Abrir menu principal

Gabrielle da Silva

Gabrielle da Silva
Ginástica rítmica
Nome completo Gabrielle Moraes da Silva
Apelido Gabi
Modalidade Individual
Conjunto
Representante Brasil Brasil
Nascimento 4 de março de 1997 (22 anos)
Cambé, Brasil
Nacionalidade Brasil brasileira
Compleição Peso: 51kg Altura: 1,64m
Nível Sênior
Treinador Camila Ferezin
Clube Unopar
Período em atividade 2003–presente
Medalhas
Competidora do  Brasil
Ginástica rítmica
Campeonato Pan-Americano
Ouro Mississauga 2014 Grupo geral
Ouro Mississauga 2014 10 maças
Ouro Mississauga 2014 3 bolas + 2 fitas
Ouro Daytona Beach 2017 Grupo geral
Ouro Daytona Beach 2017 3 bolas + 2 cordas
Prata Daytona Beach 2017 5 arcos
Campeonato Sul-Americano
Ouro Cochabamba 2017 Grupo geral
Ouro Cochabamba 2017 5 arcos
Ouro Cochabamba 2017 3 bolas + 2 cordas

Gabrielle Moraes da Silva (Cambé, 4 de março de 1997) é uma ginasta rítmica brasileira. Representou o Brasil nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016, como parte do conjunto brasileiro da ginástica rítmica.[1]

CarreiraEditar

Gabrielle iniciou na modalidade aos seis anos de idade, influenciada pela irmã. Iniciou seus treinamentos em um projeto de ginástica rítmica da Universidade Norte do Paraná em Londrina.[2]

No ano de 2013 Gabrielle fez parte da equipe que conquistou a inédita medalha de bronze na etapa de Minsk da Copa do Mundo de Ginástica Rítmica, no conjunto de 3 bolas + 2 fitas, a primeira medalha de uma equipe latino-americana na história da competição.[3] Em 2014 participou do Campeonato Pan-Americano de Ginástica de 2014 como parte do conjunto brasileiro, conquistando medalhas de ouro em todas as provas, o que classificou a equipe para os Jogos Pan-Americanos de 2015, em Toronto.[4] Ainda em 2014 Gabrielle participou também do Campeonato Mundial em Esmirna. A equipe terminou a competição em 15º lugar na ocasião.[5]

Em 2016 Gabrielle da Silva foi convocada para representar o Brasil na competição de equipes nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016. A equipe brasileira viria a ficar fora da final por uma pequena margem, terminando a competição em nono lugar.[6]

Referências

  1. «Brasil convoca conjunto de ginástica rítmica para a Olimpíada do Rio». GloboEsporte.com. 14 de julho de 2016. Consultado em 24 de março de 2018 
  2. «Tradição na ginástica rítmica». Folha de Londrina. 24 de julho de 2016. Consultado em 24 de março de 2018 
  3. «Seleção brasileira de ginástica ritmica conquista o bronze na etapa de Minsk». GloboEsporte.com. 19 de maio de 2013. Consultado em 24 de março de 2018 
  4. «Seleção brasileira de ginástica rítmica vai aos Jogos Pan-Americanos 2015». GloboEsporte.com. 22 de agosto de 2014. Consultado em 24 de março de 2018 
  5. «Seleção de conjunto de ginástica rítmica encerra participação no Mundial». Brasil2016.gov. 29 de setembro de 2014. Consultado em 24 de março de 2018 
  6. «Brasil emociona público na ginástica rítmica, mas fica fora da final». UOL. 20 de agosto de 2016. Consultado em 24 de março de 2018 

Ligações externasEditar