George Blake

George Blake, nascido George Behar (Roterdã, 11 de novembro de 1922 – Moscou, 26 de dezembro de 2020), foi um espião britânico, conhecido por ter sido um agente duplo a serviço da União Soviética durante os anos 50. Descoberto apenas em 1961, ele foi sentenciado a 42 anos de prisão. Contudo, Blake conseguiu escapar do confinamento na cadeia de Wormwood Scrubs em 1966 e fugiu para a Rússia.[1][2]

George Blake
Nascimento 11 de novembro de 1922
Roterdã, Países Baixos
Morte 26 de dezembro de 2020 (98 anos)
Moscou, Rússia
Nacionalidade britânico
Ocupação Espião

Blake foi recrutado pela inteligência britânica durante a Segunda Guerra Mundial, se tornando uma gente duplo uma década mais tarde. Ele trabalhou dando informações secretas para os soviéticos até 1961, quando foi preso. Após cinco anos na cadeia, ele escapou da prisão e fugiu para a Alemanha Oriental antes de ir para a União Soviética.[3] Viveu então em Moscou pelas próximas décadas, sem chamar muita atenção para si mesmo, e ganhou uma pensão de ex-funcionário da KGB. Nas poucas vezes em que deu entrevistas para jornais ocidentais, Blake não demonstrou arrependimentos, porém disse se sentir mal com a morte de agentes infiltrados que ajudou a entregar para os russos.[4] Ele contou também que ainda era um militante marxista-leninista e que não se sentia um traidor.[5] Blake disse que virou um comunista após testemunhar as consequências humanitárias do bombardeio feito pela força aérea dos Estados Unidos contra a Coreia do Norte no começo da década de 1950, ao mesmo passo que começou a ler os trabalhos de Karl Marx e de outros pensadores comunistas enquanto estava detido pelos os norte-coreanos.[6]

Em um dos casos mais notórios, ele entregou aos soviéticos informações sobre um túnel (Operação Gold) que a CIA e o MI6 estavam escavando em Berlim para tentar acessar as linhas de comunicação entre o quartel-general do exército soviético e Moscou. Graças as informações de George Blake, o túnel foi descoberto e os russos passaram quase um ano transmitindo dados falsos aos americanos.[7]

Em 26 de dezembro de 2020, o Kremlin divulgou a morte do Blake, aos 98 anos de idade.[8][9][10]

Referências

  1. «George Blake - The Confession». BBC Radio 4. 3 de agosto de 2009 
  2. «Biography George Blake». Consultado em 4 de maio de 2014. Arquivado do original em 21 de fevereiro de 2013 
  3. Hermiston, Roger (2013). The Greatest Traitor: The Secret Lives of Agent George Blake. Londres: Aurum Press. ISBN 978-1-78131-046-5 
  4. «George Blake obituary». the Guardian (em inglês). 26 de dezembro de 2020. Consultado em 26 de dezembro de 2020 
  5. Roger Hermiston, The Greatest Traitor - The Secret Lives of Agent George Blake. London: Aurum Press 2013.
  6. McFadden, Robert D (26 de dezembro de 2020). «George Blake, British Spy Who Betrayed the West, Dies at 98». New York Times. Consultado em 27 de dezembro de 2020. Cópia arquivada em 26 de dezembro de 2020 
  7. Stafford, David. Spies Beneath Berlin – the Extraordinary Story of Operation Stopwatch/Gold, the CIA's Spy Tunnel Under the Russian Sector of Cold War Berlin Overlook Press, 2002. ISBN 1-58567-361-7
  8. McFadden, Robert (26 de dezembro de 2020). «George Blake, British Spy Who Betrayed the West, Dies at 98». The New York Times (em inglês). Consultado em 26 de dezembro de 2020 
  9. «George Blake: Soviet Cold War spy and former MI6 officer dies in Russia». BBC News (em inglês). Consultado em 26 de dezembro de 2020 
  10. Sahuquillo, María R. (26 de dezembro de 2020). «Morre George Blake, o famoso agente duplo britânico que espionou para a URSS na Guerra Fria». EL PAÍS. Consultado em 26 de dezembro de 2020 

Ligações externasEditar