Abrir menu principal
Guidantonio I de Montefeltro
Conde de Urbino[1]
Coat of arms of the House of Montefeltro.svg
Brasão da Casa de Montefletro
Consorte (1) Rengarda Malatesta;
(2) Catarina Collona
Casa Casa ducal de Urbino
Dinastia Casa de Montefeltro
Nascimento 1378
  Urbino
Morte 1443
  Urbino
Filho(s) Oddantonio II de Montefeltro;
Pedro (Pietro);
Inês (Agnese);
Violante (Violante)
Rafael (Raffaello);
Sveva (Beata Serafina);
Frederico III de Montefeltro (ileg.);
Aura (ileg.).
Pai António II de Montefeltro
Mãe Agnesina de Prefetti[2]

Guidantónio de Montefeltro, em italiano Guidantonio ou Guido Antonio da Montefeltro (1378 – 1443) foi um condottiero italiano. Filho de António II de Montefeltro, toma pacificamente, em 1403, as rédeas do ducado de Urbino.

BiografiaEditar

Em 1404 é investido pelo Papa Bonifácio IX do senhoriu de Urbino título comprado por mil e duzentos florins de ouro, por três gerações. Como em seguida de distanciou do Papa para se juntar ao rei Ladislau I de Nápoles que, em 1411, o creou Grande Condestável do Reino, foi excomungado. Com este pretexto, conquistou Assis.

Em seguida reconcilia-se com a Igreja, já liderada por Martinho V, tornando-se no seu principal aliado, conjuntamente com os Sforza, contra Braccio da Montone. Em 1426 o Papa investe-o dos domínios de Castel Durante, localidade também conhecido por Urbania, que assediou e ocupou em 1427.

De acordo com o testemunho de Giorgio Vasari, Piero della Francesca terá trabalhado para Guidantonio.

Casamento e descendênciaEditar

Casou em 1397 com Rengarda Malatesta, da qual, em vinte e sete anos de matrimónio, não teve filhos.

Após a morte de Rengarda, devido a doença, casou com Catarina Colonna, sobrinha do Papa Martinho V, de quem teve seis filhos, entre os quais o tão esperado herdeiro, que garantiu a sucessão da casa:

  • Oddantonio II, conde e depois primeiro Duque de Urbino que sucede ao pai;
  • Pedro (Pietro) era al servizio del duca di Milano;
  • Inês (Agnese), que casou co a Alexandre Gonzaga;
  • Violante (Violante), que casou com Novello Malatesta, e torna-se monja após enviuvar;
  • Rafael (Raffaello), de quem não temos informação;
  • Sveva, que casou com Alexandre Sforza, e que veio a ser a "Beata Serafina".

De relações extraconjugais teve:

  • Frederico III de Montefeltro (tido de Elisabetta degli Accomandugi, dama de compagnia da condessa Rengarda) legitimato, que veio a ser o segundo Duque de Urbino;
  • Aura, que casou com o conde Bernardino degli Ubaldini della Carda, comandante geral da Companhia Feltria.

BibliografiaEditar

  • P. Litta. Famiglie celebri italiane. Milano, 1834
  • F. Ugolini. Vite dei conti e duchi di Urbino, Urbino, 1859
  • G. Franceschini, I Montefeltro

Ligações externasEditar

Referências

  1. possuía também os títulos de Conde de Montefeltro, Senhor de Cagli, Gubbio, Cantiano, Frontone e Sassocorvaro
  2. filha de Giovanni, Prefeito e Senhor de Vico