Google Sites

Google Sites é um wiki estruturado e uma ferramenta de criação de páginas da web incluída como parte do pacote gratuito de editores de documentos do Google baseado na web oferecido pelo Google. O serviço também inclui Google Docs, Google Sheets, Google Slides, Google Drawings, Google Forms e Google Keep. O Google Sites está disponível apenas como um aplicativo da web. O aplicativo permite que os usuários criem e editem arquivos online enquanto colaboram com outros usuários em tempo real.

Google Sites
Logótipo
Desenvolvedor Google
Plataforma Aplicação web
Lançamento 28 de fevereiro de 2008 (14 anos)
Gênero(s) Criação de websites
Página oficial sites.google.com

HistóriaEditar

O Google Sites começou como JotSpot, o nome e o único produto de uma empresa de software que oferecia software social empresarial. Foi direcionado principalmente para pequenas e médias empresas. A empresa foi fundada por Joe Kraus e Graham Spencer, cofundadores da Excite.

Em fevereiro de 2006, a JotSpot foi nomeada parte do Business 2.0, "Next Net 25",[1] e em maio de 2006, foi homenageada como uma das "15 Start-ups to Watch" da InfoWorld.[2] Em outubro de 2006, o JotSpot foi adquirido pelo Google.[3] O Google anunciou uma transição prolongada de dados de páginas da Web criadas usando o Google Page Creator (também conhecido como "Google Pages") para servidores do Google Sites em 2007. Em 28 de fevereiro de 2008, o Google Sites foi lançado usando a tecnologia JotSpot.[4] O serviço era gratuito, mas os usuários precisavam de um nome de domínio, que o Google oferecia por US$ 10. No entanto, a partir de 21 de maio de 2008, o Google Sites ficou disponível gratuitamente, separadamente do Google Apps e sem a necessidade de um domínio.[5]

Em junho de 2016, o Google apresentou uma reconstrução completa da plataforma do Google Sites, denominada Novo Google Sites,[6][7] juntamente com o cronograma de transição do Google Sites clássico.[8] O novo Google Sites não usa a tecnologia JotSpot.

Em agosto de 2020, o novo Google Sites tornou-se a opção padrão para criação de sites, enquanto em novembro de 2021, todos os sites feitos com o Google Sites clássico foram arquivados. 

CensuraEditar

Após uma decisão de um tribunal regional turco em 2009, todas as páginas hospedadas no Google Sites foram bloqueadas na Turquia após a alegação de que uma das páginas continha um insulto ao fundador da Turquia, Mustafa Kemal Atatürk. Em 2012, o Tribunal Europeu de Direitos Humanos (CEDH) considerou o bloqueio uma violação do artigo 10 da Convenção Europeia de Direitos Humanos (Yildirim v Turquia, 2012).[9] O bloqueio foi levantado em 2014.[10]

Referências

  1. Schonfeld, Eric (28 de fevereiro de 2008). «CNN's – The Webtop». con Mindy con mine.com. Consultado em 28 de fevereiro de 2008 
  2. Gruman, Galen (15 de maio de 2006). «JotSpot delivers enterprise wikis and mashups». InfoWorld. Consultado em 29 de fevereiro de 2008 
  3. Spot on – Google Blog, November 1, 2006
  4. Auchard, Eric (28 de fevereiro de 2008). «Google offers team Web site publishing service». Yahoo! News. Consultado em 28 de fevereiro de 2008. Cópia arquivada em 2 de março de 2008 
  5. «Google Sites Help Group». 22 de maio de 2008. Consultado em 22 de maio de 2008 
  6. Lardinois, Frederic. «Google's redesigned Google Sites goes live». TechCrunch (em inglês). Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  7. «Google Apps for Work – Email, Collaboration Tools And More». apps.google.com. Consultado em 20 de junho de 2016. Arquivado do original em 28 de setembro de 2016 
  8. «An update on the classic Google Sites deprecation timeline». G Suite Updates Blog (em inglês). Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  9. 1 Crown Office Row (16 de janeiro de 2013). «Turkish block on Google site breached Article 10 rights, rules Strasbourg». UK Human Rights Blog. Consultado em 15 de junho de 2013 
  10. «Google Transparency Report – Turkey, Google Sites». Consultado em 4 de outubro de 2013