Guilherme IV, Príncipe de Orange

político neerlandês

Guilherme IV (Guilherme Carlos Henrique Friso; Leeuwarden, 1 de setembro de 1711Haia, 22 de outubro de 1751) foi Príncipe de Orange desde o nascimento e o primeiro estatuder hereditário das Províncias Unidas de 1747 até à sua morte.[1] Durante toda a sua vida também foi o governante do Principado de Orange-Nassau no Sacro Império.

Guilherme IV
Príncipe de Orange
Reinado 1 de setembro de 1711
a 22 de outubro de 1751
Antecessor(a) João Guilherme Friso
Sucessor(a) Guilherme V
Estatuder das Províncias Unidas
Reinado 4 de maio de 1747
a 22 de outubro de 1751
Predecessor Guilherme III
Sucessor Guilherme V
 
Nascimento 1 de setembro de 1711
  Leeuwarden, Províncias Unidas
Morte 22 de outubro de 1751 (40 anos)
  Palácio de Huis ten Bosch, Haia, Províncias Unidas
Sepultado em 4 de fevereiro de 1752, Nieuwe Kerk, Delft, Países Baixos
Nome completo  
Guilherme Carlos Henrique Friso
Esposa Ana, Princesa Real
Descendência Carolina de Orange-Nassau
Ana de Orange-Nassau
Guilherme V, Príncipe de Orange
Casa Orange-Nassau
Pai João Guilherme Friso, Príncipe de Orange
Mãe Maria Luísa de Hesse-Cassel
Religião Igreja Reformada Holandesa
Assinatura Assinatura de Guilherme IV
Brasão

Primeiros anosEditar

Guilherme nasceu em Leeuwarden na Holanda, filho de João Guilherme Friso, Príncipe de Orange, chefe da Casa de Orange-Nassau e da condessa Maria Luísa de Hesse-Cassel. Ele nasceu seis semanas após a morte de seu pai.

Guilherme sucedeu seu pai como Estatuder de Frísia sob a regência de sua mãe até 1731.

Casamento e descendênciaEditar

Casou-se, em 25 de março de 1734, com Ana, Princesa Real, filha do rei Jorge II da Grã-Bretanha e da rainha Carolina de Ansbach. Guilherme e Ana tiveram cinco filhos, mas somente dois chegaram a vida adulta, são eles:

Últimos anosEditar

Em 1739 Guilherme herdou as propriedades anteriormente possuídas pelo ramo de Nassau-Dillenburg de sua família, e em 1743 herdou aqueles anteriormente possuídos pelo ramo de Nassau-Siegen de sua família.

Em abril de 1747 o exército francês entrou na Flandres, ameaçando os Países Baixos, que foi enfraquecido pela divisão interna. Os holandeses decidiram que seu país precisava de um único executivo forte, e se voltaram para Guilherme. Guilherme e sua família se mudaram de Leeuwarden para Haia. Em 4 de maio de 1747, os Estados Gerais dos Países Baixos nomearam Guilherme Estatuder das Sete Províncias Unidas dos Países Baixos e tornaram a posição hereditária pela primeira vez. Guilherme conheceu o duque Louis Ernest de Brunswick-Lüneburg em 1747, e dois anos depois nomeou-o marechal de campo do Exército dos Estados Holandeses, o que mais tarde levou Louis Ernest a servir como um dos regentes de Guilherme, herdeiro de Guilherme IV.

Guilherme era considerado um príncipe atraente, educado e consumado em seu auge. Embora tivesse pouca experiência em assuntos de Estado, Guilherme era muito para com o povo. Ele parou a prática da tributação indireta através da qual contratantes independentes conseguiram fazer grandes somas para si. No entanto, foi também Diretor-Geral da Companhia Holandesa das Índias Orientais e sua aliança com a classe empresarial aprofundou-se, enquanto a disparidade entre ricos e pobres cresceu.

Guilherme serviu como Estatuder das Sete Províncias Unidas dos Países Baixos até sua morte em 1751.

HomenagensEditar

Em sua homenagem, foram batizados os seguintes lugares:

Referências

  1. Suzanna van Dijk; Jo Nesbitt (1 de janeiro de 2004). I Have Heard about You: Foreign Women's Writing Crossing the Dutch Border: from Sappho to Selma Lagerlöf. Hilversum: Uitgeverij Verloren. p. 168. ISBN 90-6550-752-3 

Precedido por
João Friso
Príncipe de Orange
1711 - 1751
Sucedido por
Guilherme V