Gil de Roma

Gil de Roma, Giles de Roma ou Egídio Romano (em latim: Ægidius Romanus; em italiano: Egidio Colonna; c. 1243 - 22 de dezembro de 1316), foi um filósofo medieval e teólogo escolástico e frade da Ordem de Santo Agostinho, que também foi nomeado para os cargos de Prior Geral da sua ordem e arcebispo de Burges.[1] Ele é famoso por ser um lógico, produzindo um comentário sobre o Organon de Aristóteles, e por sua autoria de duas importantes obras, De Ecclesiastica Potestate (O poder eclesiástico), um texto importante sobre o poder papal do início do século XIV e De Regimine Principum (O governo dos príncipes), um guia para liderança temporal cristã. Gil foi denominado "Doctor Fundatissimus" ("Exímio Professor") pelo papa Bento XIV.[2]

Gil de Roma ou Egídio Colonna (em italiano)

Escritores na Inglaterra dos séculos XIV e XV, como John Trevisa e Thomas Hoccleve, o traduziram ou adaptaram para inglês.[2]

Referências

  1. Lyon-Caen, Judith (2003). «Histoire littéraire et histoire de la lecture». Revue d'histoire littéraire de la France (3). 613 páginas. ISSN 0035-2411. doi:10.3917/rhlf.033.0613 
  2. a b Lambertini, Roberto (2019). Zalta, Edward N., ed. «Giles of Rome». Metaphysics Research Lab, Stanford University. Consultado em 13 de julho de 2022 
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Gil de Roma
  Este artigo sobre filosofia/um(a) filósofo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.