Abrir menu principal

Gonçalo Pereira da Silva de Noronha de Lemos e Menezes

Gonçalo Pereira da Silva de Noronha de Lemos e Menezes
Nascimento 18 de outubro de 1744
Morte maio de 1796 (51 anos)
Cidadania Portugal
Prêmios Cavaleiro da Ordem de Cristo

Gonçalo Pereira da Silva Pacheco de Sousa Menezes Osório de Melo de Noronha e Lima ou simplesmente Gonçalo Pereira da Silva de Noronha de Lemos e Menezes (18 de Outubro de 1744 - Maio de 1796), moço fidalgo com exercido na Casa Real, acrescentado a fidalgo escudeiro, sargento-mór de Batalha ou brigadeiro do Exército, e Governador Militar do reino do Algarve, senhor da Honra de São Martinho de Valbom, donatário do Couto do Francemil, 1.º senhor da Vila de Bertiandos, anexando-lhe as duas aldeias de Esturãos e de Santa Comba[1][2][3], senhor do 1.º morgado de Bertiandos e dos de Chainha no Alentejo, de São Miguel, junto à cidade da Guarda, da Quinta dos Freixos em São Martinho de Salreu, junto a Estarreja, dos Guedes, ou de Carrazedo de Montenegro, em Trás-os-Montes[4], de Sousas ou de Pentieiros, em Ponte de Lima, da Calheta, na Ilha Terceira, padroeiro da Igreja de São Salvador de Bertiandos, cavaleiro professo na Ordem de Cristo (3.7.1783[5]).

Dados genealógicosEditar

Pais:

  • Pai
    • Damião António Pereira da Silva Pacheco de Sousa e Menezes, natural de São Martinho de Salreu; Moço Fidalgo com exercício na Casa Real (alvará de 7 de Agosto de 1744) ; Donatário do Couto de Francemil; Sr. da Honra de São Martinho de Valbom; Senhor do 1." Morgado de Bertiandos, e do de Sousas ou de Pentieiros; da Chainha, no Alentejo; de São Miguel, junto à Guarda; de São Martinho de Salreu; dos Guedes de Carrazedo de Montenegro, em Trás-os-Montes; da Calheta, na Ilha Terceira; Padroeiro das Igrejas de São Pedro de Gondarém (antigamente Mangoeiro); de São Salvador de Bertiandos, e alternadamente do beneficio simples de Santa Maria da Cunha; Cavaleiro Professo na Ordem de Cristo; Familiar do Santo Ofício; sargento-mór do Regimento de Infantaria de Viana do Minho, filho de de Gonçalo de Sousa de Menezes, natural de Bertiandos, comendador de Canelas, e de sua mulher D. Luísa Teodósia Pinto Freire de Andrade, natural de Santarém.
  • Mãe:

Casou, a 22 de Junho de 1763, com:

Filhos:

Referências

  1. como sucessor de seu tio, Francisco Pereira da Silva, ao qual em recompensa de seus serviços foi concedida mercê, por decreto de 13 de Abril de 1790 do senhorio de uma vila de 200 vizinhos, ora verificada na vila de Bertiandos, por decreto de 19 de Fevereiro de 1790 e de 7 de Janeiro de 1791
  2. Alvará. Mercê do Senhorio da Freguesia de Bretiandes, 1790-04-13, Registo Geral de Mercês de D. Maria I, liv.12, f. 231v, ANTT
  3. Carta. Senhorio de 200 vizinhos para fazer Vila no Lugar de Britiandos, 1791-01-07, Registo Geral de Mercês de D. Maria I, liv.26, f. 73v, ANTT
  4. Gonçalo Pereira fez tombar os vinculos da sua Casa, nos quaes se incluíram os de Carrazedo e Montenegro, para o que obtivera autorização por Provisão do Desembargo do Paço, de 23 de Agosto de 1792, nomeando-lhe o respectivo magistrado, o Bacharel António de Azevedo Lopes Serra para efectuar a respectiva tombação.
  5. Diligência de habilitação para a Ordem de Cristo de Gonçalo Pereira da Silva Pacheco de Sousa de Menezes Osório de Melo de Noronha e Lima, Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Código de ref.: PT/TT/MCO/A-C/002-007/0006/00025

BibliografiaEditar

  • José Barbosa Canaes de Figueiredo Castello Branco, Costados das famílias illustes de Portugal, Algarves, Ilhas, e Indias, Volume 1, Impressão Regia, 1829, pág. 26
  • Felgueiras Gayo, Nobiliário das Famílias de Portugal, Carvalhos de Basto, 2ª Edição, Braga, 1989, vol. VIII-pg. 210 (Pereiras) e vol. X-pg. 338 (Sousa)