Giuliano Finelli

Escultor italiano

Giuliano Finelli (Carrara, 1601Roma, 16 de agosto de 1653) foi um escultor italiano do movimento Barroco. Era um dos aprendizes no estúdio de Bernini.

Giuliano Finelli
Nascimento 1601
Carrara, Itália
Morte 16 de agosto de 1653 (52 anos)
Roma, Itália
Nacionalidade italiano
Área Escultura
Movimento(s) Barroco

BiografiaEditar

Giuliano nasceu em 1601, em uma família de mineradores de mármore na cidade de Carrara, associada com um tipo específico de mármore, bastante apreciado na decoração de interiores e na escultura. Interessado em arte desde pequeno, ele inicialmente foi aprendiz de Michelangelo Naccherino. Foi por alguns anos aprendiz e assistente no estúdio de Bernini, tendo colaborado em várias obras com alto nível de detalhes.[1]

Os dois se desentenderam em 1629, depois de Giuliano se sentir desrespeitado após a encomenda da estátua de Santa Helena, que ficaria no cruzeiro da Basílica de São Pedro, ter sido entregue a Andrea Bolgi, outro aprendiz de Bernini. Giuliano também ficou ressentido pela falta de reconhecimento dos detalhes por ele esculpidos na obra Apolo e Dafne, de Bernini. Por algum tempo, após sair do estúdio de Bernini, trabalhou sozinho, muitas vezes com o auxílio de Pietro da Cortona.[1]

A diferença entre Bernini e Giuliano Finelli é pequena. Giuliano era mais meticuloso e detalhista ao esculpir pequeninos detalhes em mármore, que fazem a diferença em uma obra, mas que pode tirar a atenção do observador da figura retratada.[2] Bernini não prestava muita atenção a bordados, tecidos, detalhes de joias, estando mais centrado nas feições e drama de suas obras. A diferença pode ser observada nos bustos do cardeal Scipione Borghese, que frequentemente contratava artistas. Enquanto a obra de Bernini tem vida e movimento[3], a de Finelli é mais sóbria, de olhar para baixo.[4]

Nos anos após sua saída do estúdio de Bernini, Giuliano se mudou para Nápoles com seu pupilo e sobrinho, Domenico Guidi. Giuliano ficou conhecido na cidade por seus vários bustos e estátuas na Capela Real do Tesouro de São Januário e da Catedral de Nápoles. Também ficou conhecido por sua rixa com o escultor rival Cosimo Fanzago e a disputa por encomendas.

MorteEditar

Giuliano morreu em Roma, em 16 de agosto de 1653, aos 52 anos.[5]

GaleriaEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Giuliano Finelli

Referências

  1. a b Joseph Connors (ed.). «Review of Jennifer Montagu, Baroque Sculpture: The Industry of Art». The New York Review of Books. Consultado em 9 de março de 2020 
  2. Megan Cooper (ed.). «17th-Century Sculpture Captures Unbelievable Lace Details in Hand-Carved Marble». My Modern Met. Consultado em 9 de março de 2020 
  3. «Bernini's portrait of Scipione». Archive.com. Consultado em 9 de março de 2020 
  4. «Bust of Scipione Borghese». Web Gallery of Art. Consultado em 9 de março de 2020 
  5. «Giuliano Finelli - Biography». Mutual Art. Consultado em 9 de março de 2020