Grace Sherwood

Grace Sherwood
Nascimento 1660
Virgínia
Morte 1740 (80 anos)
Virgínia
Ocupação obstetriz, agricultora

Grace White Sherwood (16601740), chamada de Bruxa de Pungo, é a última pessoa conhecida por ter sido condenada por bruxaria na Virgínia.

Agricultora, curandeira e parteira, foi acusada por seus vizinhos de se transformar em um gato, danificando plantações e causando a morte de animais, tendo sido acusada de bruxaria várias vezes. Em seu julgamento, em 1706, Sherwood foi acusada de enfeitiçar sua vizinha Elizabeth Hill, fazendo com que Hill abortasse. O tribunal ordenou que a culpa ou inocência de Sherwood fosse determinada mergulhando-a na água. Se ela afundasse, era inocente; se não o fizesse, era culpada. Sherwood flutuou para a superfície e passou quase oito anos na prisão antes de ser libertada.

Grace viveu em Pungo, no condado de Princess Anne [nota 1] (hoje parte de Virginia Beach) e casou-se com James Sherwood, um agricultor, em 1680. O casal teve três filhos: John, James e Richard. Seu primeiro caso foi em 1697 - foi acusada de lançar um feitiço em um touro, resultando em sua morte, mas o assunto foi encerrado com um acordo de ambas as partes. No ano seguinte, foi acusada de bruxaria por dois vizinhos - ela supostamente enfeitiçou os porcos e o algodão de um deles. Sherwood processou por calúnia após cada acusação, mas seus processos não tiveram êxito e o marido teve que pagar as custas judiciais. Em 1706, foi condenada por bruxaria e encarcerada. Libertada da prisão em 1714, recuperou sua propriedade do condado de Princess Anne (seu marido morreu em 1701). Ela não se casou novamente e viveu em sua fazenda até sua morte em 1740, com cerca de 80 anos.

Em 10 de julho de 2006, no 300.º aniversário da condenação de Sherwood, o governador Tim Kaine concedeu um perdão informal para "restaurar oficialmente [seu] bom nome"[1], reconhecendo que ela foi condenada injustamente. Uma estátua que a descreveu foi erguida perto da Sentara Healthcare, no Independence Boulevard, em Virginia Beach, perto do tribunal colonial onde ela foi julgada. Ela é esculpida ao lado de um guaxinim, representando seu amor por animais, e carregando uma cesta contendo alho e alecrim, em reconhecimento ao seu conhecimento sobre a cura com ervas.

Contexto familiarEditar

Grace nasceu em 1660, na Virgínia, provavelmente em Pungo.[2] Era filha de John White, que era carpinteiro e fazendeiro de descendência escocesa (não se sabe se ele nasceu nos Estados Unidos)[3] e de Susan, que era inglesa de nascimento. [4][5][6]

Em abril de 1680, Grace White casou-se com um respeitado proprietário de terras agrícolas, James Sherwood, na Igreja Paroquial de Lynnhaven.[2][6][7] O casal teve três filhos: John, James e Richard. John White deu-lhes 50 acres (20 ha) de terra quando se casaram e, com a morte dele em 1681, deixou o restante de sua fazenda de 145 acres (59 ha).[8] A família Sherwood era pobre e vivia em uma área habitada por pequenos proprietários de terras ou por pessoas sem terra.[6][9][10] Além da agricultura, Grace cultivou suas próprias ervas, que ela usava para curar pessoas e animais. Ela também atuou como parteira.[11] Quando James morreu em 1701, Grace herdou sua propriedade.[12][13] Ela não se casou novamente.[5]

Não existem desenhos ou pinturas de Grace, mas relatos contemporâneos a descrevem como atraente, alta e com senso de humor. Ela usava calça em vez de vestido enquanto trabalhava em sua fazenda. Isso era incomum para a época, assim como sua erva crescia. Dizia-se que a combinação de roupas e boa aparência atraía homens e aborrecia suas esposas.[3][14] A biógrafa e advogada de Sherwood, Belinda Nash, sugere que os vizinhos tinham inveja dela, e que os contos de bruxaria podem ter sido evocados em um esforço para removê-la e, posteriormente, obter sua propriedade.[2][14] Grace participou de pelo menos uma dúzia de ações judiciais, nas quais ela teve que se defender de acusações de bruxaria, ou na qual processou seus acusadores por difamação.[14]

Notas

  1. Condado de Baixo Norfolk, ante de 1961.
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Grace Sherwood».

Referências

BibliografiaEditar

Leitura adicionalEditar


 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Grace Sherwood