Hórus

Divindade da antiga religião egípcia
 Nota: Para outros significados, veja Hórus (desambiguação).

Hórus (ou Heru-sa-Aset, Her'ur, Hrw, Hr, Hor-Hekenu ou Ra-Hoor-Khuit) é, no panteão do Antigo Egito, o deus dos céus e dos vivos.[1] É representado geralmente como filho de Ísis e Osíris, e desempenha um papel fundamental no mito de Osíris como seu herdeiro e como rival de Set, o assassino e irmão de Osíris. Em outras versões, Hathor é considerada mãe de Hórus, e às vezes sua esposa.[2]

Hórus
Nome nativo
G5
Local de culto
Símbolo Olho de Hórus
Cônjuge(s)
Pais
Irmão(s)
Filho(s)
Portal:Antigo Egito

É retratado como um falcão ou como um homem com cabeça de falcão, cujos olhos representam o Sol e a Lua.[3][4] Na mitologia egípicia, matou Set, tanto por vingança pela morte do pai, Osíris, como pela disputa do comando do Egito.[5]

Após derrotar Set, tornou-se o rei dos vivos no Egito. Perdeu um olho lutando com Set, que foi substituído por um amuleto de serpente, (que os faraós passaram a usar na frente das coroas), o olho de Hórus, que simbolizava o poder real. Depois da recuperação, Hórus pôde organizar novos combates que o levaram à vitória decisiva sobre Set.[3][4]

O olho que Hórus feriu (o olho esquerdo) é o olho da Lua, o outro é o olho do Sol, conhecido como o olho de Rá. Esta é uma explicação dos egípcios para as fases da lua, que seria o olho ferido de Hórus.

Alguns detalhes do personagem foram alterados ou mesclados com outros personagens ao longo das várias dinastias, seitas e religiões egípcias, tendo até, supostamente, sido inspiração para a história de Jesus Cristo na mitologia cristã.[6][7][8][9]

A Concepção de Hórus editar

De acordo com uma lenda difundida no Antigo Egito, Hórus foi concebido por Isis, quando Osíris, seu pai, já estava morto. A lenda sugere que a fecundação ocorreu quando Isis, na forma de um pássaro, pousou sobre a múmia do esposo, que estava deitado em um sofá.

 
Olho esquerdo wedjat, também conhecido como o Olho de Hórus, complementar ao Olho de Rá.
 
Na mitologia egípcia, Hórus é retratado por um falcão (ou um homem com cabeça de falcão), sendo provavelmente um falcão-lanário ou um falcão-peregrino.[10]

Uma estela datada de 1400 a.C. (hoje guardada no Museu do Louvre), contém este hino sobre o tema:

Oh benevolente Ísis
que protegeu o seu irmão Osíris,
que procurou por ele incansavelmente,
que atravessou o país enlutada,
e nunca descansou antes de tê-lo encontrado.
Ela, que lhe proporcionou sombra com suas calças
e lhe deu ar com suas penas,
que se alegrou e levou o seu irmão para casa
Ela, que reviveu o que, para o desesperançado, estava morto,
que recebeu a sua semente e concebeu um herdeiro,
e que o alimentou na solidão,
enquanto ninguém sabia quem era…
Hórus foi o Deus solar e o redentor dos egípcios.

Hórus e o cristianismo editar

Hórus é a segunda pessoa da divina família egípcia, composta por Osíris, o pai, Hórus, o filho e Ísis, a mãe.

Alguns autores[6][7][8][9] sugerem que a história de Jesus pode ter sido baseada em várias outras histórias de deuses mais antigos, principalmente, Hórus.[11] Em suas mãos Hórus carrega as chaves da vida, da morte e da fertilidade. O primeiro filme da série Zeitgeist, o documentário O Deus que Não Estava Lá e o filme de Bill Maher, Religulous, expõem a ideia de que a história de Jesus seria uma cópia da história de Hórus.[12] Contudo há controvérsias quanto ao documentário Zeitgeist.[13]

Na mitologia cristã, a Virgem Maria concebeu Jesus através da ação do Espírito Santo, permanecendo, segundo a tradição católica, sempre virgem. Já Hórus, segundo a mitologia egípcia, era filho de Isis com Osíris, e teria nascido depois que sua mãe ter feito um pênis com a mão, por não ter encontrado essa parte do corpo do falecido companheiro. A alegação de que Jesus e Osíris tenham nascido ambos em 25 de dezembro também não se sustenta, primeiro não existem citações bíblicas evidências ou históricas do nascimento de Jesus nesta data e Hórus, segundo a teoria mais aceita teria nascido durante o mês de Khoiak (outubro/novembro).

Diferente de algumas alegações, o nascimento de Hórus não teria sido anunciado por nenhuma estrela no Oriente. Outro ponto de destaque é que Hórus nunca chegou a sair do Egito (até porque lá seria o seu país natal), diferente de Jesus, que segundo os evangelhos foi ao Egito e depois retornou a Israel.[14] Outro mito é que Hórus foi batizado por Anúbis, contudo, não existem referências a tal personagem, bem como não havia o costume do batismo nas águas no Egito antigo. Outras comparações já desmitificadas são as alegações de Hórus ter tido o mesmo número de seguidores que Jesus; de ter andado sobre as águas e de ter ressuscitado El-Azur-U, ter tido títulos iguais e ter sido crucificado. Segundo críticos à comparaçao de Jesus e Hórus, nenhum dos eventos relacionados na escatologia cristã teriam ocorrido com Hórus na mitologia egípcia.[15]

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Hórus

Notas

  1. http://www.planetaesoterico.com.br/horus/o-deus-horus.html
  2. "The Oxford Guide: Essential Guide to Egyptian Mythology", Edited by Donald B. Redford, Horus: by Edmund S. Meltzer, pp. 164–168, Berkley, 2003, ISBN 0-425-19096-X.
  3. a b «Horus». World History Encyclopedia (em inglês). Consultado em 22 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 14 de abril de 2021 
  4. a b Wilkinson, Richard H. (2003). The Complete Gods and Goddesses of Ancient Egypt. Thames & Hudson. p. 202.
  5. Wilkinson, Richard H. (2003). The Complete Gods and Goddesses of Ancient Egypt. Thames & Hudson. p. 202.
  6. a b Castello Branco, Marisa. Do Egito Milenar à Eternidade (ISBN 85-901413-1-4)
  7. a b A Religião do Egito de 4400 a.C. e semelhanças com o Cristianismo. HistoriaNet
  8. a b Gregório, Sérgio Biagi. Os Mitos e as suas Simbologias Arquivado em 12 de junho de 2010, no Wayback Machine.. Centro Espírita Ismael.
  9. a b Pires, José Herculano. Revisão do Cristianismo[ligação inativa]
  10. Wilkinson, Richard H. (2003). The Complete Gods and Goddesses of Ancient Egypt. Thames & Hudson. p. 202.
  11. Osíris e Hórus: protótipos do Jesus da fé? Arquivado em 5 de julho de 2010, no Wayback Machine. Kerigma-Unasp. Estudo comparativo entre Osíris/Hórus e Jesus Cristo
  12. Horus and Jesus: mythological plagiarism?, programa da BBC sobre esta hipótese
  13. Jonathan McLatchie. «What's Wrong With The Zeitgeist Movie?». Consultado em 26 de junho de 2013 
  14. HIPÓLITO, Marcelo. Osíris, deus do Egito. ed. Marco Zero. São Paulo. 2009
  15. «A história da vida de Jesus é uma cópia da mitologia de Hórus?». www.e-farsas.com. Consultado em 15 de maio de 2018