletivos serão eleitos pela maioria absoluta do Conselho Curador dentre personalidades de ilibada reputação e notória dedicação à educação, à cultura ou a outros interesses comunitários. Os membros eleitos exercerão o mandato por um triênio, renovada anualmente a composição da categoria pelo terço e permitida uma reeleição.

Os administradores da Fundação deverão ser brasileiros natos, sendo sua investidura nos respectivos cargos precedida de expressa aprovação pelo Ministério das Comunicações.[2] A cada três anos, o conselho curador elege um novo presidente para a fundação. O atual presidente é José Roberto Maluf, no cargo desde 13 de junho de 2019.[3]

Referências

  1. «Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão». Consultado em 7 de maio de 2007. Arquivado do original em 28 de setembro de 2007 
  2. «Estatuto da Fundação» (PDF). Consultado em 4 de abril de 2012. Arquivado do original (PDF) em 3 de março de 2016 
  3. Ricco, Flávio (12 de junho de 2019). «José Roberto Maluf assume TV Cultura com desafio de audiência e receita». UOL. Consultado em 21 de junho de 2019 

Ligações externasEditar