Oddantonio II de Montefeltro

Oddantonio de Montefeltro, em italiano Oddantonio da Montefeltro (18 de janeiro de 1427 – 22 de julho de 1444) foi um político e condottiero italiano do renascimento, além de primeiro Duque de Urbino. Em 1443 sucede a seu pai, Guidantonio de Montefeltro que casara em segundas núpcias com Catarina Colonna (Caterina Colonna).

Oddantonio II de Montefeltro
Duque Soberano de Urbino
Coat of arms of Federico and Guidobaldo da Montefeltro.svg
Brasão da família Montefeltro (a partir de 1443)
Consorte -
Casa Casa ducal de Urbino
Dinastia Casa de Montefeltro
Nascimento 18 de janeiro de 1427
  Urbino, Ducado de Urbino
Morte 22 de julho de 1444 (17 anos)
  Urbino, Ducado de Urbino
Filho(s) sem descendência
Pai Guidantonio de Montefeltro
Mãe Catarina Collona

O nomeEditar

Oddantonio foi o único membro da família Montefeltro baptizado com este nome; a composição traduz a aliança entre os Montefeltro e os Colonna, homenageando o tio materno, o Papa, que apadrinhara a união de seus pais e promovera a aliança das duas Casas. A origem está na união do nome do tio materno Oddone Colonna, Papa com o nome de Martinho V, e do avô paterno, António II de Montefeltro.

Nos meses seguintes ao nascimento do tão desejado herdeiro, um antepassado com o mesmo nome terá sido inventado por conhecedores da genealogia familiar no sentido de agradar à corte de Urbino.

BiografiaEditar

Nasce em 18 de Janeiro de 1427, filho do conde de Urbino Guidantonio de Montefeltro e da sua segunda mulher, Catarina Colonna. Oddantonio foi o único varão legítimo do conde, pelo que precedia na sucessão seu irmão mais velho Frederico, nascido em 1422 de uma relação extraconjugal do pai, e que veio a ser legitimado em 1424.

Em 1442 Oddantonio e Cecília Gonzaga cancelaram a tentativa dos pais de ambos em promoverem o seu casamento, após o que Cecília entrará num convento (1444).

Em 17 de fevereiro de 1443, poucos dias antes da morte do pai, Oddantonio é investido do vicariato apostolico in temporalibus[1], sendo assim associado ao governo dos domínios paternos. Em 26 de Abril de 1443 o Papa Eugénio IV elevava Oddantonio ao grau de duque de Urbino, título transmissível aos seus herdeiros. Esta nomeação enquadrava-se na acção pontifícia de oposição a Francesco Sforza[2]nas Marcas, apesar dos Montefeltro militarem ao tempo no exército do duque de Milão, aliado do Papa na luta contra Sforza.

A guerra às portas do Estado, e os enormes custos associados, bem como as despesas incorridos para pagamento da sua nomeação como duque, obrigou o jovem duque a uma pesada política fiscal sem precedentes, o que aumentou o descontentamento da população, que acusava alguns membros da corte ducal de comportamento de terem uma vida dissoluta e de assédio a algumas mulheres Urbino.

Assim, na noite de 21 para 22 de Julho de 1444 um punhado de conspiradores entraram no palácio e assassinaram o Duque, juntamente com alguns conselheiros, foi assassinado.

Na manhã seguinte, Frederico, que sempre fora mantido arredado do governo, apresentou-se às portas de Urbino e, após ter concluído um pacto com cidade, que previa a impunidade para os conjurados, é aclamado como sucessor do irmão. Após o seu assassinato, Oddantonio é sepultado em local impreciso (San Francesco ou San Donato).

O advento de Frederico foi inutilmente contestado pela família e pela corte. Em 1446 foi descoberta uma conjura que envolvia Antonio di Niccolò da Montefeltro (tio de Frederico), Francesco di Vico (parente longínquo dos Montefeltro) e Giovanni di San Marino (chanceler de Oddantonio), estando por detrás do golpe, com grande probabilidade, a irmã de Oddantonio e meia-irmã de Frederico, Violante da Montefeltro, mulher de Domenico Malatesta. Os conjurados foram todos decapitados e a memória de Oddantonio foi arrastada para o esquecimento ou para o descrédito.

Títulos e territóriosEditar

Oddantonio era:

  • conde de Montefeltro, por nascimento - título imperial datando do Século XII mas, tal como os seus antecessores, não abarcava mais o domínio de toda essa região histórica;
  • conde de Urbino, por nascimento - título imperial datando de 1226;
  • conde de Castel Durante, por nascimento - título obtido do pai em 1424 por investidura pontifícia;
  • senhor de Cagli, Gubbio, Cantiano, Frontone, Sassocorvaro – por concessão do vicariato apostolico in temporalibus e por sucessão em 1444;
  • duque de Urbino, por investidura papal em 1443 - título que acrescia aos restantes, sem os suprimir. O estado continuou a manter o anterior carácter composto de cidade, campo e castelos que se regiam com estatutos próprios, governados pelos Montefeltro por acordos e pactos jurídicos, enquadrados no vicariato apostolico in temporalibus, concedido pelo Papa.

Expedições militaresEditar

A única condotta foi a que realizou no exército dos Visconti duques de Milão, herdada do pai. Em 1443 o exército milanês estava empenhado na guerra contra Francesco Sforza, em aliança com o Papa e com o rei de Nápoles. O comando da companhia militar dos Montefeltro estava, porém, entregue a Frederico de Montefeltro. Salvo uma única ocasião, Oddantonio nunca mais estará presente num campo de batalha.

Ver tambémEditar

BibliografiaEditar

  • "Dynasties of the World", de John E. Morby, Oxford University Press, ISBN 0-19-860473-4.
  • Gino Franceschini, Notizie su Oddantonio da Montefeltro primo duca di Urbino (20 febbraio 1443 - 22 luglio 1444), in «Atti e Memorie», Deputazione di Storia Patria per le Marche, serie VII, vol. I, 1946, pp. 83-103.
  • Giovanni Scatena, Oddantonio da Montefeltro primo duca di Urbino, Ernesto Paleani Editore, Roma, 1989.

Ligações externasEditar


Precedido por
Guidantonio de Montefeltro
( como Conde de Urbino )
 
Duque de Urbino

1443 - 1444
Sucedido por
Frederico III de Montefeltro

Referências

  1. instrumento jurídico pelo qual o Papa, enquanto soberano secular dos Estados da Igreja, legitima os senhores locais enquanto seus súbditos
  2. na altura era um mero condottiero, que só muito mais tarde se apoderou de Milão