Abrir menu principal
Hans Magnus Enzensberger
Nascimento 11 de novembro de 1929 (89 anos)
Kaufbeuren
Cidadania Alemanha
Filho(s) Theresia Enzensberger
Irmão(s) Christian Enzensberger
Alma mater Universidade de Freiburg, Universidade de Hamburgo
Ocupação poeta, escritor, tradutor, jornalista, repórter, escritor de literatura infantil, autor
Prêmios Ordem do Mérito para as Artes e Ciência, Prêmio Georg Büchner, Prêmio Princesa das Astúrias de Comunicações e Humanidades, Prêmio de Literatura da Academia Bávara de Belas Artes
Assinatura
Enzensberger Signature.jpg

Hans Magnus Enzensberger (Kaufbeuren, 11 de novembro de 1929) é um poeta, ensaísta, tradutor, escritor e editor alemão. É também escritor sob os pseudônimos de Andreas Thalmayr, Linda Quilt, Elisabeth Ambras e Serenus M. Brezengang.[1][2]

Índice

BiografiaEditar

Hans Magnus Enzensberger nasceu na Baviera, em 1929. Escritor e editor, viveu na França, México, Estados Unidos, Itália, Noruega, Cuba, União Soviética.[3][4]

Enzensberger estudou literatura e filosofia nas universidades de Erlangen, Freiburg, Hamburgo e também em Sorbonne, Paris, recebeu seu doutorado em 1955.[5]

Trabalhou como redator na rádio de Stuttgart e exerceu a docência até 1957, com o volume de poesias Verteidigung der Wölfe (Defesa dos Lobos).[6]

Entre 1965 e 1975 foi membro do Grupo 47. Em 1965 criou a revista "Kursbuch" e desde 1985 edita a série literária Die andere Bibliothek.[7]

ObraEditar

  • Verteidigung der Wölfe (Defendendo os Lobos), poemas, 1957
  • Allerleirauh, poemas, 1961
  • Politik und Verbrechen (Política e Crime), ensaio, 1964
  • Deutschland, Deutschland unter anderm (Alemanha, Alemanha, entre outros), ensaio, 1967
  • Das Verhör von Habana (O interrogatório de Habana), prosa, 1970
  • Der kurze Sommer der Anarchie (O curto verão da anarquia) , romance, 1977
  • Buenaventura Durrutis Leben und Tod (Buenaventura Durrutis vida e morte), prosa, 1972
  • Gespräche mit Marx und Engel (Conversações com Marx e Engels), 1970
  • Palaver (Bajulação), ensaio, 1974
  • Mausoleum (Mausoléu), poemas, 1975
  • Der Untergang der Titanic (O naufrágio do Titanic), versículo, 1978
  • Polit (Migalhas), redações, 1982
  • Ach, Europa! (Ah, a Europa!), prosa, 1987
  • Zukunftsmusik (Futuro Música), poesia, 1991
  • Die Tochter der Luft (A filha do ar), ficção, 1992
  • Die Große Wanderung (A Grande Migração), redações, 1992
  • Wo warst du, Robert? (Por Onde Você Andou, Robert?), romance, 1996
  • Zickzack (Ziguezague), redações, 1997
  • Der Zahlenteufel, 1997
  • Nummer Teufel (O Diabo dos Números), romance, 1998
  • Zickzack (Ziguezague), redações, 2000

Prêmios (seleção)Editar

Referências

  1. «Hans Magnus Enzensberger - Grupo Companhia das Letras». www.companhiadasletras.com.br. Consultado em 21 de março de 2019 
  2. Enzensberger, Hans Magnus (30 de maio de 1991). «Reflexões diante de uma vitrine». Revista USP (9): 9–22. ISSN 2316-9036. doi:10.11606/issn.2316-9036.v0i9p9-22 
  3. «revista piauí - Hans Magnus Enzensberger». revista piauí. Consultado em 21 de março de 2019 
  4. Foundation, Poetry (20 de março de 2019). «Hans Magnus Enzensberger». Poetry Foundation (em inglês). Consultado em 21 de março de 2019 
  5. «Autor do Mês-Hans Magnus Enzensberger - Goethe-Zentrum Brasília». Consultado em 21 de março de 2019 
  6. Welle (www.dw.com), Deutsche. «Hans Magnus Enzensberger | DW | 28.12.2016». DW.COM. Consultado em 21 de março de 2019 
  7. Catarino, Maria Helena Horta Simões (28 de fevereiro de 1989). «Mausoleum de Hans Magnus Enzensberger : a balada moderna e o mito do progresso» 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.