Abrir menu principal
HMS Warspite
HMS Warspite, Indian Ocean 1942.jpg
Carreira  Reino Unido
Operador Marinha Real Britânica
Fabricante Estaleiro Real de Devonport
Batimento de quilha 31 de outubro de 1912
Lançamento 26 de novembro de 1913
Comissionamento 8 de março de 1915
Descomissionamento 1º de fevereiro de 1945
Indicativo visual 03
Estado Desmontado
Características gerais
Tipo de navio Couraçado
Classe Queen Elizabeth
Deslocamento 33 790 t (1915)
37 030 t (1937)
Maquinário 2 turbinas a vapor
24 caldeiras (1915)
6 caldeiras (1937)
Comprimento 196,2 m
Boca 27,6 m (1915)
31,7 (1937)
Calado 10,1 m (1915)
9,9 m
Propulsão 4 hélices
- 75 000 hp (55 900 kW)
Velocidade 24 nós (44 km/h) (1915)
23 nós (43 km/h) (1937)
Autonomia 1915:
5 000 milhas náuticas a 12 nós
(9 300 km a 22 km/h)


1937:
7 580 milhas náuticas a 12 nós
(14 035 km a 22 km/h)
Armamento 1915:
8 canhões a 381 mm
14 canhões de 152 mm
2 canhões antiaéreos de 76 mm
4 tubos de torpedo de 533 mm


1937:
8 canhões de 381 mm
8 canhões de 152 mm
8 canhões antiaéreos de 102 mm
32 canhões antiaéreos de 40 mm
8 metralhadoras de 12 mm
Blindagem Cinturão: 330 mm
Convés: 25 a 76 mm
Barbetas: 178 a 254 mm
Torres de artilharia: 279 a 330 mm
Torre de comando: 330 mm
Aeronaves 4 hidroaviões (1937)
Tripulação 1 025

O HMS Warspite (03) foi um couraçado da classe Queen Elizabeth construído para a Marinha Real Britânica durante o começo da Década de 1910 do século XX. A sua carreira de 3 décadas abrangeu ambas as guerras mundiais e levou o couraçado a navegar pelo Atlântico, Indico e Pacífico. Participou na Batalha da Jutlândia durante a Primeira Guerra Mundial; tirando esta batalha, durante a primeira guerra, apenas participou na Acção de 19 de Agosto. O seu desempenho na guerra limitou-se a viagens patrulha e de treino.[1]

Na Segunda Guerra Mundial, participou em grandes batalhas navais, incluindo no Mar do Norte e no Mar Mediterrâneo, valendo-lhe a maior quantidade de condecorações que algum navio da Marinha Real recebeu durante a Segunda Guerra Mundial. Por estas e outras razões, ganhou a alcunha de "Grand Old Lady" depois de um comentário feito pelo almirante Sir Andrew Cunningham em 1943.[1][2]

Referências